terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A Coisa Está Ficando Feia no Mundo Harley-Davidson, no Brasil

Comentário postado por um amigo, no Facebook:


"Faz exatos 30 dias comprei mais uma HD, zero km, linda, desta feita uma Road King, na Auto Star SP.

As decepções começaram quando da montagem de acessórios: o eixo traseiro está literalmente enferrujado, bem como diversos parafusos e suportes.

Agora não podem fazer a primeira revisão, dos 1.600 km.

A The One Curitiba, onde tentei por fim, informou-me o motivo: as concessionárias não dispõem de "filtro de óleo" no país!!!

Como tenho viagem marcada, para mais de 4 mil km, acabei por comprar um filtro original e o levarei para poderem fazer a bendita revisão!

Companheiros PHDs a coisa continua ruim. Até agora de novo só discurso, mas nada de efetivas melhoras.
Temos que nos mexer..."

Na minha terra (MG) tem um ditado antigo que diz "quem não tem competência não se estabeleça."

Uma das razões principais argumentadas pela Harley-Davidson Motor Company para romper o contrato com o Grupo Izzo foi a incompetência do antigo concessionário em cumprir com suas obrigações junto aos consumidores da marca. Quem a HDMC vai culpar, agora?

E é bom ressaltar: isto não acontece nos EUA. Será que só nós, brasileiros, aceitamos este desrespeito?

Denúncia de Maus Tratos a Uma Lenda - A Resposta da Tennessee Harley-Davidson

A concessionária publicou um esclarecimento sobre o assunto, no perfil da loja no Facebook (http://www.facebook.com/tennesseehd/posts/350214625003440:)

Tennessee Harley-Davidson
COMUNICADO OFICIAL
Sr(a)s, boa tarde!
Nossa diretoria, ao tomar conhecimento do caso do Sr. Natal, apurou os fatos e entrou em contato com o cliente esclarecendo o ocorrido.
O atraso decorreu do desabastecimento de algumas peças originais que a Tennessee, obrigatoriamente, só pode comprar através da Harley-Davidson do Brasil.
A Tennessee, em conjunto com a Harley-Davidson do Brasil, está buscando alternativas emergenciais para a aquisição destas peças faltantes através de algum canal oficial.
Em contato com o Sr. Natal, a Tennessee lamentou o ocorrido, esclareceu que a origem do problema decorreu do desabastecimento de peças originais, e se prontificou a entregar sua moto em condições melhores que quando foi deixada na concessionária, independente das responsabilidades.
A diretoria da Tennessee está pessoalmente acompanhando a solução do caso e manterá a todos informados.

Então, segundo a concessionária, o problema é da Harley-Davidson do Brasil. 

Será que a H-D do B vai se explicar? Espero que sim.

A Fúria dos Impostos


O RECORDE DOS IMPOSTOS

A economia brasileira cresceu em torno de 3% no ano passado, uma performance reconhecida interna e externamente como expressiva, no contexto de desaceleração da produção mundial. Nessas circunstâncias, a arrecadação de impostos federais teve um desempenho excepcional e cresceu 10%, descontada a inflação.

A União obteve uma receita recorde de R$ 993,6 bilhões, num claro descompasso entre a capacidade produtiva do país e a fúria arrecadatória do governo. É muito imposto para ter como retribuição serviços de baixa qualidade e, como revelam os balanços do setor público do ano passado, uma aplicação de verbas muito aquém do previsto em investimentos de infraestrutura.

O que o contribuinte se indaga, todo ano, é o que, afinal, o governo faz com tanto dinheiro. Pelo que propagandeia, deveria estar investindo em melhorias em aeroportos, portos, estradas e em outras obras de infraestrutura, além das áreas essenciais da saúde e da educação.

Não foi o que ocorreu em 2011, quando, em nome do superávit nas contas públicas, houve um decréscimo de investimentos. Pelo balanço oficial, o Programa de Aceleração do Crescimento teria desembolsado R$ 28 bilhões no ano passado, um valor que seria 21% superior ao de 2010.

