sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Harley-Davidson: Dicas da Motor Company para rodar no Carnaval


As estatísticas de acidentes com motocicletas indicam claramente que grande parte deles envolve colisões com outro veículo, geralmente automóveis. Na maioria dos casos, o motorista do carro não vê a moto antes do impacto, a tempo de evitar um acidente.

A Harley-Davidson sabe que o feriado de carnaval se aproxima e muitas pessoas vão pegar a estrada com suas motocicletas e, por isso, preparou uma série de dicas com foco nas estratégias mais importantes para a segurança de pilotos e garupas. A começar pelo estado permanente de alerta, que reduz o tempo de resposta aos perigos impostos por outros motoristas e por possíveis objetos na via. A atenção permanente evita que ocorra um cálculo errado na hora da frenagem, além de facilitar o controle constante da velocidade nas curvas.

1. Dormir bem na noite anterior
A melhor condição para começar um longo passeio ou viagem é estar totalmente descansado. Isso significa dormir uma noite toda antes da partida, bem como começar a viagem diurna em um horário realista (ao invés de iniciar o trajeto durante a madrugada, por exemplo).

2. Evitar longos percursos em autoestradas
Quanto mais interessante for a rota planejada – as que exigem mais envolvimento mental e o uso de freios, engrenagens e direção da motocicleta – mais envolvidos estarão os motociclistas. Da mesma forma, muitos pilotos afirmam que ficam mais atentos quando não usam o controle de velocidade de cruzeiro. Isso significa pegar estradas mais sinuosas, que são ainda mais agradáveis que o barulho hipnótico de quilômetros a fio em autoestradas e que, provavelmente, manterão quem estiver pilotando mais alerta.

3. Parar antes que seja necessário
A única maneira infalível de pilotar até aparecer o cansaço é pilotar até aparecer o cansaço. Por isso, é necessário mudar os hábitos e parar antes de enfrentar sonolência, em pontos planejados de parada que sejam curtos o suficiente para não provocar muito cansaço (a cada duas horas, mais ou menos). Isso é particularmente importante ao pilotar em grupo, onde motociclistas diferentes enfrentarão trechos diferentes, durante os quais eles provavelmente permanecerão alertas.

4. Alongamentos
Quando for feita uma parada, é de suma importância praticar alguns exercícios de alongamento para auxiliar na circulação dos membros inferiores e superiores, e também realizar uma curta caminhada. Isso estimulará o corpo e a mente, com um efeito mais prolongado. Como bônus, caminhar uma quadra ou duas em uma cidade nova aumentará a probabilidade de encontrar algo interessante ou fazer novas amizades, além das histórias que poderão ser colecionadas sobre a viagem. Qualquer uma das situações pode ser o início de uma aventura, algo que todos os motociclistas procuram na companhia de uma Harley-Davidson.

5. A hidratação é essencial
Beber água constantemente é essencial para manter o corpo hidratado, principalmente nessa época do ano, em que o verão chega a temperaturas acima da média em muitas regiões brasileiras. E isso significa também que o propósito será fazer pit-stops frequentes para idas ao banheiro. Ingerindo bastante líquido, há menos chances de desidratação, o que pode causar tontura e um tempo de resposta mais lento em situações de emergência.

6. Comer pouco
Fazer refeições pesadas, cheias de carboidrato, proporciona um grande e rápido estímulo de açúcar, mas também pode levar à fadiga, que é agravada pela digestão longa e consumidora de energia. Ao invés disso, se faz necessário comer pequenas porções de alimentos leves e menos calóricos. O ideal é fazer refeições menores, mais frequentes, que consistam, principalmente, em proteínas (oleaginosas, carnes, grãos, laticínios), que produzem uma fonte de energia mais longa e sustentável. Ao se alimentar em pequenas quantidades, evita-se aquele sono típico que aparece logo após um farto almoço.

7. Cochilos
Os seres humanos precisam de cochilos, embora a maioria ignore essa necessidade por meio de vários mecanismos de administração. Se a sonolência começar a afetar a viagem, é preciso parar em um local adequado. Decidir tirar um rápido cochilo faz com que o motociclista tenha de sair da estrada durante um momento de baixa atenção e grande risco de segurança. Além disso, o descanso se faz importante para recarregar as energias para o resto do passeio diurno, de forma segura e proveitosa.

