terça-feira, 31 de maio de 2011

Bate-e-Volta a São Bento do Sul - Alpenbier Restaurante - Sábado 4 Junho

Fundado em 1998, o Alpenbier logo atraiu clientes de todo o Brasil que vinham a São Bento do Sul, SC, para conhecer e provar suas cervejas artesanais e sua deliciosa comida. Em 2008, a microcervejaria foi fechada e uma adega inaugurada, atualmente com mais de 300 rótulos de vinhos das melhores vinícolas do Brasil e do Exterior. As cervejas, agora, são fornecidas pela Eisenbahn e pela Schormstein, com vários rótulos de diferentes fermentações, maltes e sabores, desde a leve Pilsen até a encorpada Strong Golden Ale.
.
A gastronomia continua moderna, com cuidado, apreço, sabor e requinte que marcam os sólidos princípios dos Chefs mais experientes.


O passeio, organizado pela RoqueTour - Passeios de Qualidade - acontecerá neste sábado, dia 4 de Junho.

A saída de Balneário Camboriú está prevista para acontecer às 09:30 horas, com concentração no Auto Posto PHD, na Av. do Estado 5000. 


O percurso, estimado em 160 quilômetros, seguirá pela BR-101 Norte até o acesso à Jaraguá do Sul. Daí, seguindo pela BR-280 Oeste, até ao acesso a São Bento do Sul. O retorno é livre.

O cardápio será do tipo buffet, ao preço de R$32,50 por pessoa, com as bebidas à parte.
Serão servidos:
  • Três tipos de salada
  • Filé Mignon ao molho Madeira
  • Salmão Grelhado com molho de limão
  • Peito de Frango Grelhado com molho à base de requeijão e presunto
  • Arroz Piemontês, batatas cozidas e nhoque de trigo na manteiga.
  • Sobremesa: salada de frutas e mousse de chocolate.
Fotos de passeio anterior aqui.

Trânsito Afeta Comportamento Social

“Disputa” por espaço gera conflitos nas ruas
Estresse gera agressividade nos motoristas

As causas podem ser variadas, mas o fato é que o mau comportamento dos motoristas nas ruas do País está à beira do limite. Aumento desenfreado do trânsito, ausência de um transporte público adequado, ruas que já não comportam o grande volume de carros, muitos compromissos e a necessidade se deslocar surgem como possíveis causadores de ansiedade e estresse que geram a agressividade em motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.
Estresse gerar agressividade nos motoristas
Especialistas afirmam que a disputa por cada metro quadrado pode desencadear o ódio de condutores e pedestres, mas isso se dá, por outro lado, porque nenhum deles foi capaz de compreender que o espaço não lhes pertence. Ou seja, o carro é seu, mas o lugar público precisa ser compartilhado por todos.
As dificuldades de convivência estão presentes em qualquer tipo de relacionamento. No trânsito, um espaço de relações diárias não escolhidas, esses problemas crescem, provocando intolerância e desrespeito. De acordo com Luis Carlos Presutto, capitão comandante da Polícia Militar de Jales, interior de São Paulo, a rivalidade surge como consequência.

“É o taxista que odeia o motoboy, que odeia o condutor de veículo de passeio, que odeia o pedestre, que odeia o ciclista, que odeia o motorista de ônibus, que odeia a todos aqueles que impedem o fluxo livre do coletivo”, destacou.
Acúmulo de sentimentos não tem origem no trânsito
De certa maneira, a permissividade e o sentimento de impunidade ampliam a gravidade das infrações. É difícil determinar, segundo aqueles que estudam o tema, o que vai provocar uma reação explosiva ou exagerada.

Ela costuma ser consequência de um acúmulo de sentimentos, que normalmente não têm origem no trânsito, mas são provocados basicamente por pressão e estresse, seja da família e do trabalho.

Para Fabio de Cristo, psicólogo da UNB (Universidade de Brasília), que estuda o comportamento no trânsito, nas ruas certas reações dos motoristas ganham maiores proporções. “Pelo fato de já sairmos com a emoção afetada usamos o outro como forma de descarregar nossa frustração, com agressão e xingamentos”.

“O motorista acha que foi uma situação injusta ou uma falta de direito do outro e, por isso, reage com raiva, agressividade e vontade de ferir o outro”, relata.

Acessos de fúria

O psicólogo prossegue, “o que alimenta esses acessos de fúria é a impossibilidade de se comunicar. Vidros fechados e escuros nos levam a interpretar erroneamente a atitude do outro e sempre acabamos vendo uma ação como uma tentativa de nos prejudicar, mas nem sempre é isso”, destaca.

Em artigo publicado no portal Uol, José Roberto Leite, médico comportamental do departamento de psicobiologia da Unifesp, relata que tais reações podem ser controladas. "A sociedade deveria ter uma preocupação mais efetiva. Não adianta apenas coibir e punir, precisamos aprender a lidar com o comportamento”, considerou.

Para o especialista, é preciso uma abordagem mais coletiva, por exemplo, ensinar certas estratégias, como a meditação e técnicas de relaxamento que auxiliam no tratamento do estresse. Segundo ele, as medidas tornam-se mais eficientes que os atuais cursos de reciclagem sobre as leis de trânsito.
Fonte: Webtranspo

domingo, 29 de maio de 2011

Harley-Davidson e a Lei

A história da Harley-Davidson e os agentes da lei começou em 1908, com a entrega da primeira motocicleta para o Departamento de Polícia de Detroit, Michigan.
A partir de então, milhares de polícias no mundo inteiro - além de unidades militares - utilizam motocicletas H-D.

