quarta-feira, 18 de abril de 2018

Harley-Davidson vence ação milionária contra fabricante de camisetas



 A Harley-Davidson Motor Company ganhou sua ação mais valiosa contra infratores de suas marcas registradas, ao vencer uma demanda e obter US$19,2 milhões como indenização contra o fabricante de camisetas SunFrog, que opera em quase todo o mundo, inclusive no Brasil.

A SunFrog é fabricante de camisetas com vendas diretas ao consumidor, produzindo camisetas com desenhos próprios ou reproduzindo aqueles desenhos ou marcas solicitados pelos consumidores.

Outra grande varejista operando na Internet, GearLaunch, também foi processada pela HDMC por infração à suas marcas registradas e chegou a um acordo, fora dos tribunais, pagando uma indenização não revelada à montadora de Milwaukee.

Segundo as notícias, a estratégia da Motor Company é atuar contra os grande infratores de forma a intimidar os pequenos fabricantes, que insistem em usas suas marcas registradas, sem autorização.

De acordo com Linda Heban, Conselheira Chefe de Marcas e Patentes da Harley-Davidson, seu departamento vai agir rigorosamente contra infrações às patentes e marcas da companhia. 

Cerca de 1.500 casos de infrações estão presentemente sendo conduzidas pela HD em todo o mundo.

sábado, 14 de abril de 2018

GPS: Versão 18.04 do Projeto Tracksource disponível


A versão 18.04 dos mapas do Brasil para GPS está disponível no site do Projeto Tracksource.

http://www.tracksource.org.br/desenv/tabela_mapsets.php

Disponível também a atualização de avisos de alerta Radar, Polícia, etc.:

http://www.tracksource.org.br/desenv/pois_loader_new.php

Não se esqueça de fazer uma contribuição financeira para o Projeto.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Mortes no trânsito diminuem em SP



Mortes no trânsito em SP caem 7% e os acidentes, 16%.
Números mantêm tendência de queda observada desde 2015, mas óbitos de ciclistas aumentaram. 

Os números de acidentes e de mortes no trânsito da cidade de São Paulo tiveram queda no ano passado, segundo relatório anual da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgado nessa quinta-feira, 12. No caso dos acidentes fatais, a redução é de 7%, de 813 casos em 2016 para 762 casos em 2017. Já o total de acidentes com vítimas, incluindo mortos e feridos, caiu 16%, de 16.052 registros em 2016 para 13.483 no último ano.

Os números mantêm a tendência de queda nas mortes do trânsito na capital que vem sendo observada desde 2015. Entretanto, a variação porcentual foi a menor do período - em 2016, a queda havia sido de 13% e em 2015, de 20%.

O secretário municipal dos Transportes afirma que a diminuição do ritmo é “desafiadora” e indica a necessidade de “um refinamento das ações já tomadas para reduzir os acidentes”, uma vez que iniciativas de mais impacto já foram adotadas.

O ranking de acidentes ainda é liderado pela Marginal do Tietê. No mês passado, a CET já havia divulgado que as Marginais, vias que tiveram os limites de velocidade aumentados no ano passado, haviam tido aumento no número de mortes, somando 32 casos ante 26 registrados em 2016, na contramão do restante da cidade. A companhia argumentou que esse aumento era decorrente de ações de imprudência por parte dos motoristas.

Também na contramão dos resultados positivos, a CET apontou em 2017 um aumento do número de ciclistas mortos. O total subiu de 30 em 2016 para 37 no ano passado. É a única categoria em que houve aumento: no caso de motoristas e passageiros de veículos, motociclistas e pedestres, houve redução. O secretário pondera que se notou “aumento do número de ciclistas na cidade e esse modal passou a ter peso maior na matriz de mobilidade”. Além disso, afirma que, para este ano, a Prefeitura pretende buscar canais de diálogo para conscientizar a população sobre imprudências.
  

Os motociclistas estiveram envolvidos em 8 mil acidentes no ano passado, ou 49% do total de ocorrências com vítimas. Eles responderam por 311 mortes, 39% do total. Para fazer o levantamento, a CET usa dados próprios, da Secretaria da Segurança Pública e da rede hospitalar da capital paulista.

Fonte: O Estado de São Paulo

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Harley-Davidson alerta para a manutenção correta da embreagem



Marca alerta que o uso correto da embreagem garante a durabilidade prevista no manual do proprietário, o bom funcionamento do sistema e a segurança ao rodar

Um dos principais mecanismos das motocicletas Harley-Davidson é o conjunto de embreagem, que em sua função mais básica, acopla e desacopla o câmbio ao motor, sendo um sistema mecânico básico e essencial. As motos da marca norte-americana são únicas e contam com singularidades técnicas, já que o conjunto da embreagem, na grande maioria das motocicletas H-D, localiza-se no compartimento primário, separado do motor e do câmbio, e a conexão ao motor é feita por meio de corrente.