A cifra é enganosa. Desse total, cerca de R$ 18 bilhões foram de restos a pagar, ou seja, de dotações do ano anterior, referentes a obras que em eu sua maioria já estavam em andamento. De dinheiro novo, foram efetivamente aplicados R$ 9,4 bilhões.

O resumo do balanço é que o governo arrecadou muito e fez economia com o que poderia gerar mais produção, mais renda e mais emprego. A conclusão de especialistas em contas públicas é de que há, desde 2009, estagnação ou retrocesso nos recursos que poderiam garantir modernização e maior eficiência à infraestrutura brasileira.

O desalento é ampliado porque, ao mesmo tempo, não houve nenhum esforço no sentido de reduzir gastos com custeio da máquina pública e com o inchado quadro de pessoal, principalmente dos cargos em comissão. Gasta-se cada vez mais com o que não representa nenhuma melhoria nos serviços e tampouco contribui para que empreendimentos privados sejam, direta ou indiretamente, beneficiados.

O recorde de arrecadação não se traduz, por exemplo, em melhorias na área da saúde. Dos R$ 553 milhões previstos para a construção de unidades básicas, foram aplicados apenas 10%. Na implantação de Unidades de Pronto Atendimento, estavam orçados R$ 232 milhões e foram liberados apenas 9% deste total.

Outro programa, de implantação de postos de polícia comunitária, decisivo para o combate à criminalidade nas grandes e médias cidades, não recebeu um centavo dos R$ 350 milhões da dotação de 2011, segundo cálculos do economista Roberto Piscitelli, da Universidade de Brasília.

Falta, evidentemente, racionalidade na aplicação das verbas, o que confirma entre os cidadãos a sensação de que a cada ano todos contribuem cada vez mais para que o governo aplique, no que realmente interessa, cada vez menos.
Fonte: Jornal Zero Hora - RS

domingo, 29 de janeiro de 2012

Denúncia de Maus Tratos a Uma Lenda


Desabafo do Harleyro Natal José Dias, de Rio Claro, SP, publicado no Facebook no domingo, 29 de Janeiro de 2012 às 14:15

"Prezados Gestores da Harley-Davidson nacional e internacional.

Sou um Harleyro de coração e alma, defendo a marca, os amigos, divulgo os eventos, participo dos encontros, já estive duas vezes em Milwaukee, participei da parada dos 105 anos, portanto um amante dessa lenda que é Harley-Davidson.

Pois é, depois de voltar de um encontro internacional da Harley-Davidson em Cusco – Perú em outubro de 2.011, no exato dia 10.10.2.011 deixei minha DeLux para revisão e reposição de algumas peças danificadas na concessionária Tennessee em Souzas – região de Campinas – SP.

Passados 30 dias, orçamento aprovado e nenhuma notícia da devolução da moto. Moro a 100 km da concessionária e por inúmeras vezes tentei em vão falar com o setor de assistência técnica e não atendem ao telefone. Falei com o setor comercial, Sra. Roseli que gentilmente foi “buscar” o consultor e mesmo assim ele não me atendeu. Diziam que o telefone estava com defeito na oficina. Fui à concessionária, falei com o consultor que alegou falta de reposição de peças por parte da Harley-Davidson dos Estados Unidos, mas que breve estaria solucionado.

Noventa dias após, tentativas diárias de falar pelo telefone sem sucesso, através da responsável pelo HOG Tennessee, Steffani, ela consegui colocar o Gerente da oficina Sr. Eduardo na linha para falar comigo e esse se prontificou a avaliar os estoque e me retornar em 3 dias.

Passados mais 15 dias, ou seja, 110 dias após deixar a moto na concessionária, e sem retorno do citado gerente, fui novamente à concessionária.

Pasmem, os telefones da oficina continuam quebrados, ninguém para me atender por 15 minutos e quando um dos mecânicos me viu perambulando sem rumo pelo pátio foi me atender.