Policial Lester Scott, da Polícia de Springfield, Missouri, em 1931
Atualmente, mais de 3.400 Departamentos de Polícia nos Estados Unidos utilizam motocicletas Harley-Davidson. A Harley-Davidson é também a motocicleta mais utilizada para escolta em 45 países em todo o mundo.

Policiais da Polícia Estadual do Estado de Rhode Island
Harley-Davidson Trike, da Escolta Presidencial - Washington, DC
Outras marcas utilizadas pelos policiais são a BMW (muito popular na Europa), Honda e Kawasaki. Esta última foi popularizada pela série CHiPs, exibida na rede NBC de 1977 a 1983, mas não teve muito sucesso nos Estados Unidos, devido à sua fragilidade e alto custo de manutenção.


Astros principais da série CHiPs
No Brasil, já é uma tradição ver agentes da Polícia Rodoviária Federal e militares do Exército e da Marinha utilizando as Road King Police.

Road King Police, do Corpo de Fuzileiros Navais
Militares da Polícia do Exército, fazendo treinamento
Agentes da Polícia Rodoviária Federal
Muitas Polícias Militares também utilizam a marca, como foi demonstrado pela Polícia Militar de São Paulo, por ocasião da Autostar Harley-Davidson Parade, recentemente.

Polícia Militar do Estado de São Paulo


sexta-feira, 27 de maio de 2011

Million Mile Monday

Inciado em 2008, o Million Mile Monday é um evento mundial do Harley Owners Group (H.O.G.) que convida os Harleyros a subir em suas motocicletas e fazer algumas milhas de rodagem na última segunda-feira do mês de Junho. Com este evento, abre-se a temporada de viagens e passeios do verão do hemisfério norte, período de maior intensidade no uso de motocicletas na América do Norte e na Europa.


A idéia é de que naquela segunda-feira, cada um de nós tomemos nossas Harleys e façamos algum passeio com elas. Mesmo que seja para tomar um café, ir ao trabalho ou visitar um amigo.

No primeiro ano, 2008, o evento foi realizado na segunda-feira 30 de Junho. Foram registradas 3.000.960 milhas (4.829.576 km), em todo o mundo. No ano passado (2010), foram registradas 4.373.937 milhas (7.039.170 km) rodadas na segunda-feira, 28 de Junho.

Em 2011 o evento será maior ainda, pois os Harleyros estão sendo incentivados a convidar os amigos que pilotam motocicletas de outras marcas, a se juntar ao grupo. Cada milha (ou quilômetro) rodada na segunda-feira, dia 27 de Junho, será adicionada a um odômetro virtual que somará todas as milhas do dia.
A meta para 2011 é atingir 5 milhões de milhas.

Maiores informações aqui.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

1º Harley-Davidson Autostar Parade Reúne Quase Mil Motocicletas


A Harley-Davidson promoveu no último sábado, dia 21 de maio, o 1º Harley-Davidson Autostar Parade. O evento, que contou com cerca de mil motocicletas circulando pelas ruas de São Paulo, foi realizado em comemoração à inauguração oficial da primeira concessionária da marca na cidade neste novo momento da empresa no Brasil, a Autostar Harley-Davidson.

“Estamos muito felizes com o resultado deste evento. A maciça presença de motociclistas e apaixonados pela Harley-Davidson só provou o quanto esta marca é forte e com potencial de crescimento enorme no Brasil. Ainda teremos muitas outras atividades para estreitar o relacionamento com nossos clientes”, afirma Longino Morawski, diretor-superintendente da Harley-Davidson do Brasil.

O passeio foi ainda mais marcante graças à presença da lenda do motociclismo mundial, Willie G. Davidson, mais conhecido como Willie G., vice-presidente de Design e neto do fundador da empresa, dando a largada do passeio.

Os cerca de mil motociclistas e seus acompanhantes aproveitaram o dia ensolarado e saíram do estacionamento do Autódromo de Interlagos em comitiva pelas principais ruas e avenidas de São Paulo, finalizando o percurso em frente à Autostar Harley-Davidson.

“Foi muito gratificante ver a emoção dos participantes depois do passeio, muitos relatando a alegria de rodar ao lado de outras mil motocicletas depois de tanto tempo, inclusive os membros do H.O.G. (Harley Owners Group). Agradecemos o apoio da Polícia Militar do Estado de São Paulo, da CET e da SPTuris, que garantiram a tranquilidade e o conforto de todos os motociclistas”, finaliza Júlio Vitti, gerente de Marketing, Relações Públicas e Produto da Harley-Davidson do Brasil.

Para fazer download das fotos do 1º Harley-Davidson Autostar Parade, acesse o hotsite www.printerpress.com.br/harleydavidson.


A Harley-Davidson Motor Company produz motocicletas Custom, Cruiser e Touring de alta cilindrada e oferece uma linha completa de peças, acessórios, equipamentos e produtos em geral. Para informações adicionais, acesse o site da Harley-Davidson em www.harley-davidson.com.br.
Texto e fotos: Printer Press

terça-feira, 24 de maio de 2011

O Museu da Harley-Davidson Inaugura Exposição

Com mais de 108 anos de história, o Museu da Harley-Davidson tem todo tipo de informação guardada em seus arquivos. Algumas surpresas serão mostradas com a abertura de uma exposição especial para o verão americano de 2011, a Coleção X: todo tipo de motocicleta exótica e protótipos nunca antes disponíveis ao público.

