sexta-feira, 31 de maio de 2013

Memorial Day Thunder Ride


O Memorial Day é um feriado nacional nos Estados Unidos, comemorado na última segunda-feira de Maio.

Criado no final do século 19, para lembrar os soldados mortos durante a Guerra Civil (1861-1865), foi mais tarde ampliado para homenagear todos os membros das Forças Armadas dos Estados Unidos, mortos em ação.

Um dos eventos mais importantes neste dia é o Memorial Day Thunder Ride, quanto centenas de milhares de motociclistas se deslocam até Washington, DC. para prestar sua homenagem aos veteranos. O ponto alto da homenagem é o desfile pela capital americana.

Neste ano, o Memorial Day foi celebrado no dia 27 de Maio e mais de 250.000 motocicletas participaram. O desfile começa no estacionamento do Pentágono, percorre os monumentos em homenagem aos veteranos da Segunda Guerra Mundial, Guerra da Coréia, Guerra do Vietnã, terminando próximo ao Lincoln Memorial.

Praticamente todos os tipos de motocicletas participam da parada, mas a predominância das Harley-Davidson é óbvia.








O Thunder Ride foi realizado pela primeira vez no Memorial Day de 1988 e teve como objetivo chamar a atenção para os militares desaparecidos em combate (Missing in Action) e prisioneiros de guerra (POW) no Vietnã e que não tinham retornado ou cujos corpos não foram identificados. Cerca de 2.800 motociclistas participaram do primeiro evento.

Reportagem do Washington Post estima que cerca de 900.000 motociclistas foram a Washington no Memorial Day, vindos de todos os Estados.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Um Tributo a Todos os Motociclistas

terça-feira, 28 de maio de 2013

Tolerância Zero com Concessionária de Rodovia

O governo fechou o cerco às concessionárias de rodovias que assumiram, em 2008, a responsabilidade de ampliar e cuidar de sete trechos de estradas federais. A partir de agora, a ordem do Ministério dos Transportes é adotar tolerância zero com os atrasos de obras nessas concessões - que somam 3,1 mil km e foram realizadas durante a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

O Ministro dos Transportes, César Borges, afirmou que as multas frequentemente impostas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não se mostraram eficientes para impedir os atrasos nas obras e que, de agora em diante, a ordem é instaurar processos administrativos contra as empresas. Essa ação já está em curso. A ANTT acaba de abrir processos contra as concessionárias Autopista Litoral Sul (BR-101 SC), Autopista Planalto Sul (BR-116 PR/SC), Autopista Fernão Dias (BR-381 MG/SP), Autopista Régis Bittencourt (BR-116 SP/PR), ViaBahia (BR-116 BA) e Transbrasiliana (BR-153 SP).

Ao receber a notificação, o concessionário tem dez dias para justificar as causas do atraso e apresentar um termo de ajustamento de conduta. Se os argumentos não convencerem, o processo pode levar à caducidade do contrato e à relicitação do trecho.


A primeira notificação foi enviada à Autopista Litoral Sul (BR-101 em SC), do grupo Arteris. 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Insegurança no Trânsito - Santa Catarina

Publicado hoje, na página da Polícia Rodoviária Federal de Santa Catarina, no Facebook:


"Conforme dados do Departamento Nacional de trânsito (Denatran), a frota do estado de Santa Catarina no mês de abril de 2013 já ultrapassa 4 milhões de veículos. A quantidade de motocicletas e motonetas representa aproximadamente 24% do total de veículos.

No ano de 2012 a Polícia Rodoviária Federal do estado de Santa Catarina registrou 3.732 acidentes envolvendo motociclistas, isso representa 14% do total de acidentes. A quantidade de feridos e mortos revelam uma grande preocupação. Foram 4.021 feridos e 110 mortos.

No primeiro trimestre deste ano já foram 886 acidentes envolvendo motos, com 630 feridos e 22 mortos. As motocicletas são veículos que mais causam lesões graves no trânsito. Elas são extremamente ágeis mas também de grande fragilidade.

Para mudar esse cenário é preciso que os condutores reconheçam que desrespeitar a sinalização e abusar da velocidade pode ser tão mortal quanto dirigir embriagado.

Seja por imprudência dos próprios motociclistas ou dos condutores de outros veículos, os números são alarmantes e pedem uma rápida mudança de comportamento."


Esta proporção de acidentes com vítimas seria inaceitável em qualquer país considerado civilizado.

Nos aceitamos estes fatos lamentáveis como rotina.