8. Comunicar-se
Os motociclistas que utilizam os sistemas de comunicação eletrônica para conversar ocasionalmente com um parceiro de viagem, dizem se sentir mais alertas e engajados. Mesmo o simples ato de acenar para outros motociclistas pode ser suficiente para estimular sua mente e seu corpo a ficarem em um estado maior de alerta. Como um bônus, acenar para outros motoristas o tornará o embaixador principal de um melhor relacionamento com todos na estrada, algo que já ocorre naturalmente entre os clientes Harley-Davidson mundo afora.

9. Realizar ultrapassagens seguras
Ficar atrás de outro veículo por um longo período de tempo pode entediar o cérebro de qualquer piloto e levá-lo a uma forma maçante de controle de velocidade de cruzeiro. Uma maneira de evitar essa armadilha é ultrapassar outros veículos, sempre em segurança e conforme necessário, para usar totalmente os sentidos e ativar o estado de atenção.

10. Não lutar contra o vento
O vento é a principal fonte de fadiga dos motociclistas, tanto como ruído sonoro quanto como uma força cansativa contra o piloto. Usar tampões de ouvido e um capacete fechado, bem como utilizar um anteparo na moto (parabrisa), reduzirá o impacto do vento e manterá o piloto com energia por mais tempo.

Lembre-se: pilote sempre com segurança e bom Carnaval!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

1º Passeio Motociclístico BOPE


Está sendo programado para sábado, 25 de março, o 1º Passeio Motociclístico BOPE.

Será um bate-e-volta até a cidade da Lapa, que fica a 72 km a sudoeste de Curitiba, pela PR-476 (Rodovia do Xisto).

O local de saída será na APMG (Academia Policial Militar do Guatupê) às 10h00min com horário previsto de chegada na Lapa às 12h00min.

As Inscrições começam no dia 02/03 (quinta-feira) e se estende até o dia 22/03 (quarta-feira). Para realizar sua inscrição é necessário trazer uma caixa de bombom que será doado a instituições carentes.

Horários para Inscrição:
- Manhã (segunda à sexta) das 08h30min às 11h00min.
- Tarde (segunda à sexta) das 14h00min às 17h00min.
Na sala de comunicação social do BOPE (P5).
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, Nº1401, Rebouças - Curitiba/PR
e-mail: bope-p5@pm.pr.gov.br
Contato: (41) 3326-9362


O bonde ser acompanhado por batedores e em Lapa haverá várias atividades, shows, exposição dos veículos e de materiais táticos.

O BOpE é o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Paraná, um grupo de elite com policiais altamente capacitados para atuar em situações específicas e no controle de distúrbios civis. 



O BOpE é composto por subunidades, tais como:
  • Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone): trabalho ostensivo, por meio de operações de patrulhamento tático para combater ações do crime organizado e de alta periculosidade.

  • Comandos e Operações Especiais (COE): a subunidade é instruída e treinada para situações de distúrbios civis, resgates, sequestros e controle de rebeliões em estabelecimentos penais. 
  • Companhia de Operações com Cães (Canil): especializada em detecção de entorpecentes, buscas em matas e procura por explosivos.
  • Esquadrão Antibombas: possui técnicas e equipamento especial para atuar em situações de explosões.
  • Companhia de Polícia de Choque (CiaPChoque): atua no controle de distúrbios civis.

Atualizada em 23/2/2017

Curitiba: postos de gasolina autuados e bombas lacradas

Fiscais do Ipem-PR lacraram bombas em postos de Curitiba.
O prefeito João Doria, da cidade de São Paulo, começou um trabalho de fiscalização dos postos de gasolina da cidade, através de um convênio com a ANP (Agência Nacional do Petróleo) e com governo do estado de São Paulo. Fraudes em postos de combustíveis no Brasil é uma epidemia totalmente sem controle. Frauda-se tudo: combustível e bombas.

