segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

3º Encontro Harley do Paraguai

Os amigos harleyros do Paraguai informam que restam poucas unidades disponíveis no Hotel Sheraton, para o evento em Assunção. Recomenda-se àqueles que pretendam comparecer, que façam já sua inscrição.
Estivemos no evento do ano passado e gostamos muito. Veja o relato aqui.


domingo, 30 de janeiro de 2011

Exposição de Motocicletas em Joinville, SC


Mais informações com PHD Mago.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Duplicação da BR-101 Sul - Incompetência Federal

A duplicação da BR-101 Sul, entre Palhoça, SC (região metropolitana de Florianópolis) e Passo de Torres, RS, foi iniciada, há mais de 10 anos. Não está concluída e ninguém acredita nos prazos apresentados pelo incompetente Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), para sua conclusão.  São sómente 238,5 quilômetros, sem nenhuma serra, pântano ou acidente geográfico de monta, que justifique um tempo tão longo nas obras. A única explicação plausível é a incompetência ampla, geral e irrestrita do governo federal e sua índole mentirosa, que consegue promover "apagões" em todos os modais de transporte. 


O seguinte artigo, publicado na edição de hoje do "Diário Catarinense", de Florianópolis, apesar de sua linguagem "politicamente correta", mostra o descalabro governamental (tão pródigo em inaugurar obras inacabadas), que tem provocado milhares de mortes em Santa Catarina, transformando este estado no segundo maior em índice de acidentes com morte em estrada federais, logo após Minas Gerais. Notem os comentários do presidente da FIESC (Federação das Indústrias de SC). Os grifos são meus.

"Para cumprir a promessa de concluir a duplicação da BR-101 Sul até o final de seu governo, a presidente Dilma Rousseff precisa — e deve — acelerar o ritmo dos trabalhos. De acordo com o novo estudo encomendado pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), a obra não fica pronta antes de 2015. 

O relatório, feito em dezembro, a que o Diário Catarinense teve acesso exclusivo, vai ser apresentado nesta sexta-feira, às 10h30min, pela diretoria da instituição e pelo engenheiro Ricardo Saporiti, responsável pela análise. A previsão contraria o anúncio otimista do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), de terminar a obra em 2013. 

Os 238,5 quilômetros entre Palhoça e Passo de Torres, na divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul, deveriam estar prontos em 2008. Porém, problemas — como chuva acima da média, questões ambientais e abandono das empreiteiras contratadas — atravancaram o caminho.

Em setembro do ano passado, o então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a inaugurar "simbolicamente", em Criciúma, um dos quatro trechos que estão duplicados. Embora tenha dito, na ocasião, que repetiria o feito em outros lotes até o final do mandato, a promessa não foi cumprida: nenhum outro ficou pronto até dezembro. O prazo precisou ser prorrogado e, no caso do lote 26, por exemplo, a data foi adiada para julho. 

O engenheiro Saporiti explica que há dois tipos de contratos, os de duplicação de pista e os de obras de arte especial, que envolvem viadutos e pontes, por exemplo. Ele diz que, em alguns, a duplicação andou bem, mas o mesmo não aconteceu com as obras de arte e que isso prejudicou visivelmente o andamento e o término dos trechos.

— Por isso, não acredito que a conclusão seja possível até o meio do ano. Além disso, há a necessidade de alargamento e reforço na estrutura da ponte antiga sobre o Rio Tubarão que o projeto e a licitação nem foram feitos ainda. Isso é inconcebível e é resultado da falta de planejamento — analisa.

Nenhum dos três túneis da duplicação da BR-101 Sul (sendo um deles duplo), está pronto, nem mesmo o do Morro do Agudo, em Paulo Lopes, em execução desde novembro de 2007. Previsto inicialmente para dezembro passado, ficou para maio de 2011. A situação mais complicada é a do Morro dos Cavalos, que prevê um túnel duplo, com aproximadamente dois quilômetros para cada galeria, quase o dobro em relação ao de Paulo Lopes. O projeto ainda não tem licenciamento ambiental, o superintendente do Dnit, João José dos Santos, disse ao DC em dezembro que espera lançar o edital de licitação até 15 de abril. 