As motocicletas Harley-Davidson contam com embreagens hidráulicas que utilizam o fluído DOT 4, desenvolvido especialmente para as necessidades técnicas e mecânicas desse sistema, e dos freios, em todos os modelos. A marca reforça que diversos mecanismos sofrem desgaste natural com o tempo e com a utilização, e deverão ser substituídos no momento correto, porém, a adoção de cuidados na hora da pilotagem garante a vida útil prevista.

A H-DB, visando sempre divulgar as melhores práticas do motociclismo seguro e para manter acesa a chama de união e amizade que só uma marca única e de 115 anos de existência possui, alerta para alguns erros que podem dar dor de cabeça aos proprietários, diminuir a vida útil e comprometer diversos sistemas da motocicleta.

As peças que sofrem mais desgaste são, normalmente, os discos e os chamados separadores, que trabalham em aderência constante quando são acoplados, por meio do óleo lubrificante. Os processos de deterioração podem acontecer por vícios de pilotagem como, por exemplo, o uso incorreto do manete de embreagem em arrancadas bruscas, manter a embreagem acionada por longos períodos durante as paradas com a motocicleta engatada ou conduzir e parar em aclives íngremes, o que superaquece o sistema e diminui a fricção. Também são fatores deteriorantes o uso de óleos lubrificantes com especificações técnicas inadequadas para as motos H-D ou excesso de temperatura.

Os sintomas iniciais podem ser percebidos com a perda de tração durante o acoplamento do conjunto de embreagem, ou seja, que o sistema não transmita a rotação do motor ao câmbio e, consequentemente, a tração não será transferida de forma adequada à roda traseira. A perda de força ou o não desenvolvimento da motocicleta ao acelerar também são sinais de desgaste, além da dificuldade na troca de marchas, principalmente nas primeiras.

Para a manutenção dos sistemas hidráulicos de embreagem são utilizadas técnicas similares às da manutenção do sistema de freio, já que o fluído deve ser inspecionado em relação ao nível do reservatório e a substituição deve acontecer a cada dois anos. Para os sistemas mecânicos, a manutenção inclui, também, a lubrificação do cabo de acionamento e ajuste do parafuso de regulagem, de acordo com a folga especificada no manual de serviço da H-D. Em ambos os casos, é necessária a substituição do óleo de todo o conjunto primário a cada 16 mil quilômetros.

Mesmo que os clientes não façam as substituições diretamente, é importante que saibam que a Harley-Davidson disponibiliza o óleo lubrificante “SYN3 20W50–sintético”, que foi desenvolvido para trabahar nos três compartimentos do conjunto de powertrain da motocicleta, ou seja, motor, primária e câmbio. Esse óleo garante as propriedades adequadas para o perfeito funcionamento dos sistemas, assegurando a redução de atrito no motor, a aderência na embreagem e a resistência à alta pressão no câmbio.

Durante a revisão, é substituído o lubrificante do conjunto primário, além de ajustado o parafuso de regulagem, lubrificado o cabo de acionamento e ajustada a folga ideal da alavanca de acionamento, nos sistemas mecânicos.

Portanto, a Harley-Davidson do Brasil incentiva todos os proprietários a realizarem as manutenções periódicas de acordo com a descrição da tabela de manutenção, que está no manual do proprietário. Também é importante adotar procedimentos seguros para condução da motocicleta. Descartar vícios de pilotagem e se atentar para uso constante da alavanca de embreagem ao parar em semáforos são ações que também fazem a diferença, assim como evitar “segurar” a motocicleta na embreagem em aclives ou arrancadas bruscas.

Para motocicletas de alto torque, como os modelos H-D, participar de treinamentos de pilotagem e condução segura promovidos pelos H.O.G.® Chapters podem ser grandes diferenciais para extrair o máximo desempenho e durabilidade da motocicleta.

Fonte: Harley-Davidson do Brasil

domingo, 18 de março de 2018

Daytona Bike Week 2018


77ª edição da Daytona Bike Week terminou hoje. Como sempre, foi um evento muito interessante, grandioso e democrático. Não há custo para participar; você só paga o que compra ou consome!

Algumas fotos que tiramos durante o evento:

Motocicletas:



































Lojas e outros:







































Como sempre, a grande maioria das motocicletas participantes eram da marca Harley-Davidson (acima de 90%, eu diria). A segunda marca mais vista foi a Honda, com suas Golden Wing em várias configurações.

É uma satisfação ver como está cada vez mais linda a Harley-Davidson dos meus sonhos:

2018 Harley-Davidson Tri Glide
Estivemos no estande do HOG USA, onde havia um computador que registrava a presença dos membros de HOGs visitantes. Marcamos nossa presença e ganhamos este pin:


Daytona Bike Week é o evento que recomendo nos EUA, para quem pretende curtir muita motocicleta, boa comida, excelentes cervejas e tudo mais. A região tem estradas belíssimas para rodar e muitas atrações turísticas, que atendem o gosto de toda a família.