Em uma postagem que publiquei em outubro de 2015, menciono a incapacidade das agências reguladoras, em especial a ANP, na fiscalização.

Aqui em Curitiba parece não haver diferença de comportamento com o resto do Brasil; os postos de combustíveis adulteram e muito.

Notícia hoje, na Gazeta do Povo:

"Seis postos de combustíveis de Curitiba foram autuados e tiveram bombas lacradas pelo Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem-PR) por irregularidades no abastecimento de veículos. Apesar dos estabelecimentos terem sido fiscalizados e interditados no início do mês, só nesta terça-feira (21) é que o Ipem obteve a emissão dos laudos que atestam as fraudes encontradas nestes locais e divulgou a situação.

Segundo o instituto, técnicos visitaram sete postos e fiscalizaram 104 bicos de bombas medidoras. Dessas, 44 apresentaram irregularidades e foram interditadas. Foram apreendidas ainda 12 placas eletrônicas por suspeita de fraude. A adulteração nas placas das bombas, conforme o órgão, levava ao abastecimento em menor quantidade do que o registrado pelo equipamento. A diferença, em um dos casos, chegou a 1,3 litro para 20 litros de combustível. A diferença máxima permitida pelo Ipem é de 0,1 litro, para mais ou para menos, para cada 20 litros de combustível.

O Ipem também divulgou o nomes dos postos com irregularidades. As empresas autuadas e com placas apreendidas foram a Posto Bairro Tarumã Ltda; Posto Via Aeroporto Ltda e Comércio de Combustíveis JPS Ltda. Já as empresas que sofreram autuação por causa da violação do plano de selagem das bombas medidoras foram a Shark Comércio de Combustíveis Ltda; Flórida Comércio de Combustíveis Ltda e GRC Comércio De Combustíveis Ltda. Esses postos terão oportunidade de defesa em primeira e segunda instância.

Por outro lado, apenas no Aladim Posto de Abastecimento e Serviços Ltda não foram encontradas irregularidades entre os estabelecimentos fiscalizados nesta operação.

Uma empresa que presta serviços de manutenção nesses estabelecimentos teve a autorização cassada. Foi determinada ainda a devolução pela empresa de todas as marcas de reparo (selos), marcas de selagem azul, além de Atestado de Autorização.

As bombas que foram lacradas apresentaram alteração de modelo, problemas na instalação e inscrições obrigatórias, além das placas eletrônicas com componentes substituídos, retirados ou incluídos. As placas eletrônicas foram encaminhadas ao laboratório do Inmetro para perícia técnica e posterior quantificação da fraude.

A operação envolveu ainda técnicos do Inmetro, Ministério Público, Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor e a Polícia Criminalística."

O cidadão é roubado diariamente e de muitas formas, no Brasil. E fica totalmente à mercê dos bandidos, de todos os níveis, sem condições de se defender.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

República de Curitiba sem passaportes


A emissão de passaporte está suspensa em Curitiba por tempo indeterminado. O motivo é o princípio de incêndio registrado no prédio da Superintendência da Polícia Federal (PF), no bairro Santa Cândida, na manhã desta segunda-feira (20).

A Polícia Federal informou que atendimento ao público foi suspenso – e não há previsão de retorno – porque o incidente afetou a parte de informática, telefonia e iluminação da sede da PF. O órgão disse ainda que está tomando providências para retomar o serviço.

Quando a situação for normalizada, quem tinha horário agendado para segunda-feira (20) e para os demais dias sem atendimento deve se dirigir até o prédio da PF para conseguir um encaixe na agenda. De acordo com a PF, os atendentes farão os encaminhamentos e ninguém será prejudicado por causa da suspensão.

Fonte: Gazeta do Povo

sábado, 18 de fevereiro de 2017

1º Encontro dos Batedores de Curitiba


O encontro foi realizado nas dependências do Quartel-General da 5ª Divisão de Exército e coordenado pela 5ª Companhia de Polícia do Exército. Teve a participação e apoio do H.O.G. (Harley Owners Group - The One Curitiba Chapter), Bodes do Asfalto e Virago Paraná.