Morre mais brasileiros no trânsito, anualmente, do que soldados americanos nas guerras em que estão involvidos os Estados Unidos no Oriente Médio.

Na guerra do Vietnã, morreram 52.000 soldados dos EUA. Nos temos um Vietnã caboclo a cada 14 meses.

Uma das muitas vergonhas que o nosso país carrega.

Las Vegas Terá Nova Harley-Davidson


Las Vegas, a cidade preferida por 9 entre 10 harleyros terá uma nova concessionária Harley-Davidson, no ponto mais conhecido da cidade.

Localizada no início da Las Vegas Boulevard, o famoso “strip” da cidade onde ficam os maiores e melhores hotéis, a nova loja terá 4.600m², em um terreno de 21.000m².

A antiga loja da Avenida Eastern será desativa.

O investimento será de 18 milhões de dólares e os proprietários da concessionária estão muito entusiasmados em poder oferecer facilidades maiores e melhores, no coração da cidade.

A loja será construída junto ao famoso marco “ Welcome to Fabulous Las Vegas”, no extremo sul do Boulevard, próximo ao aeroporto internacional da cidade. A inauguração está prevista para Outubro de 2014, com um grande evento comemorativo.

Projeção artística da nova loja

Os donos da revenda Harley-Davidson de Las Vegas, Don Andress e Tim Cashman, também são donos das  lojas de Henderson ( a oeste de Las Vegas) e de St.George, no estado de Utah.

A dupla tem mais  outras 10 lojas espalhadas por Las Vegas, que vendem roupas e acessórios H-D, além da mega-loja Red Rock Harley-Davidson, na esquina da Av. Sahara com o Rainbow Boulevard, com 16.000m².

Os empresários esperam um faturamento anual de US$72 milhões nas lojas do grupo, após a inauguração da nova revenda.

Atualmente existem mais de 10.000 Harley-Davidson registradas na cidade de Las Vegas, cidade que recebe 40 milhões de turistas anualmente.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

BMW Motorrad


BMW Motorrad é a marca de motocicletas da Bayerische Motor Werk AG, empresa alemã criada em 1917 e com sede em Munich, Bavária.

A BMW foi fundada como uma fábrica de motores de aviação, durante a Primeira Guerra Mundial.
Seu primeiro veículo produzido foi o Dixi, em 1928, baseado no Austin 7 e montado na Alemanha sob licença da empresa britânica Austin Motor Company, de Birmingham.

Em 1923 a BMW criou a divisão de motocicletas e sua primeira produção foi a R32, com um motor de dois cilindros opostos, conhecido como flat-twin boxer, configuração usada até hoje em alguns modelos.
A BMW Motorrad tem uma única fábrica situada em Berlin, ainda que alguns motores sejam produzidos na Áustria, China e Taiwan.

BMW R32, 1923
A maioria dos modelos de motocicletas BMW produzidos na atualidade, foram projetadas pelo engenheiro americano David Robb, nascido na cidade de Boston e formado pela Universidade da California, em Pasadena. Depois de graduar-se trabalhou na Chrysler e foi contratado pela BMW Automóveis em 1984. David Robb ocupou o cargo de Projetista Chefe da BMW Motorrad de 1993 até sua aposentadoria em 2012.

A BMW oferece seis séries de modelos:

Série C - Motonetas chamadas de Urban Mobility Vehicles.

BMW C 650GT

Série F - Motores de dois cilindros paralelos, com transmissão final com corrente ou correia. Os modelos são a F650GS, com motor chinês, F700GS, F800GS, F800R e F800GT.

BMW F800R

BMW F800GS

Série G - equipada com motor mono-cilíndrico de 450 a 650cc, fabricados em Taiwan.

BMW G650GS

Série R - motor boxer de dois cilindros opostos e transmissão cardã. Os modelos mais conhecidos são o R1200GS, R1200R, R1200RT.

BMW R1200GS 2013

Série K - motores de 4 cilindros em linha de 1157 a 1649cc e transmissão cardã. Os modelos mais conhecidos são o K1300GT e K1200R. Em 2011 a BMW lançou os modelos K1600GT e K1600GTL com motor de seis cilindros e 1649cc.

BMW K1600GTL

BMW K1300GT

S1000RR - motocicleta esportiva, com motor de 4 cilindros e 999cc, montados transversalmente.

BMW S1000RR

A BMW Motorrad produz cerca de 90.000 motocicletas por ano e seu modelo mais popular é o R1200GS, responsável por 28% das vendas da marca.


domingo, 12 de maio de 2013

Só Lembrando . . .