Expliquei-lhe meu caso e qual foi nossa surpresa quando ele descobriu minha moto.

Enferrujada, suja de barro e pó, ainda com a sujeira de minha última viagem, pneus vazios, em total estado de abandono e desprezo.

Fotografei a “coitada” e fui procurar um dirigente da concessionária. Não havia ninguém, gerente, proprietário, supervisores, até que uma consultora de vendas, Roseli que à muito conheço, desceu a oficina comigo para constatar o abandono e descaso com o consumidor e máquina.

 Esbravejei, exigi providências e ouvi apenas desculpas. Ouvi até que se a moto estivesse na minha casa, tanto tempo sem uso estaria nas mesmas condições. Mentira pois eu a teria lavado, lubrificado, pulverizado com anti-ferrugem e colocado-a sobre um cavalete.

Senhores seguem as fotos para comprovar o crime cometido com a minha Harley, com a minha pessoa e com a comunidade hardeyra desse nosso país.




Estamos a mercê de despreocupados com o consumidor, com a falta de ética de mercado e ficamos sempre quietos. Necessitamos de uma providência urgente!

Até quando?

Natal José Dias
Rio Claro – SP
29 de janeiro de 2.012"

O Natal Dias é meu amigo no Facebook e foi meu companheiro na travessia de Coast-to-Coast (NY to LA) em Julho de 2010. É um dos Halreyros mais leais à marca que conheço.
.
É impressionante como tudo mudou e, no entanto, continua na mesma. Para algums, está ainda pior.
Duvido muito que a Harley-Davidson consiga, realmente, aumentar suas vendas no Brasil, agindo desta maneira.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Outra Esportiva Harley-Davidson?

Já faz mais de dois anos que a Harley-Davidson Motor Company parou de produzir as motocicletas Buell.

 2009 Buell Ulisses

Desde então, o fundador da Buell e seu principal projetista, Erik Buell, saiu da H-D e fundou a Erik Buell Racing, uma pequena empresa dedicada a produzir motocicletas esportivas de alto desempenho.

2012 Erik Buell Racing 1190RS, de 1190cc

Mas será que a Harley-Davidson pretende desenvolver sua própria esportiva e competir com as motos esportivas japonesas acima de 600cc?

Perguntado sobre isto durante a apresentação dos resultados da empresa em 2011, na última terça-feira, o CEO da H-D Inc., Keith Wandell respondeu: "Quando você observa nossa estratégia em relação ao mercado feminino, aos jovens pilotos e o nosso crescimento internacional, verá que há algum produto para todo tipo de gosto."

Será que a Motor Company vai se aventurar por estes caminhos tão diversos?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Floripa Harley-Davidson

Segundo nota publicada no Informe Econômico do Diário Catarinense, a futura concessionária Harley-Davidson de Florianópolis abrirá uma loja provisória na rua Fúlvio Aducci, no bairro Estreito, dentro de um mês.

A revenda definitiva, a ser construída nas margens da BR-101 e anteriormente anunciada para entrar em operação em Março, deverá ficar pronta em Junho ou Julho.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Harley-Davidson Anuncia Resultados de 2011



As vendas da Harley-Davidson cresceram 10,9% no último trimestre de 2011, apesar de ser uma época considerada de baixa estação nas vendas de motocicletas no hemisfério norte, devido à proximidade do inverno. 
No ano de 2011 as vendas de motocicletas H-D ao consumidor aumentaram 11,8% nos Estados Unidos e 5,9% no resto do mundo.No mesmo período, o mercado mundial de motocicletas acima de 650cc cresceu 4,3%.

2012 Harley-Davidson Tri Glide Ultra Classic
Keith Wandell,  Presidente e Principal Executivo da Harley-Davidson Inc., anunciou hoje ao mercado financeiro resultados excelentes no ano de 2011, com forte crescimento nas vendas das concessionárias em todo o mundo. Os lucros quase que dobraram, comparados a 2010, atingindo US$ 548,1 milhões.