Área da 5ª Divisão de Exército, em Curitiba.
Fotos do evento:

Com nossos amigos Cristian (dir.) e Boeing (centro), do Batalhão de Trânsito da
Polícia Militar do Paraná.

Integrantes da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar do Paraná prestigiaram o evento.



Membros da Brigada Paranaense de Viaturas Militares Antigas (BPVMA) fizeram exposição de veículos militares.






Havia uma área de food-trucks que antendeu bem as necessidades dos visitantes, inclusive crianças e adolescentes.


Área da competição de habilidade com motocicletas. Motociclistas militares e civis participaram.




O Comandante da 5ª Companhia de Polícia do Exército, Capitão Moreira, dirige-se aos motociclistas agradecendo a participação.




 Depois de ficarmos no local por algum tempo, seguimos para o Paraguassu Grelhados, para almoçar.


Foi um ótimo sábado na República de Curitiba.

Imigração: 20 fatos que você precisa saber

Imigrantes europeus passando pela Imigração na Ilha de Ellis, NY., em 1900.
20 fatos sobre imigração que você precisa saber para formar sua opinião e que a mídia esquerdopata não informa:

1 – Falam em 11 milhões de imigrantes ilegais nos Estados Unidos hoje, mas estimativas mais realistas, e ainda assim conservadoras, apontam para 30 milhões, a imensa maioria de hispânicos. Os imigrantes hispânicos legais votam 8 para 2 em democratas contra republicanos. Alguma surpresa de a bandeira da “anistia” ser de esquerda?

2 - A imprensa fala, como se fossem boas notícias, que os imigrantes usam “apenas” 18% mais de “welfare” estatal do que os nativos, mas imigrantes que imediatamente já precisam de esmolas estatais deveriam ser aceitos? Os pagadores de impostos não conseguem sustentar nem os locais, e vão receber mais gente dependente do governo? Em geral, 60% dos imigrantes – legais e ilegais – recebem assistência governamental, contra menos de 40% dos americanos. Se o fardo já está pesado para manter os próprios americanos nesse sistema paternalista, por que trazer ainda mais gente nessa condição?

3 - Se no passado os imigrantes vinham em busca de oportunidades e respeitando os principais valores americanos, hoje muitos chegam dependendo do estado e ainda por cima cuspindo na América, tida como “racista, sexista, homofóbica e preconceituosa”. Em 1915, Louis Brandeis, que seria ministro da Suprema Corte depois, deu um discurso no 4 de julho alegando que o imigrante deveria abraçar os valores americanos. Em 2014, a Suprema Corte sustentou o direito de uma escola da Califórnia banir camisetas com a bandeira americana para não “ofender” imigrantes mexicanos celebrando o Cinco de Maio. Por que, então, os americanos deveriam abrir suas fronteiras para receber quem odeia tudo aquilo que a América representa historicamente?

4 - Há uma campanha em curso, endossada pela esquerda e por libertários como Ron Paul, para substituir o termo “ilegal” por imigrante “não-documentado”, eufemismo tosco que serve para suavizar um crime no país que foi criado com base no império das leis. A justificativa é que usar o termo “ilegal” pode acabar “desumanizando” esses pobres indivíduos.

5 - A mudança estrutural ocorreu na década de 1960, sob o comando de Teddy Kennedy, quando as fronteiras foram escancaradas. A regra do “anchor baby” permitiu que milhões de mexicanos atravessassem a fronteira apenas para ter filhos “americanos”, muitas vezes em hospitais públicos, com tudo pago pelo tax payer americano. Depois, em nome da “reunificação familiar”, parentes de todo tipo, como primos, avós e tios, foram aceitos no país. Não passa pela cabeça da esquerda que a reunião familiar poderia se dar… do outro lado da fronteira, em seu país de origem? O que um típico “jeitinho” desses acaba fazendo com um país acostumado a respeitar as regras?