Os outros dois grandes entraves da duplicação estão com a concorrência em andamento, o Morro do Formigão, em Tubarão, e a Ponte de Laguna. A previsão é que os vencedores sejam conhecidos nos próximos dias. Os trabalhos, que deveriam iniciar em fevereiro, só devem começar em março. A morosidade em tirar do papel essas obras e o histórico de atrasos reforçam o diagnóstico do estudo de que, antes de 2015, a principal e mais movimentada rodovia do Estado não estará completamente duplicada.

O presidente da Fiesc, Alcantaro Corrêa, culpa os gestores. Na opinião de Corrêa, eles "não têm competência para pôr ordem na casa e fazer com que as coisas andem".

Se estivessem na minha empresa, já teriam sido demitidos. Divulgam essas datas mentirosas achando que todo mundo vai acreditar — protesta.
Para ele, a situação "vai se esticando" e não termina.

— Há lotes duplicados, mas que estão sem os itens de segurança previstos, como sinalização, defensas metálicas e passarelas para pedestres. Falta segurança, e mortes continuam ocorrendo por causa disso — alerta o presidente."

Harley-Davidson 1956 KR Racer


Harley-Davidson 1956 KR Racer
Esta motocicleta de competição faz parte da série K, que também incluiu os modelos K, KH e KHK.

É um modelo original, como saído da linha montagem, com um motor “flathead” de 45 cu.in. (740 cc), transmissão integrada de 4 marchas e eixo excentrico de competição. O banquinho era usado pelo piloto nas competições, quando ele praticamente se deitava sobre o tanque de combustível e balanceava a motocicleta no paralama, durante as corridas.

Esta motocicleta está no Museu da Harley-Davidson em Milwaukee, WI. Nunca participou de uma corrida e teve seu motor em funcionamento pouquíssimas vezes. 
Isto a transforma numa raridade, já que a maioria dos pilotos e seus mecânicos faziam grandes motificações em suas máquinas. 

Ver uma na sua forma original, que nunca caiu ou foi reparada, é bem raro.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

2011 Harley-Davidson FXS Blackline Softail

Apresentada no New York International Motorcycle Show, em Janeiro, a nova Harley-Davidson Blackline é o mais recente lançamento na linha Softail.

Como a mais nova edição da linha de motocicletas Dark Custom, a Blackline celebra os elementos fundamentais da marca de Milwaukee: beleza mecânica, um chassis bem projetado e o V-Twin faminto para enfrentar o asfalto.

Combinando tradição e rebeldia e renegando as convenções anteriores de cores e cromagem, a Harley-Davidson Blackline 2011 adota o Dark Custom “bandido”, numa proposta que é funcional, direta e alcançável.

Elementos visuais impactantes da família Softail são combinados com o estilo simples utilizado pelos jovens customizadores de hoje. Aparentemente a Harley espera que a nova Blackline seja “lenha na fogueira” que queima através de gerações e cria um desejo insaciável de pilotar uma motocicleta despojada.


O paralama traseiro é rebaixado e quase toca o pneu de 144mm, que lembra uma antiga “hardtail”. O farol compacto e o velocímetro estão encaixados na frente ampla e há sómente o brilho de cromados necessário para enfatizar as partes em negro.
Na  Blackline o piloto senta no banco mais baixo jamais oferecido pela Harley-Davidson, com as mãos no guidão alto, tipo Split Drag.



O chassis Softail utiliza suspensão traseira com controle ajustável com molas acima do amortecedor, embutidas dentro do quadro e fora da vista.
Assim, apesar da aparência ser de uma antiga “hardtail” , o desempenho da suspensão da Blackline é absolutamente moderno.
Alguns detalhes:
  • Quadro e motor com acabamento em pintura negra brilhante, com os cilindros em prata.
  • Motor Twin Cam balanceado, com injeção eletrônica sequencial e caixa de 6 marchas.
  • Nova roda em alumínio raiada,  com o cubo anodizado em negro. Roda dianteira 21x2,15 polegadas e traseira 16x3 polegadas. Pneus Dunlop D402.
  • Novo tanque de 5 galões (19 litros) assimétrico, liso no lado esquerdo e com uma tampa para abastecimento, de perfil baixo, no lado direito. Um acabamento fundido cruza o tanque logitudinalmente, sómente o suficiente para cobrir o ancoramento da bomba de gasolina.
  • Banco duplo em uma peça, com o assento do piloto apenas 61 centimetros acima do solo, o mais baixo oferecido pela Harley-Davidson.
Não se tem notícia se este modelo vai ser comercializado no Brasil. Mas com um banco tão próximo de solo, há um mercado potencial para este estilo de Harley, na nossa terra.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Churrasco no Auto Posto PHD - Sábado, 29 de Janeiro

O Auto Posto PHD está convidando:


"O AutoPosto PHD convida os amigos para participarem do Churrasco de Confraternização e pré-inauguração do "GasStation PUB" a ser realizado no próximo sábado, dia 29 de Janeiro, a partir  das 10:30hs."