"A Harley-Davidson está transformando sonhos em realidade, com uma extraordinária experiencia nas vendas e na satisfação dos clientes. Em 2011 fizemos progressos consideráveis, transformando nosso negócio em uma operação mais ágil e efetiva, superando as expectativas dos consumidores, " disse Wandell no comunicado oficial. "As mudanças ainda em continuação em todos os níveis da organização permitirá a Harley-Davidson consolidar-se como líder mundial, liderado pelos clientes como nunca antes, com menor tempo no desenvolvimento de novos produtos, fabricação flexível e uma experiência no varejo de primeira classe."

2012 Harley-Davidson Softail Fatboy
As vendas totais atingiram 235.188 motocicletas, sendo 151.683 unidades nos Estados Unidos. No mercado internacional 83.505 motocicletas foram vendidas em 2011, sendo 44.340 unidades na Europa, 21.416 na Ásia e 7.247 na América Latina.

A receita na venda de motocicletas em 2011 foi de US$ 3,55 bilhões, um crescimento de 13,3% comparado com 2010. Partes e Acessórios cresceram 9%, totalizando US$ 816,6 milhões, enquanto Mercadorias em Geral (roupas, calçados, etc.) totalizaram US$ 274,1 milhões ou 5,8% mais do que 2010.

2012 Harley-Davidson Road King
Para 2012 a Harley-Davidson espera vender entre 240.000 e 245.000 motocicletas no varejo (Estados Unidos e mercado internacional), um crescimento de 3% a 5%.

Abertura Oficial PHD 2012


domingo, 22 de janeiro de 2012

Uma Alternativa ao Harley-Davidson Trike


Quem acompanha este blog sabe que a Harley-Davidson Tri Glide Ultra Classic é o meu sonho de consumo e há varias postagens sobre ela aqui.

2012 Harley-Davidson FLHTCUTG Tri Glide® Ultra Classic®
Entretanto, há uma etapa intermediária que pode ser uma alternativa mais barata e menos complicada de realizar, especialmente no país da burocracia. Trata-se do LegUp LandinGear, um artefato que ajuda a manter uma motocicleta touring na vertical, quando parada ou em baixíssima velocidade. É instalado como um descanso central e não há necessidade de alteração na documentação da motocicleta.


Desenvolvido pela Choper Design Services, de Longwood, Florida, o dispositivo permite a parada da motocicleta sem a necessidade de se por os pés no chão, ainda que isto seja altamente recomendável.

Com o pedido de patente já realizado e aguardando aprovação, o LegUp LandinGear é baseado num sistema computarizado, centrado em um atuador elétrico linear que baixa, ao simples toque de um botão, duas pernas com rodas acionadas por um mecanismo com molas.


O sistema permite que estas rodas auxiliares sejam baixadas quando a velocidade for menor que 10 mph (16 km/h) e equilibrar a motocicleta sem que o piloto tenha que colocar os pés no terreno e manter a motocicleta equilibrada com a força de suas pernas.

Claro que o piloto ainda usará os pés, mas o mecanismo diminuirá o esforço necessário para equilibrar a motocicleta.

As rodas auxiliares são retraídas automaticamente quando a motocicleta se movimenta. Ou pode ser recolhida pelo piloto, a qualquer momento. O mecanismo também ajuda a fazer curvas em baixa velocidade, mesmo em terreno irregular, com um sistema semi-automático.


O conjunto é alojado de baixo do quadro a motocicleta, logo abaixo dos alforges (no caso de Ultra Glide) e não interfere em qualquer manobra, mantendo a mesma distância do solo, original.