6 - Segundo um estudo de Robert Rector, da Heritage Foundation, o americano com terceiro grau completo paga $29 mil a mais de imposto todo ano do que recebe de volta em serviços do governo, enquanto os imigrantes legais com mesma formação, na média, recebem $4 mil a mais em serviços do que pagam em impostos. Os imigrantes com diploma de segundo grau recebem $15 mil a mais, e aqueles sem diploma coletam impressionantes $37 mil extras!

7 - “A América é a terra dos imigrantes”, dizem os defensores da política atual. Mas ignoram que o grosso era formado por europeus em busca de trabalho, com forte predominância do que se chama WASP. Todos os presidentes eram protestantes, à exceção de JFK, católico. A descendência britânica, em parte, sempre esteve presente na Casa Branca de alguma forma. O respeitado professor de Harvard, Samuel Huntington, questiona: “A América seria a América de hoje se nos séculos 17 e 18 tivesse sido civilizada não por protestantes britânicos, mas por católicos franceses, espanhóis e portugueses?” E responde: “Certamente que não”. Edmund Burke, o “pai do conservadorismo”, destacou a influência britânica e a protestante como fatores fundamentais pela paixão dos americanos pela liberdade. Como negar, então, que a crescente latinização da América poderá torná-la mais parecida com os demais países latino-americanos? E isso não deveria preocupar aqueles que amam o que a América representa?

8 - A esquerda fala muito em “diversidade” como sinônimo de força. Mas vejamos alguns casos em que a diversidade significou, na prática, o caos e até a guerra civil: a Irlanda com os católicos e os protestantes em constante guerra; Israel e palestinos na Cisjordânia; as facções em constante briga na Índia, no Sri Lanka, na China, no Iraque e na antiga Checoslováquia, nos Balcãs, na Chechênia. Vários países europeus estão com maior diversidade agora que muçulmanos dominaram bairros inteiros, adotando até a sharia. A Europa melhorou com esse fluxo dos países islâmicos? E claro: o Brasil costuma ser citado como o melhor exemplo de “melting pot”, uma completa mistureba, onde não poderia haver mais diversidade. E quem vai festejar o resultado? Será que “diversidade”, por si só, é algo positivo e que deve ser almejado como meta?

9 - A América já absorveu mais de um quarto da população total mexicana, de acordo com o Pew Research Center. Os Estados Unidos possuem mais hispânicos do que qualquer outro país do mundo, exceto o próprio México. A população hispânica representa 47% do total em New Mexico, 39% do total na Califórnia, 38% no Texas, 30% no Arizona e 27% em Nevada. Trata-se de uma mudança impressionante e bem rápida: em 1980, quando a Califórnia ainda oferecia presidentes republicanos ao país, ela abrigava 4,5 milhões de hispânicos, contra 14 milhões hoje – oficialmente. Los Angeles sozinha gasta mais de $1,6 bilhão por ano com imigrantes ilegais. Será que o país terá que admitir todos os 120 milhões de mexicanos como imigrantes até que a esquerda pare de falar em “xenofobia”?

10 - Antes da mudança com as leis de imigração ocorrida na década de 1960, sete países forneciam 5% ou mais do total de imigrantes, cada um: Itália, Alemanha, Canadá, Reino Unido, Polônia, União Soviética e México. Em 2000, o México era o único país fornecendo mais de 5% do total de imigrantes, correspondendo a quase um terço do total! Isso é o que a esquerda entende por diversidade?
11 - Em 1970, havia menos de 10 milhões de estrangeiros nos Estados Unidos, e 75% era da Europa; em 2010, havia 40 milhões, e apenas 13% da Europa.

12 - Em poucos anos Minnesota deixou de ser 99% de alemães, holandeses, finlandeses, dinamarqueses e poloneses para ter 20% de africanos, incluindo ao menos cem mil “refugiados” da Somália. Os índices de criminalidade subiram no local, com relatos de tráfico humano, roubos, estupros, ataques com machados e prostituição infantil. O “multiculturalismo” pode não ser tão belo na prática. Mas o politicamente correto ainda fala mais alto: a Universidade Católica de St. Thomas instalou quartos para rezas islâmicas para demonstrar, de acordo com seu reitor, que a escola é “diversa”. A prefeita de Minneapolis, Betsy Hodges, apareceu vestindo um hijab completo em encontros com somalis. Quem precisa se adaptar, pelo visto, são os que recebem os imigrantes, não o contrário.