O Auto Posto PHD (bandeira BR) está localizado na  Av. dos Estados, 5000 (próximo ao acesso principal da cidade via BR-101), em Balneário Camboriú, SC.




domingo, 23 de janeiro de 2011

Situação das Rodovias em Santa Catarina

As chuvas que vêm atingindo Santa Catarina nos últimos dias causam problemas em duas importantes rodovias federais que cortam o Estado, segundo a Polícia Rodoviária Federal. 
Na BR-101, sentido norte, a pista está interditada parcialmente no quilômetro 54,em Araquari,causando lentidão no tráfego em ambos os sentidos. 

No quilômetro 192, em Biguaçu, sentido sul, meia pista está bloqueada para remoção de pedras que desceram o morro. 

Queda de barreira na BR-101, em Palhoça, interditou totalmente a pista nos dois sentidos da rodovia, na madrugada deste domingo. Segundo a PRF, o DNIT fará uma avaliação da rodovia no domingo, e a liberação total pode demorar mais de um dia.

Já entre os quilômetros 234 e 235, região do Morro dos Cavalos, o motorista reduz bastante a velocidade em razão do bloqueio parcial da pista sentido sul e da sinalização no local sobre risco de queda de barreira.

Já na BR-280, há bloqueio no quilômetro 4 junto ao trevo que dá acesso a estrada estadual para Enseada em São Francisco do Sul. No local, a água está com mais de 1 metro de altura.

No quilômetro 80, em Corupá, trânsito foi interrompido em ambos os sentidos, sem previsão para liberação, devido à queda de cabeceira de uma ponte. O desvio é feito no local somente para automóveis. Nos quilômetros 26 e 28, as pontes estão totalmente interditadas para qualquer tipo de veículo. Existe um desvio por estradas de terra. Não há previsão de liberação.

A pista molhada e a pouca visibilidade em decorrência da chuva estão provocando acidentes pelas rodovias catarinenses. A Polícia Rodoviária Federal divulgou agora (23/1, 06:45) que, até o momento, foram 24 acidentes em Santa Catarina, sendo 10 com vítimas, 14 sem vítimas, resultando 15 feridos.

Fonte: Diário Catarinense Digital e Internet

sábado, 22 de janeiro de 2011

Cancelado - Bate-e-Volta a Curitiba - Domingo 23 de Janeiro

Devido às fortes chuvas em Santa Catarina neste fim de semana, o passeio foi cancelado e será transferido para outra data a ser informada quando as condições meteorológicas permitirem.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Óleo Sintético em Motores V-Twin

Óleos sintéticos oferecem muitas vantagens para motores de alta cilindrada, como é o caso dos V-Twins da Harley-Davidson. Além de serem refrigerados a ar, os motores V-Twin tendem a operar em temperaturas mais elevadas, devido ao curso longo do pistão e seu diâmetro comparativamente menor, o que aumenta a área varrida no cilindro e no pistão, em uma dada RPM.

Durante os meses de verão – especialmente nas regiões onde as temperaturas altas do dia estão acima dos 30ºC ou com paradas frequentes provocadas pelo tráfego nas zonas urbanas – os motores V-Twin de grande porte trabalham em temperaturas mais elevadas, especialmente o cilindro traseiro.
Todos estes fatores exigem mais do óleo lubrificante. Comparados com os óleos minerais, os óleos sintéticos tem um desempenho muito melhor. 
Os óleo lubrificantes sintéticos de boa qualidade são resultados de uma modificação da estrutura molecular do produto base e são mais fluídos quando frios. Por outro lado, permite intervalos maiores de troca, ao mesmo tempo que reduz o consumo de combustível, por permitir que o motor funcione com temperaturas mais baixas e com menor atrito, com alta estabilidade térmica e proteção contra oxidação.