. . .que hoje é o Dia das Mães.

Não o evento criado pelo comércio e estimulado pela mídia para aumentar o consumo.

Mas um dia especial, para nos lembrarmos com mais carinho, ainda, pela mulher que nos proporcionou a oportunidade de vivermos neste corpo celeste, perdido na Via Láctea.


Num momento como este sinto muita saudade da minha querida mãe, que partiu para outra dimensão em 1985.

Que Deus a tenha sempre a seu lado, mamãe.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Harley-Davidson Sportster - Uma Parte da História


Se você sabe o quanto de história pode ser contada com um veículo de duas rodas, nenhum modelo pode ajudá-lo mais do que a Harley-Davidson Sportster.

Quantos modelos passaram por Elvis Presley, The Beatles, Bossa Nova, Guerra Fria e a várias versões da "Grande Família", continuando tão atual?

Nenhum outro modelo de motocicleta supera a Sportster em longevidade ou riqueza histórica. Esta motocicleta foi das pistas de corridas às estradas do mundo afora e continua nova como nunca, depois de 56 anos.
Durante a Segunda Guerra Mundial, os milhões de soldados e marinheiros americanos lutando nas várias frentes de batalha, tomaram conhecimento da cultura de várias civilizações. E trouxeram para casa, quando a guerra acabou, o gosto por várias novidades: pizza, cervejas européias e motocicletas britânicas.

Uma motocicleta leve e ágil não era fácil de encontrar nos Estados Unidos, na primeira metade do século passado. As pesadas Harley, Indian e outras, dominavam o mercado americano.

No final dos anos 1940, com a Indian já quase falida, a Harley-Davidson não tinha muita concorrência em casa. Ter uma motocicleta leve significava "descascar" uma H-D Flathead, tirando o máximo de peso possível. E a Motor Company não se preocupou com o assunto até as motocicletas britânicas invadirem o solo estadunidense no início dos anos 1950.


Isto levou a H-D a introduzir no mercado suas motocicletas da série K, em 1952.

O motor das K já era uma revolução em sí mesmo. Compacto, com tudo dentro do mesmo corpo, ainda com a transmissão final por corrente. Mas trazia uma nova suspensão, alavanca de mudança de marchas no pé e garfos telescópicos na roda da frente.

Mas, mesmo assim, as H-D K não eram páreo para as BSA, Norton e Triumph, mais ágeis.
Em 1954 a Harley-Davidson aumentou a cilindrada do motor ao lançar o modelo KH, de 45 cu.in. para 54 cu.in (883 cc), mas isto não impediu a morte prematura dos modelos K.

Mas a HDMC aprendeu a lição e lançou a Sportster XL em 1957, incorporando tudo que havia de bom no modelo K e um motor com válvulas no cabeçote. O novo motor, ainda que com o mesmo volume de 883 cc, tinha um cilindro mais largo e com curso menor, resultando numa melhor aspiração, maior rpm e velocidade de cruzeiro. O cabeçote de ferro fundido deu ao modelo o apelido que todo "bad guy" gostaria de ter: Ironhead. Naquele tempo a maioria dos motores tinham cabeçote de ligas mais leves, para um melhor arrefecimento e durabilidade. A Harley optou pelo ferro fundido para eliminar os vazamentos que ocorriam nos motores "panhead", de cabeçotes de liga leve.
Sportster 1997
A Motor Company tinha, finalmente, uma máquina para competir com os ingleses e vencer.
E nunca mais deixou de ser competitiva nas acirradas disputas das pistas de corridas. Um ano depois lançou o modelo XL e o XLCH "naked", equipado com o tanque de gasolina no estilo amendoim, tão copiado nas motocicletas custom e que é a marca registrada das Sportster, até hoje.

Harley-Davidson XL Sportster 883R 2009
Uma grande máquina. Eu tenho o privilégio de possuir uma 883R 2009, hoje peça de colecionador.

domingo, 5 de maio de 2013

Serras Catarinenses

Na sexta-feira foi o dia de conhecer a Serra do Corvo Branco, o Morro da Igreja e rever a Serra do Rio do Rastro.

Eu havia lido sobre a Serra do Corvo Branco e sabia de sua beleza e da precariedade da estrada que passa por ela.

Assim, recomendado pela minha pesquisa e por amigos que já conheciam a estrada, optei por deixar minha Ultra Glide no hotel e pegar uma carona com meu amigo Léo "Alemão Block" Ferreira e sua esposa Edileusa, que estavam de carro.