O mecanismo está em produção desde 1999, com centenas de unidades instaladas em motocicletas touring de várias marcas.

video

O preço é US$3.000,00, nos Estados Unidos (mais taxas) e o custo de instalação, lá, é de US$400 para motocicletas Harley-Davidson e US$600 para a Honda Gold Wing.

sábado, 21 de janeiro de 2012

16° Encontro Internacional Mendoza, Argentina

A maioria de nós ficou sabendo do acidente sofrido pelo Enrique Martinez, organizador do Encuentro Internacional Harley-Mendoza, realizado na cidade argentina desde 1997.


Estivemos procurando na Internet alguma notícia sobre o estado de saúde do Enrique e se o evento seria realizado este ano.

O nosso amigo Arno Hartke nos encaminhou mensagen recebida de Julian Martinez, filho do Enrique, que nos dá notícias de ambos. O estado de saúde do Enrique Martinez é delicado, mas já está em casa e em plena recuperação. E o evento será realizado, como programando, entre os dias 15 e 17 de Março de 2012.

As informações detalhadas são esperadas para os próximos dias e as postaremos aqui.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

BMW Motorrad Tem Excelente 2011


A BMW Motorrad vendeu mais motocicletas em 2011 do que em qualquer outra época nos seus quase 90 anos de história, atingindo 104.286 motocicletas vendidas em todo o mundo. O recorde anterior era de 2007, quando foram vendidas 102.467 unidades. 

Estes números colocaram o fabricante alemã com respeitáveis 12% no mercado mundial de motocicletas de grande porte (acima de 500 cc), quase dobrando sua participação em apenas quatro anos. O crescimento maior foi na Alemanha, França e nas Américas.

BMW K 1600 GTL
Óbviamente o maior mercado é na Alemanha, onde a marca vendeu 20.000 motocicletas, um crescimento de 16% sobre o ano anterior. No seu país de origem a BMW detem 25% do mercado.

Fora da Alemanha, os maiores mercados da BMW Motorrad são a Itália (14.234 unidades vendidas), Estados Unidos (10.203 unidades vendidas, aumento de 7,4%) e França, com 9.850 motocicletas vendidas em 2011, um crescimento de 15%.

BMW F650 GS
Entretanto, o país onde a marca alemã teve um crescimento mais significativo foi no Brasil, onde foram vendidas 5.442 motocicletas, um expressivo crescimento de 55,2%. O mercado brasileiro tranformou-se num dos mais importantes para a BMW Motorrad.  Aqui são montadas os modelos G 650GS, F 800 R e F 800 GS. 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Triste Realidade


Este é o triste resultado da desastrosa política brasileira de trânsito. Mais preocupadas em multar e arrecadar, as autoridades de trânsito do Brasil, em todos os níveis, falharam tristemente como bem demonstram os números estatísticos.

Um verdadeiro massacre, similar a uma guerra pelo número de fatalidades. O Brasil assiste passivamente a morte e a invalidez de milhares de cidadãos, no ápice de suas vidas.

Treinamento falho, quase inexistência de campanhas de conscientização, despreparo total na fiscalização.

As autoridades parecem mais preocupadas com o tamanho das placas de identificação das motocicletas e a colocação de selos adesivos em capacetes.

E la nave va . . .

domingo, 15 de janeiro de 2012

Your Are Born With It.



Advertising Agency: Momapropaganda, Brazil
Creative Director: Rodolfo Sampaio
Art Director: Fábio Baraldi
Copywriters: Adriano Matos, Rodolfo Sampaio
Photographer: Raul Raichtaler
Producer: Paulo Gereissate, Fábio Baraldi
Published: November 2011

sábado, 14 de janeiro de 2012

A Arte de Willie G.


Willie G. (William G. Davidson), Vice-Presidente Senior e Estilista Chefe da Harley-Davidson Motor Company, conhece motocicletas como ninguém e sabe como transformar aço, cromo e  couro em objetos desejados por milhões de motociclistas. Mas o que ele conhece de arte?

Se você visitar o Museu da Harley-Davidson em Milwaukee, WI, vai descobrir.