Outra característica é uma proteção superior contra o desgaste imediato, provocado no arranque inicial de partida do motor quando frio.


Outras vantagens são a maior duração da película de óleo sobre as peças em movimento, menor volatilidade (e menos consumo do óleo), alta dissipação de calor (diminuindo a temperatura de operação do motor), redução na formação de depósitos e resíduos de carbono e um elevado poder detergente e dispersante natural.

No blog do Cmt Maccori há um excelente artigo sobre óleos sintéticos.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Bate-e-Volta a Curitiba - Domingo 23 de Janeiro

Para o pessoal de Santa Catarina: saída de Balneário Camboriú, HDPoint Pimenta, às 09:00, em direção ao Posto Rudnick (BR-101, Joinville), para o encontro com o pessoal de Curitiba. Para o pessoal de Curitiba: saída do Posto Pórtico (Av. das Torres), às 08:30, e em direção ao Posto Rudnick (BR-101, Joinville), para o encontro com o pessoal de Santa Catarina. Do Posto Rudnick, o grupo todo sobe em direção ao Paraguassú Grelhados, para o almoço. Retorno livre. Coordenadas do Paraguassú: S25 24 55.7 W49 15 16.3

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

H-D Tri-Glide Ultra Classic

Nunca tive muito interesse em triciclos, básicamente por não ver vantagens no veículo. Os triciclos que conhecí nas estradas e encontros eram automóveis com 3 rodas: tinham motor de automóvel, tamanho de automóvel, todas as desvantagens de um automóvel. A única similaridade com motocicletas era a exposição do piloto e garupa, ao tempo. Imaginava, também, que sua pilotagem deixasse muito a desejar, especialmente nas curvas.Porisso, nunca procurei me familiarizar com o veículo.


Quando da minha viagem de New York a Los Angeles em julho de 2010 (veja relato aqui), cruzamos com muitos triciclos da Harley-Davidson e comecei a me interessar pelo assunto. A quantidade de triciclos H-D que vimos pilotados por mulhers chamou minha atenção.


Eu gosto de motocicleta de grande porte pela segurança na pilotagem e pelo conforto que proporcionam, além do generoso espaço para bagagem. 
Entendo, é claro, os inconvenientes que tem, particularmente a dificuldade em manter a motocicleta na vertical, quando parado. Isto é especialmente mais incômodo para pessoas de baixa estatura ou estrutura muscular mais leve. Conheço harleyros que gostariam de pilotar uma Ultra Glide, mas que não se aventuram por serem mais baixos. As mulheres, por outro lado, se intimidam com o tamanho e o peso da motocicleta.


Numa configuração de triciclo, essas "deficiências" são eliminadas, democratizando seu uso.


Inicialmente transformadas por mecânicos independentes (que modificam motocicletas custom de outras marcas, também), os triciclos H-D ficaram famosos nas máquinas preparadas por John Lehman, que fundou a Lehman Trikes em 1984. 


Em Julho de 2008 a Harley-Davidson anunciou o primeiro triciclo da marca, com o lançamento da Tri Glide™ Ultra Classic® 2009. O modelo foi desenvolvimento em parceria com a Lehman Trikes , mas a Tri Glide recebeu muitas modificações e melhoramentos introduzidos pelos engenheiros de Milwaukee, que fizeram o triciclo ainda melhor. Básicamente, a Lehman Trikes usa um quadro modificado dos modelos Harley FL e a parte posterior em um único corpo. Já o modelo Tri Glide da H-D use um quadro específicamente projetado. O corpo posterior e os paralamas traseiros são construídos separadamente. A motocicleta é fabricada na planta da H-D em York, Pa., e enviada para a Lehman Trikes em South Dakota para a montagem final, antes de ser enviada aos revendedores.
O modelo 2009 vinha equipado com o mesmo motor Twin-Cam de 103 cu.in (1688 cc) que ainda equipa os modelos atuais, mas a marcha-a-ré era oferecido como item opcional. 
2011 Tri Glide Ultra Classic
O sucesso do Tri Glide, levou a H-D a aumentar a oferta de opções e, desde 2010, as revendas H-D dos Estados Unidos oferecem a Tri Glide™ Ultra Classic® e a nova Street Glide® Trike. Ambas vem equipadas com a marcha-a-ré como equipamento original.
2011 Street Glide Trike
O vídeo abaixo faz uma excelente demonstração da Tri Glide, inclusive chamando a atenção para as diferenças básicas entre pilotar uma motocicleta e um triciclo Harley-Davidson.