Nos seus mais de cem anos de existência, a H-D pesquisou e desenvolveu protótipos de motocicletas que nunca foram fabricadas ou que nunca foram colocadas à venda nas lojas dos revendedores da marca. A exposição será aberta no próximo dia 11 de Junho e ficará no museu até 21 de Agosto de 2011.

Entre as muitas peças em exposição, os entusiastas poderão ver os motores desenvolvidos no início do século XX  a Harley fabricou motores para quase tudo, de cortadoras de grama a drones militares  assim como veículos, fotografias, roupas e acessórios. E os apreciadores da cultura pop (e de qualquer coisa fora do comum) poderão apreciar uma imensa variedade de itens nunca mostrados, desde camisetas, cintos e fivela até invenções, como a luz de freio no capacete.


Entre os protótipos que estarão em exibição, estão incluídos um triciclo desenvolvido no início dos anos 2000, com duas rodas na frente e uma roda atrás e outro, desenvolvido em 1981. Outra peça interessante é um modelo na escala 3/4 todo feito em couro, das rodas ao guidão. Até as velas de ignição, corrente, válvula do combustível e as ferramentas foram feitas de couro.


O modelo foi feito manualmente no ano 2000 por artesãos da Red Moon, uma companhia japonesa especializada em produtos em couro. Consumiu o trabalho de 20 pessoas durante dois anos para completar a obra, uma homenagem à Harley-Davidson, na celebração dos décimo aniversário da Red Moon.

Outra peça que vai chamar a atenção dos visitantes, é o tranformador elétrico que foi usado na fábrica principal da Harley-Davidson, em Milwaukee, de 1913 até o final dos anos 1990. O que é mais impressionante é que até o início de 2011 este transformador era usado como reserva, no prédio da Avenida Juneau, onde é, hoje, a sede corporativa da Harley-Davidson. Na exibição há fotografias mostrando o transformador, desde o dia que foi entregue pela General Electric, em 1913, até os dias atuais. Naquele tempo, a Harley era o maior consumidor de energia elétrica em Milwaukee e a única empresa a ter uma fornalha elétrica.

O museu da Harley-Davidson fica na 400 West Canal Street e fica aberto durante o ano todo.
Maiores informações aqui.

sábado, 21 de maio de 2011

Parada H-D em São Paulo - Fotos

Cerca de 800 motocicletas participaram do desfile organizado pela Autostar Harley-Davidson, em São Paulo.
O desfile começou no Autódromo de Interlagos e seguiu pela Marginal de Pinheiros . . .
. . . cruza a Ponte Estaiada . . .
. . . e segue até à Autostar Harley-Davidson, primeira concessionária inaugurada no Brasil, depois que a Harley-Davidson Motor Company assumiu as operações da marca no país, em Fevereiro de 2011.

Fonte: Printer Press
Fotos: Divulgação

sexta-feira, 20 de maio de 2011

TLC na H-D

TLC é o acrônimo para "Tender and Love Care", expressão americana que equivale ao nosso "tratar com carinho".

No casos das Harleys, indica o cuidado que tevemos ter com nossas motocicletas, para que continuem a nos dar a alegria de pilotá-las por muitos anos.


Desde a primeira motocicleta fabricada em 1903, a H-D sempre usou correias para transmitir a potência do motor para a roda traseira. Claro, naquela época eram feitas de couro, muito diferente do material moderno usado nas correias de transmissão de hoje. As correias são mais eficientes e requerem menos manutenção que correntes ou cardã.

Mas, mesmo assim, a correia não é a prova de balas! Entretanto, com um TLC a correia será usada sem problemas por dezenas de milhares de quilômetros. O importante é verificar periodicamente a tensão da correia e inspecioná-la regularmente. Sempre que possível - quando lavar a motocicleta, por exemplo.

O procedimento é fácil: o mais complicado é tirar a roda traseira do chão, para que possa girar livremente. No meu caso, minha Ultra tem um descanso central que pode ser regulado para isto. A outra solução é utilizar um macaco hidráulico. Mas faça isso com muito cuidado, para não derrubar a motocicleta e nem se machucar.

Com a roda traseira fora do chão, gire-a com cuidado, examinando cada dente da correia, aproveitando para limpá-la com um pano limpo e detergente neutro. Procure por rachaduras, dentes avariados, desgastes excessivos ou pedras/pequenos detritos encravados na correia. Avarias causadas por pedras não são críticas, desde que não tenham ocorrido nas laterais da correia. Neste caso, a correia deve ser trocada. O mesmo acontece se houver rachaduras significativas ou falta de algum dente.

Em caso de dúvida, peça a opinião do seu mecânico de confiança.
Fonte: Revista HOG

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Passeio H-D Campinas

Parada H-D em São Paulo

Quem Pilota Uma Harley-Davidson?

"Harley-Davidson é motocicleta para velhos!"
Eu já ouví esta expressão uma quantidade de vezes e sempre respondo com um sorriso. Pelo menos se dependesse da minha vontade, eu teria comprado uma Harley quando me formei Oficial da Marinha, lá nos idos de 1967. Não comprei por que não tinha o dinheiro!

