domingo, 30 de novembro de 2014

"CSCL Globe": o maior do mundo

M/V "CSCL Globe".

Hyundai Heavy Industries Co. de Ulsan, Coréia do Sul acabou de batizar o novo gigante dos mares, o maior navio porta-containers do mundo: o “CSCL Globe”, com capacidade de carregar 19.000 TEU, construído para o armador China Shipping Container Lines (CSCL).

O “CSCL Globe” tem 400 m de comprimento, 58,6 m de boca (largura), 30,5 m de pontal e calado máximo de 16 m. Será empregado no tráfego Asia-Europa, quando for incorporado à frota do armador dentro de poucas semanas. O deslocamento leve do “CSCL Globe” é de 188.800 toneladas e seu porte-bruto (carga, tripulação, combustível e água) é de 155.200 ton. Seu deslocamento a plena carga é equivalente a 344.400 toneladas.

O navio foi encomendado em Maio de 2013, com mais quatro navios do mesmo porte, por um custo total de US$700 milhões.

Para comparação, os navios considerados os maiores do mundo, até então, eram os Triple-E do armador dinamarquês Maersk Line, com capacidade para 18.000 TEU, 400 m de comprimento e 59 m de boca. A Maersk encomendou um total de 20 navios desta série aos estaleiros Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering, também da Coréia do Sul, com previsão de entrega até 2015 a um custo individual de US$185 milhões.
M/V "Maersk McKinney Moller".
A Hyunday informa que o “CSCL Globe” é propulsionado por um motor MAN B&W de 12-cilindros e 94.790 HP, eletronicamente controlado para melhorar a eficiência no consumo de combustível, proporcionando uma economia de até 20%, comparado a navios similiares de até 10.000 TEU.

O navio é equipado com dois sistemas EcoBallast de tratamento da água do mar, com capacidade de purificar até 3.000 m³ de água por hora, utilizando um sistema de filtragem e esterilização com raios ultravioletas.

Após sua entrada em operação, o CSCL Globe tomará o título de maior do mundo, atualmente com o “Maersk McKinney Moller”, entregue em Julho de 2013. 

Antes dele, o título ficou por algum tempo com o navio francês “CMA CMG Marco Polo”, de 16.020 TEU, entrado em operação em Novembro de 2012.

M/V "CMA CGM Marco Polo"

sábado, 29 de novembro de 2014

SP: Aplicativo Permite Fiscalização de Rodovias

Rodovias paulistas, as melhores do Brasil
A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) lançou o aplicativo “Eu Vi”, uma ferramenta que permite aos usuários dos 6,4 mil quilômetros de pistas sob concessão em todas as regiões do Estado fiscalizar a manutenção das rodovias.

Com o aplicativo, os usuários das rodovias paulistas poderão fazer fotos ou vídeos de 10 segundos que serão geo-referenciados automaticamente pelo aplicativo, para enviá-los para a ARTESP. 



O programa abrange rodovias como a Bandeirantes, Raposo Tavares, Anhanguera, Rodoanel, Castelo Branco, Anchieta, Imigrantes, entre outras.

Segundo a Agência, pelo contrato de concessão as empresas têm prazos estipulados para dar solução a cada tipo de problema que apareça na rodovia sob sua administração. Se este prazo for desrespeitado, está prevista punição, que varia de autuação, multa e até mesmo perda da concessão.


Já para o usuário, as concessionárias terão prazo de até 10 dias para enviar resposta. O aplicativo está disponível para os sistemas IOS e Android.