Ainda não tenho nenhum problema em controlar minha Ultra Glide, graças a uma boa saúde e treinos constantes na academia, sob a supervisão de uma competente personal trainer. Mas vai chegar o dia em que uma motocicleta desse porte vai ficar pesada, para mim. A Harley-Davidson  Tri Glide™ Ultra Classic® deve ser a primeira opção que vou considerar.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Grupo Izzo Começa a Fechar Revendas H-D

Escutado de várias fontes distintas: o Grupo Izzo começa a fechar as revendas Harley-Davidson já no final de Janeiro.


A expectativa é saber se as regiões atendidas por estas revendas terão novos concessionários imediatamente ou se haverá um gap até a abertura de novas lojas.


Por força do acordo entre as empresas, nenhuma informação sobre o assunto foi passado ao mercado.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Dicas da Dunlop Sobre Pneus de Motocicleta

Durante o verão, os pneus das nossas motocicletas são expostos a condições extremas de temperatura. 
Além disso, as chuvas da estação nos forçam a pilotar em condições de piso molhado, o que é outra condição extrema. Assim é o melhor assegurar-se de que seus pneus estejam em boas condições antes de partir para sua viagem de férias.

Mike Manning, Gerente de Produto da Dunlop Motorcycle Tires, dos Estados Unidos, dá algumas dicas a respeito da manutenção de pneus.

“Para pilotagem em pista molhada é especialmente importante estar ciente que pneus gastos diminuem a habilidade de dissipar a água e igualmente diminuem a capacidade de tração e aderência,  tornam-se mais suscetíveis à furos; assim sempre substitua os pneus antes que atinjam os indicadores de desgaste.”

Outras dicas sobre o cuidado com os pneus da sua motocicleta:
  • Regularmente verifique as condições dos pneus fazendo uma inspeção detalhada. Gire ambos os pneus completamente e verifique se há algum prego ou outro objeto penetrando no pneu. Se você encontrar qualquer coisa, não pilote até que o pneu tenha sido inspecionado por um profissional. Substitua, se for necessário. Verifique as laterais do pneu para ver se há sinais do rachamento e nunca use produtos para limpeza de pneus, pois esta prática pode acelerar o processo de rachaduras.
  • Verificar a pressão adequada dos pneus, de acordo com o peso em que vai trafegar, é a função mais importante na correta manutenção do pneu. Manter a pressão de ar correta é fundamental para eficiência de rodagem, direção, aderência, tração e capacidade de suportar carga do pneu. Para cada 4 lbs/in. abaixo da pressão recomendada, você perde até 40 kg de capacidade de carga.
  • Você não está montado somente em seus pneus, você também está montando no ar dentro deles. Assim, verifique a pressão (com o pneu frio) sempre que possível, com um calibre de boa qualidade.
  • Se pretende deixar sua  motocicleta parada durante as férias, evite variações extremas de temperatura durante o tempo em que não for usá-la. Mantenha os pneus longe de fontes de calor.
  • Não armazene pneus onde haja motores elétricos em funcionamento; a concentração elevada de ozônio acelerará o rachamento do pneu.
  • Quando comprar pneus novos certifique-se de que os pneus podem carregar a carga prevista, incluindo o peso total da motocicleta, piloto e garupa, bagagem e o todo o seu equipamento. Use sempre pneus dianteiros e traseiros da mesma marca, se possível.
  • Após a instalação de pneus novos, verifique se as setas indicativas nas laterais estão apontando no sentido correto da rotação e que o ponto amarelo, indicador do contrapeso do pneu, está alinhado com a haste de válvula.

A Dunlop é o maior fornecedor de pneus como equipamento original e de reposição para motocicletas, nos Estados Unidos. É, também, o único fabricante de pneus para motocicletas na América do Norte. 

Sua fábrica, instalada em Buffalo, NY, fabrica e vende pneus de alta qualidade nos EUA desde 1923.

Para mais informações, visite