quinta-feira, 2 de março de 2017

H.O.G. Rally 2017 em Foz do Iguaçú: começou a malandragem?


As inscrições para o HOG Rally 2017 em Foz do Iguaçu abriram no site da H-D do B.

Mas segundo o que tem circulado nas redes sociais, já começaram as malandragens. Vários harleyros denunciam que os hotéis "parceiros" escolhidos pela Harley-Davidson aumentaram suas tarifas em até 40%.

Este tipo de atitude tem um efeito devastador sobre os eventos promovidos pelo H.O.G. no Brasil. Em todas as ocasiões centenas de harleyros deixam de participar por sentirem que estão sendo espoliados.

Se a Harley-Davidson do Brasil realmente pretende difundir o verdadeiro espírito do H.O.G., tem que tomar atitudes enérgicas com relação a isto.

Uma das ações que funcionam com muito sucesso nos dois maiores eventos de motociclismo do mundo (Daytona Bike Week e Sturgis) é NÃO TER hotéis indicados.

Se a Harley-Davidson do Brasil preferir tê-los, tem que usar a força do evento para DIMINUIR as tarifas em benefício dos membros do HOG!

Espero que esta atitude dos hotéis, se verdadeira, seja imediatamente revertida por pressão da H-D do B.

10 comentários:

  1. Não sei porque o exemplo de Sturgis, estive lá ano passado nos 75 anos, e diária em Rapid City de U$ 120.00 subiu pra U$ 720.00 durante o evento, simples questão de livre demanda.
    Comparar a demanda de eventos como Daytona Bikeweek e Sturgis com HOG Rally é inocência ou má fé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estive em Sturgis em 2012. Fiquei hospedado em Rapid City e paguei menos de US$100/diária no Best Western, com o desconto do HOG. Com relação à Daytona, morei na região por 10 anos e sei muito bem que a maioria dos hotéis mantém o preço no eventos (muitos) que ocorrem na região.

      Excluir
  2. O HOG BH verificou que em outros sites está 35% mais barato, ou seja, alguns hotéis aumentaram a tarifa para o evento em aproximadamente 50%.

    Na minha opinião, a H-DB deveria soltar uma nota em todos os sites, redes sociais e demais meios de comunicação cancelando a parceria com esses hotéis e pedindo para ninguém se hospedar em época alguma.

    Afinal, se a índole do hotel é essa, como você espera ser tratado ao se hospedar lá?

    ResponderExcluir
  3. Outra informação: o hotel Mabu, após confirmar a reserva de um Road Captain do HOG BH, ligou para ele informando que deveria pagar uma quantia a mais pela "alimentação do encontro", resultando em uma diária de mais de R$ 900,00.

    O desrespeito não tem limites.

    ResponderExcluir
  4. Ninguém gosta de ser feito de otário.
    Experteza tem que ter limite!
    É simples, eu não vou gastar bem mais de 5 ou 6% do valor da minha moto em um único evento.
    Ir lá pra que? Um baile de fantasias e um desfile na cidade?
    Eventos assim já não me pegam mais. Acho que tem que ser esse o verdadeiro espírito.

    ResponderExcluir
  5. Sem fins lucrativos, tststststs.

    ResponderExcluir
  6. Alguém tinha alguma duvida que isto iria ocorrer? Estou de acordo com o Enderson.

    ResponderExcluir
  7. posição de hoje - 03/03/17 - (fiz postagem no meu blog) não mostra malandragem.

    Se comparar os hotéis parceiros com os preços disponíveis no Trivago, os preços HOG estão mais baratos.

    A questão é a escolha dos hotéis parceiros: todos de alto padrão e por isso bem caros, mas tem muitos quartos disponíveis em hotéis que não constam da lista a partir de R$150

    ResponderExcluir
  8. O HOG não serve para nada. Tenho um dos poucos triglides HD do Rio e no único passeio que fiz me deixaram para trás, já que não posso passar pelos corredores (o que, aliás, é proibido pelo CNT). Coloquei o problema para um diretor e ele me disse, por meias palavras, que um motoclube de triciclos seria o mais indicado para meu problema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. David, obrigado por acompanhar o blog. Na realidade não é proibido passar pelos corredores. Quando o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), foi aprovado pelo Congresso Nacional, havia nele o artigo 56, que proibia expressamente as motocicletas de circularem nos corredores, mas esse artigo foi vetado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.
      A justificativa para o veto foi a seguinte:
      "Ao proibir o condutor de motocicletas e motonetas a passagem entre veículos de filas adjacentes, o dispositivo restringe sobre maneira a utilização desse tipo de veículo que, em todo o mundo, é largamente utilizado como forma de garantir maior agilidade de deslocamento. Ademais, a segurança dos motoristas está, em maior escala, relacionada aos quesitos de velocidade, de prudência e de utilização dos equipamentos de segurança obrigatórios, os quais encontram no Código limitações e padrões rígidos para todos os tipos de veículos motorizados."
      Portanto, de acordo com a legislação brasileira, é permitido a motocicletas circular nos corredores.
      É lamentável, entretanto, o posicionamento do diretor do HOG.

      Excluir