Foi uma decisão acertada. A estrada tem 28 km não pavimentados (de Grão Pará até o topo da Serra), dos quais cerca da metade é em aclive pronunciado, com piso precário. Não é estrada para uma motocicleta touring.


Rodovia SC-439, em direção à Serra do Corvo Branco.

Serra do Corvo Branco.

Rodovia SC-439, na Serra do Corvo Branco.


Mas a paisagem vale a pena.

Serra do Corvo Branco, Urubici,SC.

Serra do Corvo Branco, Urubici,SC.

Vista da Serra do Corvo Branco, Urubici, SC.

No topo da Serra, a 1150 m de altitude, fica o Passo do Corvo Branco, um corte feito na rocha arenítica, o maior do Brasil, com 90 m de altura. 

No Passo do Corvo Branco - Urubici, SC.
A Serra do Corvo Branco está situada na formação rochosa do Arenito Botucatu, que é a rocha sedimentar formadora do Aqüífero Guarani, com uma área de 1,2 milhão de km² (49.200 km² em SC) e espessura média de 200 metros. Ao longo de 500 km, passando por 47 municípios catarinenses, esta formação rochosa aflora, constituindo-se na Zona de Recarga Direta do Aqüífero, por onde a água da chuva infiltra-se diretamente na rocha.

A maior parte (70% ou 840 mil km²) da área ocupada pelo aquífero está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil. O restante se distribui entre o nordeste da Argentina (255 mil km²), noroeste do Uruguai (58 mil km²) e sudeste do Paraguai (58,5 mil km²), nas bacias do rio Paraná e do Chaco-Paraná. A população atual do domínio de ocorrência do aquífero é estimada em quinze milhões de habitantes.

O Aqüífero é considerada a segunda maior reserva subterrânea de água doce do mundo, com um volume estimado de 55 mil quilômetros cúbicos e profundidade máxima de 1.800 metros.



Passando pela Serra, descemos uns 300 m para a área rural de Urubici, SC, em direção ao Morro da Igreja. Cerca de 4 km depois do Passo do Corvo Branco, a estrada já é asfaltada, com a pavimentação em excelente estado. A partir daí são mais 27 km até o Morro da Igreja.

Morro da Igreja, Urubici, SC.
Pedra Furada, Morro da Igreja, Urubici, SC.



Rô e Edileusa.
Eu e Léo Ferreira.
Rô Roque.
No Morro da Igreja está situado o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA), um dos 15 destacamentos subordinados ao 2º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta), Organização Militar do Comando da Aeronáutica.

No heliporto do Destacamento de Controle
do Espaço Aéreo do Morro da Igreja.
O Cindacta II faz parte do Departamento de Controle do Espaço Aéreo brasileiro, que conta com quatro Centros Integrados no Brasil.


O Cindacta tem como missão garantir a vigilância e o controle da circulação aérea geral, além de conduzir as aeronaves da Força Aérea Brasileira, responsáveis pela integridade e soberania do espaço aéreo brasileiro.

Tela de um computador do Cindacta.
Cada conjunto de letras e números representa uma aeronave.

Uma Sargento do Cindacta, na sua mesa de trabalho.
Nos Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo estão instalados estrategicamente radares, estações de telecomunicações e equipamentos de auxílio à navegação aérea.

Uma das torres de radar do DTCEA do Morro da Igreja.
Cerca de 3000 militares e civis trabalham nos quatro Estados sob responsabilidade do Cindacta II (MS, PR, SC e RS), responsável pelo controle de 30% da movimentação aérea no Brasil.

Do Morro da Igreja seguimos para Bom Jardim da Serra, SC, para almoçar na Churrascaria Cascata, ponto quase obrigatório de todos que passam pela Serra do Rio do Rastro, num total de mais 110 quilometros.

Churrascaria Cascata, Bom Jardim da Serra, SC.
Depois do almoço fizemos a tradicional parada no Mirante da Serra do Rio do Rastro, para mais uma fotografia.

Mirante da Serra do Rio do Rastro.
Rô, Edileusa e o quati.
Retornamos a Termas do Gravatal, encerrando um percurso de 240 km.

Foi um passeio muito bonito, com uma temperatura muito agradável.
Uma pena que não pudemos rodar com nossa Harley-Davidson.
Mas valeu pela companhia dos amigos e pela espetacular paisagem das Serras Catarinenses.