Para muita gente, Harleyros são um bando de homens de meia-idade já com os cabelhos grisalhos. Quanto engano . . .

Lí um artigo muito interessante sobre o tema. O articulista, Matt King-editor da revista HOG, informa que a H-D vende mais motocicletas para pessoas com menos de 35 anos do que qualquer outra marca, nos Estados Unidos.

Uma pesquisa conduzida desde 2008, examinou todos os registros de motocicletas vendidas nos EUA acima de 250cc e descobriu que a Harley-Davidson é a marca preferida para jovens adultos entre 18 e 24 anos. Em 2009 a liderança da H-D aumentou ainda mais. Se a pesquisa for para motocicletas acima de 650cc, a liderança da Harley já vem há muito tempo.

Há uma tendência em acreditar que os jovens da atualidade só se interessam por jogos eletrônicos, mas asestatísticas estão provando que não é bem assim. O pessoal de Milwaukee estuda esta tendência, observando o percentual da população americana que pilota motocicletas. A constatação é de que o número de motociclistas entre 18 e 34 anos vem aumentando a cada ano. No Brasil, nem se fala. As motocicletas e motonetas vem vivendo uma explosão de consumo há mais de 10 anos. Estes jovens, que usam as pequenas motocicletas de 125cc a 250cc para ir trabalhar ou estudar, logo serão consumidores de motocicletas de maior porte, com certeza.


Outro fator interessante nas pesquisas conduzidas nos EUA, é sobre motocicletas usadas. Os concessionários Harley-Davidson venderam mais de 200.000 Harleys usadas para adultos com menos de 34 anos, desde 2006 (quando começou a estatística). E este número vem crescendo a cada ano. 94% desses novos motociclistas declararam, nas pesquisas, que vão escolher uma Harley quando forem trocar suas motocicletas. A outra marca considerada foi citada como alternativa por sómente 15%.

Não importa a sua idade ou a marca que você pilota; é sempre bom saber que as novas gerações vão estar dividindo as estradas conosco. E esta convivência - experiência e juventude - só pode ser benéfica para todos.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Touring 2008 - Barulho na primária!!

O Comte. Maccori publicou uma postagem com o título acima, em seu blog.

Diz o seguinte:

"As Touring 2008, e mais novas (motor de 96" cúbicas), tem apresentado um barulho na caixa da transmissão primária quando o motor é desligado. A sensação é que algo está quebrado. O barulho vai aumentando com a quilometragem, mas aparece logo depois dos 1600 kms.

Como sempre, a explicação dos mecânicos das autorizadas, é de que isso é normal. Como dizem: "é uma característica do modelo". Não se sabe de um "recall" para reparar o problema.

O problema está na falta de qualidade, para não chamar de erro de fabricação, dos componentes do sistema de contra-choque do motor. Essa peça tem a função de reduzir o esforço gerado no sistema de embreagem sobre o eixo do motor.

Os saudosistas, como Eu, que entendem que o motor EVO é tudo de bom, com peças duráveis e mecânica confiável, observam que os TC estão se tornando máquinas descartáveis, onde os desgastes estão aparecendo com pouco uso. "

Harley-Davidson do Brasil Faz Promoções

A Harley-Davidson do Brasil lançou duas promoções no seu site.

A primeira é um evidente esforço de cadastrar os proprietários de H-D no Brasil, informação obviamente perdida com o fim do Grupo Izzo como revendedor exclusivo.
Com esta iniciativa, a Harley-Davidson poderá organizar melhor o H.O.G. no Brasil e promover a criação dos chapters locais.


Acredito que todos os Harleyros devem prestigiar esta iniciativa e registrar-se, mesmo aqueles que são membros do H.O.G. nos Estados Unidos.
Leia o regulamento aqui.

A outra iniciativa é um Concurso Cultural. Basta cadastrar-se e enviar até 3 fotografias sob o tema "Minha Vida Sobre Duas Rodas". As 15 melhores fotos ganham uma viagem com acompanhante a Milwaukee, cidade-sede da Harley-Davidson Motor Company, com direito a visitas ao Museu e à fábrica.
Veja mais detalhes aqui.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Frota Fantasma


.

Eles não pagam impostos, não fazem vistorias de segurança, ignoram multas e, é claro, não tem nenhum compromisso com as leis de trânsito. Os veículos irregulares, que circulam longe dos olhares dos fiscais de trânsito, representam pelo menos 30% da frota brasileira, segundo estimativa do Departamanto Nacional de Trânsito (Denatran).



No município de São Paulo, que conta com um órgão de trânsito organizado e uma fiscalização massiva na região central, esse número passa dos 35%. Na última inspeção veicular, vistoria ambiental exigida a todos os automóveis da capital, 31% dos carros não apareceram para a verificação. Entre os caminhões e motocicletas, esse índice passou de 50%. 

Os números da maior metrópole indicam que o cenário pelo Brasil pode ser ainda pior. “Se um terço dos veículos circulam ilegalmente em São Paulo, onde existe uma presença concreta e efetiva do estado na rua, esse índice pode chegar aos 50% no país todo”, afirma o engenheiro Sergio Ejzenberg. Para o mestre em transportes pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, falta celeridade na aplicação das leis. “Os carros rodam sem terem sido licenciados e ninguém faz nada, fica por isso mesmo”, diz. “Existe uma omissão do poder público em relação à segurança no trânsito que eu classificaria como criminosa.”