13 - Inúmeros relatos de crimes envolvendo imigrantes são abafados pela imprensa. Ann Coulter mostra vários deles, e prova como os jornalistas fizeram de tudo para omitir a origem do criminoso quando imigrante. Em casos chocantes, não faltaram americanos de esquerda para “justificar” tais atos tenebrosos com base nas “diferenças culturais”, mesmo com as ocorrências em solo americano. Um professor de antropologia da State University of New York, por exemplo, testemunhou em defesa de pais muçulmanos que mataram a própria filha, por ela namorar um negro, alegando que “todos que cresceram no Oriente Médio sabem que morrer é uma consequência possível por desonrar a família”. Mas eles não estão no Oriente Médio!

14 - As estatísticas sobre crimes cometidos por imigrantes são obscuras, o governo esconde muita coisa. Mas, em 2011, o Government Accountability Office reportou que a América tinha encarcerados ao menos 351 mil imigrantes criminosos. E essa estimativa ultraconservadora exclui todos aqueles em prisões locais estaduais, prisioneiros cujos certificados de nascimento não puderam ser determinados, imigrantes que foram naturalizados e crianças nascidas de imigrantes ilegais em solo americano. Os dados existentes sugerem que a taxa de criminalidade entre imigrantes é astronômica. O Department of Homeland Security lançou um relatório indicando que há ao menos o dobro de estrangeiros criminosos em relação à estimativa do GAO. Se essa estimativa do DHS estiver certa, então quase um terço dos 2 milhões de presos em cadeias americanas é de estrangeiros.

15 - Em 1925, quando a população era de 100 milhões, havia cerca de cem mil pessoas na prisão; em 1970, quando a população americana dobrou para 200 milhões, a população carcerária também dobrou, para algo como 200 mil; aí, de repente, justo quando as leis de imigração mudaram, a população carcerária explodiu. Se a taxa se mantivesse constante, haveria umas 310 mil pessoas presas hoje, não mais de 2 milhões. Claro que a imigração sozinha não explica isso. Há a guerra contra as drogas, o “welfare state”, a degradação de valores morais. Mas como negar alguma influência da imigração descontrolada?

16 - Outros indícios de elevada participação de imigrantes, especialmente hispânicos, na criminalidade podem ser obtidos com a lista de “mais procurados” de 2015 da LAPD (polícia de Los Angeles): Jesse Enrique Monarrez (assassinato); Cesar Augusto Nistal (abuso infantil); Jose Padilla (assassinato); Demecio Carlos Perez (assassinato); Ramon Reyes (roubo e assassinato); Victor Vargas (assassinato); Rubem Villa (assassinato); Antonio Villaraigosa (fraudes gerais). Algum denominador comum? Por que não há um Smith nessa lista? Metade dos nomes nas listas dos xerifes é de hispânicos. Em 2010, 1.258 de cada 100 mil hispânicos homens estavam na prisão, comparado a 459 de cada 100 mil homens brancos.

17 - Se os hispânicos estão super-representados nas prisões americanas em termos de sua população, nas Forças Armadas eles estão sub-representados. A quantidade de recrutas por população é de 1,06 para brancos, 1,08 para negros, e apenas 0,65 para hispânicos. O patriotismo, um valor tão caro aos americanos, não parece despertar a mesma empolgação nos latinos.

 18 - A gravidez precoce é um convite a problemas sociais e criminais, como toda pesquisa aponta. Nos Estados Unidos, as hispânicas apresentam sete vezes mais chances de ter um filho entre as idades de 10 e 14 (1,4 por mil) do que as brancas (0,2 por mil), de acordo com o Centers for Disease Control. Há um fator cultural também. Gloria Trevi, a popstar conhecida como “Madonna mexicana”, afirmou que uma menor é uma menor nos Estados Unidos, mas no México é diferente, e o sexo com uma menor é aceito lá. De fato, em 32 estados mexicanos, a idade de consentimento para sexo é apenas 12 anos. Os americanos não devem se preocupar em importar tais “valores” para seu país?