O que se pode mostrar por meio do “Eu Vi” e o prazo para que o problema seja solucionado:
  • Conservação de barreiras de concreto – solução em uma semana;
  • Defensas metálicas e cercas – solução em uma semana;
  • Mato alto ao longo da pista – acionamento das equipes de imediato;
  • Pichação ao longo da estrada – solução em uma semana;
  • Limpeza de canaletas e bueiros – solução em um mês;
  • Iluminação de passarelas – solução em uma semana;
  • Conservação de ponto de ônibus – solução em uma semana;
  • Conservação de pontes, viadutos e túneis – solução em uma semana;
  • Conservação de sinalização (placas, faixas) – repintura em uma semana/limpeza em um mês;
  • Buraco no asfalto – solução em um dia;
  • Lixo na estrada – solução em uma semana;
  • Queimada/fumaça – acionamento das equipes de imediato;
  • Animais na estrada – solução em um dia.
Se for usar o aplicativo enquanto estiver pilotando uma motocicleta, pare no acostamento para faze-lo.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Dia de Ação de Graças


KTM no Brasil

KTM Duke
A partir da segunda quinzena do próximo mês de dezembro começa a programação de abertura da rede de concessionárias Flagship KTM. As lojas conceito têm a exclusividade da comercialização de toda a linha de produtos já confirmados para o Brasil, vestuário, peças de reposição e acessórios e na prestação de serviços de pós-venda especializado on e off-road.

Entre os modelos que estarão à venda nas Flagships estão os importados 1190 Adventure, 1290 Super Duke R, 50 SX e 65 SX, e os já produzidos no Brasil, como as off road 350 EXC-F, 250 EXC-F e a 300 EXC. A partir de abril de 2015 juntam-se as Street 390 Duke ABS e 200 Duke, ambas nacionalizadas.

“Buscamos no País grupos sólidos e com extenso conhecimento no setor de duas rodas premium. Temos total convicção de que a KTM estará muito bem representada”, afirma José Ricardo Siqueira, gerente de marcas da Dafra Motos, responsável pela operação nacional da KTM.

KTM 1190 Adventure R 2014
A cidade do Rio de Janeiro (RJ) também faz parte dos planos da KTM no Brasil. O processo de nomeação do representante da marca na capital carioca já está em andamento e deve ser finalizado ainda em 2014. A inauguração da loja-conceito no Rio está prevista para o 1º trimestre de 2015.

Fase II

Além das lojas Flagships, no retorno da KTM ao Brasil a marca será distribuída por revendas de duas marcas DAFRA/KTM, que terão uma capilaridade maior, tendo em vista que aproveitarão a rede da marca brasileira já instalada, porém com trabalho focado nos modelos 390 Duke ABS, 200 Duke e RC 390 ABS, bem como vestuário, acessórios, peças e serviços pós-venda exclusivos para esses três produtos.

O cronograma de implantação da rede Dual Brand começa no 2º trimestre de 2015. Os representantes já estão em fase de nomeação e serão definidos até o final deste ano.

“Trabalharemos em duas frentes, criando lojas-conceito em mercados que se destacam no segmento premium e investindo numa maior sinergia entre os produtos de baixa/média cilindrada street de KTM e de Dafra. Dessa forma acreditamos que conseguiremos nos posicionar rapidamente de maneira eficaz e sustentável no mercado nacional”, explica José Ricardo.

Fonte: Moto Movimento

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Happy Thanksgiving


"Pieter Schelte": um mamute dos mares



Depois de 4 anos em construção e décadas de planejamento, o “Pieter Schelte” saiu do estaleiro Daewoo, na Coréia do Sul, em rota para Rotterdam, na Holanda, onde serão instalados os equipamentos finais neste catamarã gigante.

Com um comprimento de 382 m e uma boca (largura) de 124 m, o “Pieter Schelte”  é sem dúvida um dos maiores navios já construídos, talvez aquele com o mais estranho formato, com um casco que parece o de dois navios petroleiros colocados lado-a-lado.


Com a ajuda do espaço de 122 m de comprimento na proa do navio e com a capacidade de levantamento de 48.000 toneladas/força, o “Pieter Schelte”  será usado na instalação e remoção de estruturas e jaquetas de grandes plataformas empregadas na produção de petróleo no Mar do Norte. O navio também será equipado para o lançamento de oleodutos e gasodutos, tornando-se o maior navio do mundo, nesta especialidade.