.

Quanto mais velho, melhor – A ameaça à segurança no trânsito se estende aos automóveis mais antigos, mesmo que estejam com os impostos em dia. Enquanto em outros países os proprietários de veículos velhos pagam mais pela poluição extra e pelas condições precárias de segurança, por aqui eles são premiados com a isenção no Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). A taxa é calculada com base no valor do bem. Veículos usados (com idade mínima entre dez e 25 anos, dependendo do estado da federação em que estejam registrados) têm direito ao abono.
Em São Paulo, possuir um carro fabricado há 20 anos custa dez vezes menos que manter um automóvel novo na garagem (veja quadro). Quando se fala em qualidade do ar, o veículo antigo pode poluir, segundo os parâmetros tolerados na inspeção ambiental em São Paulo, até onze vezes mais. E eles não são poucos. No estado, os carros que já completaram a segunda década de vida representam 23% da frota circulante. 

Segundo a Secretaria da Fazenda, que prevê uma arrecadação de 9,5 bilhões de reais com o tributo neste ano, cobrar o IPVA de carros tão antigos não vale a pena por conta das tarifas dispensadas com as cartas de cobrança. “Esses veículos não são obrigados a nada, então a lógica é quanto mais velho, melhor”, critica Ejzenberg. “Eles não têm a mesma estabilidade nem freios tão eficientes, estando muito mais propensos a acidentes.”
Certificado de segurança – Um freio gasto ou um pneu careca não impedem um veículo de renovar o licenciamento. O respeito às condições ideais de segurança hoje depende exclusivamente do bom senso de cada motorista. “Grande parte dos acidentes ocorre por falhas mecânicas”, diz o diretor do Denatran, Orlando Moreira da Silva. “Esse problema seria amenizado com a obrigatoriedade de uma inspeção técnica.” Tal vistoria, que contemplaria os itens de segurança e as condições dos equipamentos de um veículo, está prevista no Código Brasileiro de Trânsito desde 1997. Mas até hoje não saiu do papel.

O órgão responsável por determinar a obrigatoriedade da inspeção é o Conselho Nacional de Trânsito, coordenado pelo Denatran. Bastaria uma resolução para instituir a inspeção veicular de segurança, mas a decisão definitiva ainda não foi tomada. O departamento alega que aguarda a decisão de um projeto de lei que trata do assunto, mas a proposta já completou dez anos tramitando no Senado. 

“Se a inspeção técnica fosse exigida, os veículos com mais de quinze ou vinte anos sairiam de cena naturalmente, pois a manutenção é muito cara”, afirma Sergio Ejzenberg. “Ou investimos nisso ou continuaremos lastimando acidentes horríveis como caminhões que perdem o freio e atropelam outros carros.” 

O Rio de Janeiro é o estado que mais se aproxima da vistoria prevista em lei. Desde 1997, todos os veículos são obrigados a passar por uma inspeção em que são vistoriados os sistemas elétrico, de iluminação, sinalização, o uso de equipamentos obrigatórios e a emissão de gases. No ano passado, dos 2,6 milhões de veículos que quitaram o IPVA, 80% realizaram a vistoria.
Fonte: Veja.com

sábado, 14 de maio de 2011

Costela Fogo de Chão

O Grupo Amigos HD de Curitiba está promovendo um passeio no próximo Sábado, dia 21de Maio.
.

Saída às 11:00, da The One Harley-Davidson, na Rua General Mário Tourinho, 1055.

Convites podem se adquiridos no Emporio e Adega Bacacheri, Paraguassú Grelhados e Café Metrópolis.

O Besouro Verde chega às locadoras com uma Harley-Davidson entre as suas estrelas

Milwaukee, WI (10 de Maio de 2011) - Modelo V-Rod Muscle®, da família VRSC, passou por modificações para se tornar a moto do personagem Kato

O longa-metragem “O Besouro Verde”, do diretor Michel Gondry, chega a partir de 20 de junho às locadoras no Brasil, com um combo especial contendo DVD e Blu-ray 3D. O personagem Kato, companheiro do protagonista Britt Reid, se destaca em várias cenas em uma Harley-Davidson V-Rod Muscle®, da família VRSC. Em um dos trechos de maior ação, Kato persegue criminosos pelas ruas de Los Angeles com sua motocicleta.

Para fazer parte do filme, o modelo passou por diversas modificações que o deixou com visual ainda mais agressivo. Entre elas estão a alteração do escapamento e recuo das pedaleiras, a rabeta estilo chopped, o farol dianteiro do tipo one-off LED, as rodas V-Rod Destroyer e o visual dark com pintura preta fosca em diversas partes da moto.

Exibido nos cinemas brasileiros em fevereiro e sucesso das bilheterias, o enredo é uma releitura de uma clássica série de TV de 1966, na qual Bruce Lee interpretava o ajudante Kato. A trama narra a vida de Britt Reid (Seth Rogen), um milionário de 30 anos, que se vê obrigado a assumir os negócios da família a partir da morte misteriosa de seu pai. É justamente nesse momento que Britt conhece Kato e, juntos, decidem criar o herói Besouro Verde, com o objetivo de conter a criminalidade em Los Angeles.