19 - O Pew Research Center estima que em 35 anos a população americana será de 438 milhões, sendo 100 milhões de imigrantes. Uma transformação tão abrupta não deveria suscitar um debate mais aberto e sincero, sem tantos rótulos de “xenofobia” e “preconceito” a quem tenta questionar certas coisas?

20 - Um dos maiores jornais americanos, o NYT, é também um dos mais ativos na campanha pela imigração descontrolada. Mas nem sempre foi assim. Há editoriais de apenas poucos anos atrás pedindo cautela, alertando. O que mudou? Simples: em 2008, quando a crise quase levou o jornal à falência, Carlos Slim apareceu para salvá-lo, comprando seu controle. Slim é ninguém menos do que o sujeito mais rico do mundo e… mexicano! Sua fortuna vem do “capitalismo de laços” em seu país, dos esquemas monopolistas, dos conluios com o governo na privatização sem concorrência. Algo como 40% das empresas listadas na bolsa mexicana pertence ao magnata. E eis o que ajuda muito a aumentar sua fortuna: a quantidade enorme de imigrantes mexicanos nos Estados Unidos, mandando dinheiro de volta para os familiares, gerando consumo, fazendo ligações com taxas absurdas da Telmex. Por que ninguém questiona o claro conflito de interesses do NYT nessa questão tão fundamental para o futuro da América?

Rodrigo Constantino, do Instituto Liberal

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Jato atropela veado

Foto da asa direita do avião, feita por um passageiro, antes do pouso. 
Um jato CRJ-700 da American Eagle, a linha regional da American Airlines, atropelou um veado que atravessava a pista, na decolagem do Douglas International Airport  na cidade de Charlotte, Carolina do Norte, EUA.

O avião estava com destino ao aeroporto de Gulfport-Biloxi, no estado de Mississipi, com 44 passageiros e 4 tripulantes a bordo. O acidente ocorreu na quarta-feira, 15 de fevereiro.

O avião atingiu o veado na corrida de decolagem, avariando a asa direita e rompendo um dos tanques de combustível. Os pilotos sentiram a pancada e retornaram ao aeroporto, fazendo uma passagem em baixa altitude e velocidade, para que os técnicos em solo pudessem fazer uma avaliação da avaria sofrida pelo avião, antes de tentar o pouso de regresso.

CRJ-700 Canadair Regional Jet semelhante ao avariado em Charlotte.
O avião pousou sem problemas e os passageiros foram evacuados com a aeronave ainda na pista, com a ajuda dos bombeiros. Ninguém se feriu.


Os bombeiros do aeroporto espalharam líquido retardante de fogo no avião, para evitar um incêndio no combustível que derramava.

Um representante do aeroporto de Charlotte comentou que será feita uma investigação para determinar como o veado conseguiu passar pelas cercas do perímetro aeroportuário, que tem 30 km de extensão.

Um veado (mamífero da familía Cervidae) como este foi o protagonista do
acidente com o avião da American Eagle.
A FAA (Federal Aviation Administration) registrou 47 colisões de aeronaves com pássaros, sendo dois casos de mamíferos, no aeroporto de Charlotte nos primeiros meses de 2016..

A colisão com pássaros mais famosa foi a ocorrida com o voo 1549 da US Airways, em janeiro de 2009, que obrigou o comandante a fazer uma amerrissagem no Rio Hudson, em New York. O avião perdeu a potência dos dois motores após colidir com um grupo extenso de gansos canadenses que migravam para o sul.  

Avião do voo US Airways 1549, no rio Hudson.
O incidente resultou no livro de memórias “Highest Duty: My Search for What Really Matters”, de autoria do comandante  Chesley B. "Sully" Sullenberger e no filme “Sully”, estrelado por Tom Hanks e dirigido por Clint Eastwood.

De acordo com um relatório da FAA publicado em novembro de 2016, cerca de 260 pessoas morreram e 250 aviões foram destruídos em todo o mundo entre 1990 e 2015, em decorrência de colisões com pássaros e animais silvestres.