O “Pieter Schelte”  foi encomendado pela empresa suiça Allseas, uma das maiores do mundo no lançamento de dutos em alto mar e em construções submarinas. O custo total do navio é estimado em US$3 bilhões, a metade do custo de construção de um porta-aviões da Marinha dos Estados Unidos.

A construção deste mamute dos mares começou no estaleiro da Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering em 2010, ainda que componentes do casco tenham começado a ser fabricados em 2007. O conceito de engenharia do navio iniciou-se em 1987, sob a responsabilidade de Edward Heerema, fundador e principal executivo da Allseas.

O “Pieter Schelte”  zarpou da Coréia do Sul em 17/11 e fará escalas em Singapore e Cape Town, na África do Sul (ele é muito grande para passar pelo Canal de Suez).

Ao chegar em Rotterdam, ele será atracado no cais Maavlakte 2, especialmente construído para recebe-lo. Lá serão instalados os braços do sistema de içamento, além de outros equipamentos.

Operações comerciais do navio devem começar em meados de 2015, no Mar do Norte.

Para entender como o “Pieter Schelte” vai operar, veja o vídeo:

video

Detalhes do “Pieter Schelte” :
  • Comprimento total, incluindo os braços de içamento: 477 m
  • Boca: 124 m
  • Pontal até o convés principal: 30 m (equivalente a um prédio de 10 andares)
  • Espaço na proa, para içamento: 122 m de comprimento e 59 m de largura
  • Calado operacional: de 10 a 25 m
  • Velocidade máxima: 24 nós (38,5 km/h)
  • Potência total instalada: 95.000 kW
  • Acomodações: 571 pessoas
  • Guindastes no convés: 3 de 50 t para transferência de tubos e 1 de 600 t para emprego específico.
  • Capacidade de tubos no convés: 27.000 t
Atualização em 3/3/2015: o nome do navio foi mudado para Pioneering Spirit, por pressão da opinião pública holandesa. Pieter Schelte foi um oficial nazista, durante a II Guerra Mundial.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Brasil Motorcycle Show - Parque Barigui, Curitiba


Neste fim de semana estivemos em Curitiba para visitar a segunda edição do Brasil MotorCycle Show.

Fomos com um grupo de amigos e novos amigos de Brusque, SC, num bonde muito disciplinado, onde o Road Captain e o Cerra-fila deram uma aula de como conduzir um grupo com eficiência.



Realizado no Expo Renault, no Parque Barigui, o evento foi muito interessante, bem dimensionado e com bom público, sem estar tumultuado.



Além de estandes com exposição das marcas mais populares e de prestígio comercializadas no Brasil, o evento contou com a presença de vários customizadores de motocicletas, fabricantes de acessórios e equipamentos para motos, além de lojas com capacetes, vestuário, etc. 

Um palco foi instalado no pavilhão, onde várias bandas se apresentaram.


No lado de fora havia uma praça de alimentação. Ao lado, uma pista onde ocorreram várias demonstrações de habilidade.

Fotos da exposição, de autoria de Rogério Oleiro (exceto as marcadas):




























Um bom evento, que merece ser visitado na próxima edição.

sábado, 22 de novembro de 2014

Aumento significativo no tráfego marítimo mundial

Rotas marítimas de maior movimento.
O tráfego marítimo mundial aumentou quatro vezes nos últimos 20 anos, de acordo com um estudo publicado pela renomada American Geophysical Union, que quantifica o tráfego de navios e seu impacto no meio ambiente.

A pesquisa usou dados de satélites para estimar o número da navios nos oceanos, em cada ano, entre 1992 e 2012.


De acordo com os resultados, o número de navios trafegando os oceanos cresceu 60% entre 1992 e 2002, aumentando numa taxa ainda maior na segunda década da pesquisa, atingindo uma crescimento médio de 10% ao ano em 2011.