V-Rod Muscle®
O modelo, disponível no Brasil, é equipado com o motor Revolution® de 1.247 cm3 de cilindrada, desenvolvido em parceria com a Porsche. Pertencente à família VRSC, a motocicleta possui rabeta encurtada estilo drag-bike, lanterna traseira de LED, pneu traseiro de 240 mm, banco de duas peças para duas pessoas e freios com sistema ABS de série equipados com discos duplos e cálipter de quatro pistões na roda dianteira e disco simples na roda traseira, entre outras características.

A V-Rod Muscle® é comercializada na rede de concessionárias Harley-Davidson em quatro cores por R$ 46.500,00 (na cor Vivid Black).

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Harley-Davidson abre mais duas concessionárias no País

Milwaukee, WI (9 de Maio de 2011) - Rio de Janeiro e Paraná passam a contar com concessionárias da marca

Em continuidade ao cronograma de abertura de sua rede de concessionárias, a Harley-Davidson anuncia o início da operação de novos pontos em cidades estratégicas para a ampliação da cobertura de mercado e atendimento aos clientes: A RIO Harley-Davidson, no Rio de Janeiro (RJ), e a The One Harley-Davidson, em Curitiba (PR).

“Estamos trabalhando de forma incansável para estabelecer uma rede abrangente de vendas e serviços para oferecer ao consumidor a qualidade e a experiência premium da Harley-Davidson pelo Brasil”, afirma Longino Morawski, diretor-superintendente da Harley-Davidson do Brasil.

As duas novas concessionárias vêm se somar a Autostar Harley-Davidson, localizada em São Paulo (SP), a BH Harley-Davidson, que fica em Belo Horizonte (MG), e a Tennesse Harley-Davidson, de Campinas (SP), que já deram início às suas operações tanto de vendas quanto de pós-vendas.

As novas concessionárias começam suas atividades em instalações temporárias e estão alinhadas com a prioridade da marca de proporcionar uma experiência Premium aos seus clientes, focando inicialmente no atendimento de pós-vendas. Os centros de serviço estão habilitados a efetuar revisões, serviços em garantia e assistência técnica em geral, com agendamento prévio. As operações de vendas nestas praças terão início nos meses subsequentes.

“Estamos seguindo a mesma ordem adotada nos primeiro pontos da rede abertos ainda em fevereiro nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte. O foco inicial está em garantir que nossos clientes sejam atendidos com o mesmo nível de excelência que a Harley-Davidson dedica aos seus consumidores em outras partes do mundo”, complementa o diretor-superintendente.

A Harley-Davidson manterá um canal de comunicação claro e contínuo com seus clientes. Para obter informações sobre concessionárias, serviços e demais informações sobre a marca, os consumidores podem entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800 724 1188 ou, ainda, pelo e-mail sac@harley-davidson.com.br.

Confira os endereços das novas concessionárias:

RIO Harley-DavidsonAvenida das Américas, 14.800 – Lojas A, B e C
Rio de Janeiro – RJ
Telefone: 21 9602-5849

The One Harley-DavidsonRua General Mário Tourinho, 1.055
Curitiba – PR
Telefone: 41 3330-2200

Limpar e Inspecionar

Há um ditado que diz: "Uma motocicleta limpa roda melhor".
.
Claro que há muitos motociclistas que acham que a motocicleta só será lavada quando chover forte. Como sempre, é uma questão de opção pessoal e eu respeito.
 .
Entretando, segundo Chris Tribbey, Gerente de Serviços da Harley-Davidson Motor Co., uma motocicleta limpa vai dar menos problemas na estrada. E explica: "quando você limpa a poeira de lugares como as manetes e o disco de freio, por exemplo, você melhora o desempenho dessas importantes partes e aumenta sua vida útil". E continua, "e o mais importante é que quando você lava sua motocicleta, tem a oportunidade perfeita de fazer uma inspeção completa," finaliza.
 .
A inspeção completa, chamada de T-CLOCS por suas iniciais em inglês, é uma sugestão da Motorcycle Safety Foundation, para que os motociclistas façam uma inspeção completa de sua máquina, antes de sair para uma viagem ou passeio.

"Quando você lava sua moto, tem a oportunidade de tocar e manusear muitas partes que, de outra forma, ficam esquecidas," continua Tribbey. "É fácil, neste momento, ver se há alguma coisa solta, como uma manete ou pedaleira. Quando está limpando os cromados, poderá sentir se há algum ponto de oxidação. Lavando os pneus é uma excelente oportunidade para verificar o estado dos raios, o desgaste dos pneus ou uma válvula de ar perdida."
. 
Estes são apenas alguns exemplos de que lavar sua motocicleta não sómente melhora seu desempenho na estrada, mas também prolonga sua vida útil.
 .
Os pontos básicos do T-CLOCS são:
Pneus e rodas: profundidade dos sulcos, desgaste, objetos presos nos sulcos, raios soltos.
Controles: pedais, cabos, mangotes, acelerador, etc.
Luzes: farol, luz de freio e de ré, sinaleiras, conjunto ótico.
Óleos e fluídos: nível, vazamentos, etc.
Chassis: situação do quadro, suspensão, correia, etc.
Descanso: rachaduras, empeno, tensão da mola.
Pilote sempre com segurança.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Importação de Gasolina Pela Petrobrás

A Petrobras fechou a importação de 1 milhão de barris de gasolina para abastecer o mercado brasileiro em maio. Com isso, as importações do derivado nos cinco primeiros meses do ano vão chegar a 2,5 milhões de barris. 
(Em todo o ano de 2010 foram importados 3 milhões de barris - nota do autor)

O diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, afirmou que o consumo dos derivados de petróleo no primeiro trimestre subiu 4,5%, e acrescentou que a gasolina está próxima dessa média. Além de gasolina, a Petrobras importou este ano diesel, a uma média de 70 mil barris por dia, e gás liquefeito de petróleo (GLP), o que, segundo ele, foi comprado "de forma esporádica" ao longo do ano.