Termas do Gravatal

A idéia era conhecer Termas do Gravatal, no sul de Santa Catarina, e a Serra do Corvo Branco, com o Morro da Igreja, Pedra Furada e a Estação do Cindacta na serra catarinense.

Saímos de Balneário Camboriú na manhã do feriado e seguimos para Termas do Gravatal, com uma parada para almoço no Hotel da Lagoa, na entrada de Laguna, às margens da BR-101.

O Hotel da Lagoa tem um restaurante com bufê e, dada à proximidade com Laguna, esperávamos um festival de frutos do mar. Ledo engano. O cardápio é sofrível e do que provamos só o filé de linguado merece consideração. Típico restaurante de beira de estrada, onde só pararia, outra vez, se estivesse com muita fome!

Saindo do Hotel Lagoa, em Laguna, SC.
A BR-101, ao sul de Florianópolis, melhorou muito, comparado com as últimas vezes que passamos por lá. A pista simples no Morro dos Cavalos continua a criar engarrafamentos, mas desta vez o tráfego estava bem leve e não tivemos problemas.

Mais ao sul, nas proximidades de Laguna, a pista dupla se encolhe para uma pista simples, com pavimentação horrorosa, marca registrada do DNIT.
Mesmo nos trechos duplicados, recém abertos ao tráfego, nota-se o descaso deste orgão público: matagal crescendo solto, sinalização horizontal antiga ainda visível, confundindo o usuário ( e podendo causar acidentes!), má sinalização vertical, depressões na pista ao entrar ou sair de uma ponte ou viaduto (parece que a engenharia brasileira definitivamente não consegue construir uma rodovia no mesmo nível), aquelas coisas de sempre.

Mas, dentro do descalabro viário do nosso país, a estrada pode ser considerada razoável. Só lembrando que a duplicação destes 248 km foi iniciada em 2005. Com 90% concluídos, o DNIT demonstra sua competência em conseguir duplicar 27 km por ano, ou 76 m por dia. Deve ser recorde mundial de lerdeza!

Depois de cruzarmos a ponte em pista simples sobre o Canal das Laranjeiras, passamos por Tubarão e acessamos a SC-438, para os 21 km restantes até Termas do Gravatal. A SC-438 tem pavimentação razoável, sinalização horizontal quase inexistente e vertical precária. Mas, com cuidado, trafega-se com certa tranquilidade, pois a baixa velocidade é assegurada por dezenas de quebra-molhas, alguns deles de quase 40 cm de altura!

Finalmente chegamos em Termas do Gravatal, parando no simpático Cafécom Arte (assim mesmo, café+com juntos). O local tem um café muito bom, além de tortas, pastéis, sanduíches muito bem preparados. As sopas também são deliciosas e nos salvaram de uma gastronomia muito pobre, da localidade.




Alguns amigos nos acompanharam na ida a Gravatal e retornaram a Balneário Camboriú logo depois.

Ficamos hospedados no Hotel Termas do Gravatal. Não recomendo.
O hotel é muito antigo, o que deveria ser um atrativo se tivesse sido construído com o hóspede em mente. Mas não foi.
Os quartos são minúsculos e para poder carregar o celular, a bateria da câmera fotográfica ou qualquer outro uso de uma tomada elétrica, temos que desligar o mini-bar ou um dos abajures.
Felizmente o nosso quarto havia sido reformado recentemente e não tinha cheiro de mofo. O que não foi o caso de outros amigos, que não tiveram tanta sorte. Mas, para estar num quarto sem mofo, o hotel cobrou um adicional de 10% na diária já muito cara (R$330/diária, com café da manhã).
Uma rede Wi-Fi muito fraca, funcionava em alguns pontos, sómente. No hall de entrada, estava simplesmente desligada! Depois de muito insistir, consegui convencer o pessoal da recepção a ligá-la (eles insistiam que o problema estava no meu aparelho. Típico!).


O hotel foi construído para aproveitar as águas termais da região. A piscina externa é agradável, num dia ensolarado.


A piscina coberta, no entanto, é mal iluminada e não dá uma boa impressão. O mais estranho é que tem horário de funcionamento, mesmo sem existência de salva-vidas (nem precisaria, dada a pouca profundidade): fecha para almoço e só funciona até as 19:00 horas.

A temperatura e a composição química das águas termais são muito agradáveis. Seria um lugar de muito sucesso turístico, se tivesse uma melhor administração.

Nossa intenção era ficar lá até no domingo, mas voltamos no sábado de manhã.
Acho que isto diz tudo, não é mesmo?