O estudo indica que houve crescimento de tráfego em todos os oceanos nos 20 anos considerados. No Oceano Índico, região que concentra as mais movimentadas rotas do mundo, o crescimento do tráfego aumentou mais de 300% nos 20 anos da pesquisa.


Em seu relatório, a American Geophysical Union indica que o aumento do tráfego marítimo deve ter tido um sério impacto na poluição sonora, da água e do ar.

“É preocupante que o tráfego de navios tenha crescido tanto, mesmo nas mais remotas regiões do mundo,” disse o Dr. Jean Tournadre, geofísico da Ifremer, o Instituto para a Exploração Do Mar, de Plouzane, França, e autor da pesquisa. “Especialmente quando sabemos que eles são a maior causa da poluição nos mares.”

O comércio internacional e o tamanho das frotas das Marinhas Mercantes tem crescido rapidamente nas duas últimas décadas, relata o estudo.


O estudo observa que o aumento do tráfego criou um quantidade de poluição na atmosfera, particularmente na rota Sri Lanka-Sumatra-China, onde se notou um aumento de 50% na quantidade de dióxido de nitrogênio.

O Dr.Tournadre disse esperar que este novo estudo permita um maior entendimento, por parte da comunidade científica, de como as atividades humanas estão afetando o eco sistema marítimo e aumentando os modelos de poluição atmosférica em mar aberto.



O estudo é o primeiro a acompanhar a movimentação de navio em escala mundial. O tráfego naval é monitorado usando o Automatic Identification System (AIS), que acompanha com bastante precisão o movimento dos navios quando estão próximo da costa, mas é limitado quando estas naves estão em alto mar. O sistema empregado no estudo, utilizou as mesmas técnicas, com o uso de satélites, que vem sendo utilizada para monitorar o movimento dos icebergs.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

H-D Ultra Limited: Capacidade de Bagagem Menor?


Minha esposa e fiel garupa reclamou que a capacidade de bagagem da Ultra Limited 2014 era menor do que a nossa Ultra Glide 2007.

Eu disse que era impossível, pois a Ultra Limited 2014 tem uma capacidade de bagagem maior, segundo a Harley-Davidson; 4% a mais no Tour-Pak e 1% a mais nos alforges.

Para tirar a dúvida, resolvi medir as bolsas que vem junto com as motocicletas e que se encaixam nos alforges e no Tour-Pak.

Que surpresa!!!

As bolsas da Ultra Classic Electra Glide 2007 tem um volume equivalente a 91 litros.
Já as bolsas da Ultra Limited 2014 tem um volume equivalente a 62 litros.
(A margem de erro é 5% para mais ou para menos com um nível de confiança de 95%)

A bolsa do alforge da Ultra 2014 em cima da bolsa da Ultra 2007. Claramente menor.
Das duas, uma: ou a Harley-Davidson aumentou o volume dos bagageiros, como afirma, mas resolveu fazer bolsas menores — o que não faz o menor sentido — ou o aumento do volume de bagagem é propaganda enganosa.

Entrei em contato com o SAC da H-D Brasil.  O atendente ficou surpreso com meu questionamento, mas protocolou (2360414) e ficou de me informar. Vamos ver o que respondem. 

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Brrrrrrrrr !!!!

Hoje, em Buffalo, NY.
Parece que o inverno vai ser bastante rigoroso no Hemisfério Norte, este ano.

No norte dos Estados Unidos a temperatura máxima chegou a 12°C negativos, hoje. 

Mesmo na Flórida, a temperatura era de 2°C em Ocala, na parte norte-central do estado.

As fotos do dia, no norte do estado de New York, dão a dimensão da nevasca que caiu na região.





Já pensou a trabalheira para tirar o carro da garage e ir para o trabalho? 

Melhor ir de moto, eu acho. Moto de neve, é claro!