Costa ressaltou que as importações de gasolina não ameaçam a tendência de o superávit comercial da empresa fechar o ano com alta expressiva. O diretor ponderou que ainda não há uma estimativa para o desempenho do saldo comercial em 2011, mas garantiu que o valor será positivo. O executivo destacou que a empresa tem batido recorde de produção de gasolina nas refinarias, com cerca de400 mil barris diários, volume próximo ao consumo brasileiro.

"A importação de gasolina é pequena, cerca de seis dias de consumo", disse o executivo. No ano passado, a empresa importou 3 milhões de barris de gasolina. O diretor negou que a companhia esteja estudando, no momento, novas importações.

Segundo ele, a importação de 2,5 milhões de barris de gasolina este ano até maio é consequência da intenção da companhia de manter algum produto nos estoques. "Estamos batendo recorde deprodução de gasolina nas refinarias. Fizemos mudança de catalisadores nas unidades de craqueamento catalítico e isso propiciou o aumento da produção de gasolina. Essa importação que fazemos é mais para ter um estoque de segurança", afirmou, lembrando que todas as refinarias da estatal estão operando a capacidade plena, entre 1,85 milhão e 1,9 milhão de barris por dia de derivados. "Este ano teremos menos parada para manutenção que no ano passado."

O diretor também acredita que o consumo de gasolina vá diminuir nos próximos meses com a entrada da atual safra de cana-de-açúcar no mercado. Costa afirmou que não há nenhuma decisão tomada a respeito de um possível aumento dos combustíveis nas refinarias. "Continuamos analisando dentro da visão de política de longo prazo. Neste minuto não temos nenhuma posição a respeito."
 Fonte: Valor Econômico

Com seu ufanismo patológico e megalômano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  comemorou no dia 30 de abril de 2005, com rojões e apitos, o que chamou de auto-suficiência de petróleo. 
Sem o mínimo pejo fez afirmativas que hoje mostram ser deslavadas mentiras associadas a delírios:
“O meu governo teve a felicidade de contribuir para essa vitória, porém ninguém é mais responsável por essa vitória do que o trabalhador brasileiro, que a construiu de heróica, em mais de meio século. A partir de agora, estamos livre tanto de crises de abastecimento como de oscilações agudas no preço do petróleo. Com ela, o Brasil amplia sua inserção soberana no mundo. É mais um marco de independência, como foi, igualmente, a nossa decisão de zerar a dívida com o FMI. Com estas conquistas, estamos reduzindo a nossa vulnerabilidade externa e nos tornando mais fortes e mais livres. Um símbolo de otimismo e de vitória sobre o discurso derrotista que domina certos setores da vida nacional.” 

domingo, 8 de maio de 2011

Feliz Dia das Mães


Minha homenagem a todas as mães: pilotos, garupas, incentivadoras e as que estão em casa rezando por nós, enquanto encaramos a longa estrada da vida.
.
Obrigado queridas mães. Vocês são as melhores.

Hoka Hey Motorcycle Challenge

Em 5 de Agosto de 2011 vai começar um dos maiores desafios de resistência de moto-turismo do mundo, o Hoka Hey Motorcycle Challenge
Uma viagem de mais de 16.000 km, cruzando 48 estados americanos e várias províncias do Canadá.
A prova começará em na revenda Chester's Harley-Davidson de Mesa, Arizona e terminará revenda Ramsays' Cycle em Sydney, Nova Scotia, Canadá. 
O evento é exclusivo para motocicletas Harley-Davidson de qualquer modelo ou ano de fabricação. O piloto deve ser membro do H.O.G. e ter um adesivo ou distintivo do H.O.G. na jaqueta e na motocicleta, preferivelmente no parabrisa ou no "tour-pack".
.
Cada piloto determina seu próprio ritmo de pilotagem, mas deverá observar os limites de velocidade nas rodovias percorridas. Haverá 13 pontos de verificação (check-points) ao longo da rota.
.
Nenhum piloto precisará completar todo o percurso para receber um certificado de participação e poderá entrar na prova ou sair dela em qualquer ponto de verificação do trajeto. Entretanto, aqueles que optarem por fazer todo o percurso, deverão chegar ao ponto final em Sydney, Nova Scotia em até 18 dias, para ser reconhecido.
Patrocinado pela Harley-Davidson, o evento tem assegurado mais de US$50.000 em premios oferecidos pela marca americana. O primeiro Harleyro a completar a prova, dentro dos requisitos dos organizadores, receberá uma motocicleta Harley-Davidson Custom Vehicle Operations 2012 de sua escolha. Do segundo ao quinto melhores colocados receberão prêmios em dinheiro num total de US$19.000.
.
As inscrições para o evento terminam em 5 de Julho e a inscrição custa US$1.000 por piloto.

sábado, 7 de maio de 2011

Enfim Uma Revenda H-D Em Santa Catarina?

Rumores bem fortes indicam que a Harley-Davidson do Brasil já definiu o revendedor da marca para o estado de Santa Catarina.

Segundo as mesmas fontes, a loja será instalada em Florianópolis e deverá estar funcionando dentro dos próximos meses. 

Como sempre, só o tempo dirá se esses rumores tem algum fundamento.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Baixas Temperaturas Nas Estradas - Use Luvas Adequadas

As temperaturas continuam a cair, pelo menos aqui no Sul. À medida que nos aproximamos do início do inverno, notamos a necessidade de estarmos preparados para enfrentar as baixas temperaturas, enquanto rodamos com nossas motocicletas.

Um dos itens mais importantes na vestimenta de um motociclista, são as luvas.
Luva de couro com isolamento Gore-Tex
Portanto, considere o seguinte: primeiramente, antes de decidir se uma luva de inverno é adequada, procure entender as diferenças entres os tipos e qualidades existentes no mercado. Faça perguntas, investigue na Internet sobre os materiais utilizados na sua fabricação e, se disponível, relatos feitos pelos especialistas sobre o assunto. Algumas luvas são adequadas para uma pilotagem específica, enquanto outros tipos de luvas podem ser necessárias sómente em determinadas situações.

As luvas completas, que cobrem todos os dedos, são o tipo mais comumente usado pelos motociclistas. Normalmente são compradas no inverno mas podem ser usadas em quase todas as condições de temperatura. Há outras que deixam os dedos à mostra e que são mais adequadas para o verão; mas você precisa ter uma luva completa sempre que for fazer viagens mais longas, para ter uma proteção completa, mesmo com temperaturas mais altas.
Luva em Cordura, com isolamento térmico  Thinsulite
Uma luva completa com certeza vai protegê-lo do frio e da sensação térmica agravada pelo vento originado pelo movimento da motocicleta na estrada. Se a região onde vai rodar apresenta temperaturas abaixo dos 15° C, você vai precisar de uma par de luvas com uma camada de isolamento térmico. Manter suas mãos aquecidas ajuda a ter mais conforto durante a viagem e permite melhor controle das manoplas.

Usar luvas apropriadas para baixas temperaturas evita, também, reações perigosas nos músculos e nervos das suas mãos (especialmente nos dedos), além de diminuir ou eliminar a queimadura provocada por baixas temperaturas. Eu tive uma lesão nos nervos do dedo menor de minha mão direita  provocada por uma pilotagem em baixa temperatura  que levou meses para ser curada.

Os materiais mais conhecidos e aplicados na fabricação de luvas para o inverno são Thinsulate™ e Thermolite™, como isolante térmico e Gore-Tex™ e Aqua-Tex™ como material impermeável, para o caso de chuva. O parte externa das luvas pode ser de materiais variados, mas o couro e a Cordura™ são considerados os mais resistentes à abrasão do asfalto.
Luva com isolamento térmico Thermolite
Além de proteger as suas mãos, as luvas que escolher devem proporcionar uma empunhadura correta e confortável. Uma luva muito rígida ou de espessura muito grande, dificultará os movimentos dos dedos e pode diminuir sua capacidade de atuar no freio e na embreagem de maneira adequada.

Se sua motocicleta puder ser equipada com um sistema de aquecimento de manoplas, considere esta possibilidade, especialmente se você vive nas regiões mais frias do país ou pretende viajar mais ao sul, em montanhas ou regiões sujeitas a neve e geadas.
Eu instalei um sistema de aquecimento de manoplas na minha Ultra Glide e tenho tido excelente resultados nos últimos 2 anos.

Boa sorte e lembre-se: pilote sempre com segurança.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Rodovias Federais Batem Novo Recorde de Mortes


Um total de 8.516 pessoas morreram no ano passado nas estradas federais de todo o país, número recorde pelo segundo ano consecutivo e 15,4% superior ao de 2009. A variação das mortes é quase o dobro do aumento registrado no fluxo de veículos nas principais estradas do país, calculado em 7,9% pelo Índice ABCR (da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias) e da consultoria Tendências. Um relatório geral da violência nas estradas, que divide casos por rodovias, horários de acidentes e vítimas, foi elaborado pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

O estudo serve justamente para orientar as ações do governo federal para tentar reduzir o número de mortes, que cresce ano a ano. A leitura das estatísticas mostra que os acidentes ficaram mais violentos, conforme a divisão do número de mortos pelo de involvidos. Em 2009, para cada 10 mil involvidos, 112 morreram. No ano passado, o número subiu para 148.

Outra taxa que cresceu foi a de mortos em relação ao número de acidentes. Para cada 10 mil acidentes, foram 464 mortes em 2009, contra 471 em 2010. O cenário de maior risco nas estradas ocorre no momento em que o Dnit - ligado ao Ministério dos Transportes - retomou os investimentos nas rodovias. Segundo o diretor-geral do órgão, Luiz Antonio Pagot, foram aplicados R$ 9,9 bilhões em 2010 e estão previstos R$ 10,3 bilhões para este ano.
Fonte: Folha de São Paulo
A eterna falta de manutenção e a consequente péssima condição das estradas federais (69%, de acordo com estudos da Confederação Nacional de Transportes) é a grande responsável pela maioria dos acidentes. Qualquer tribunal em país sério condenaria a União por homicídio culposo. 
Mas o cidadão brasileiro é refém indefeso desta monstruosidade chamada Governo Federal.