Willie G. é filho de William H. Davidson, que foi presidente da Harley-Davidson Motor Company de 1942 a 1973, e neto de William A. Davidson, um dos fundadores da empresa em 1903.


Formado pela Universidade de Wisconsin, William G. estudou no Centro de Artes da Faculdade de Desenho Industrial, em Pasadena, Califórnia e trabalhou muitos anos no Departamento de Projetos da Ford Motor Company antes de ingressar na HDMC em 1963. Um talentoso projetista, Willie G. foi o criador da Harley-Davidson Super Glide e da Sportster e esteve envolvido em todos os projetos da H-D desde então. A partir de 1969, todas as motocicletas, acessórios, jaquetas e outros produtos da Harley-Davidson tiveram sua aprovação final  antes de serem fabricados.  Juntamente com Voughn Beals, ele liderou um grupo de treze executivos que compraram o controle da HDMC em 1981, quando era parte da American Machine and Foundry (AMF), de triste lembrança.


Pela primeira vez  ele vai abrir para o público sua coleção de pinturas e desenhos numa exibição do Harley-Davidson Museum chamada "Aquarelas de Willie G.".  
A exibição inaugura no próximo dia 20 de Janeiro  e mostrará 40 pinturas além de rascunhos e estudos feitos pelo renomado estilista e projetista. A exibição continuará até final de Abril.

O Museu da Harley-Davidson fica na 400 West Canal Street, Milwaukee, Wisconsin.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

HD Point Fecha As Portas

A HD Point está encerrando suas atividades. O pessoal está atuando com as portas fechadas, finalizando os serviços pendentes e a loja/oficina deverá estar fechada no decorrer dessa semana.


Criada no início de 2007 com o objetivo de ser uma garage e ponto de encontro dos entusiastas das motocicletas Harley-Davidson, a HD Point transformou-se rápidamente no ícone da marca no litoral de Santa Catarina.

Da pequena oficina na rua 3300 até as amplas instalações na rua Pernambuco, a HD Point tornou-se uma parada obrigatória para os pilotos de motocicletas de grande porte que vivem ou visitavam Balneário Camboriú e região.

A pequena oficina na rua 3300, no início de 2007.
Os encontros gastronômicos das quintas-feira tornou-se rápidamente um item rotineiro na agenda semanal de todos nós. Num ambiente de camaradagem, os pilotos e suas garupas encontravam-se para conversar, planejar viagens e trocar opiniões e experiências. Muitas viagens e passeios foram iniciados com um café da manhã na HD Point.

Segundo as informações disponíveis, a equipe estará de volta ao mercado, em outra localização.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Motores H-D de 1911 a 2007


O motor V-Twin de 820cc foi o primeiro a ser produzido em série pela fábrica de Milwaukee e utilizado na maiorias das motocicletas H-D de 1909 a 1911.

Harley-Davidson 1909 com motor V-twin.
O motor F-Head foi utilizado na motorização de vários modelos de motocicletas H-D e empregado entre 1911 e 1929. E era usado tanto na configuração mono-cilíndrica (410cc) como na bi-cilindrica (820cc). Era chamado de "F" pela forma da haste de comando da válvula.

Harley-Davidson "F-Head"
A Harley-Davidson introduziu o motor "Flathead" de cilindros opostos na motocicleta "Sport Model", de 1912 a 1923 e nos "Servi-cars" de 1924 a 1973. Em 1929 o motor V-Twin "Flathead" de 45 cu.in (740cc) começou a equipar as motocicletas H-D. O motor é chamado de "flathead" por ter as válvulas instaladas no corpo dos cilindros, ao invés de serem instaladas no cabeçote. Assim, o cabeçote tinha uma aparência de "cabeça chata" (flat head, em inglês), que é o apelidos dos Fuzileiros Navais americanos, pela forma como cortam o cabelo.

Harley-Davidson "Flathead" de 740 cc
Posicionamento da válvula num motor "flathead"
Harley-Davidson Servi-Car 1940, restaurado
O motor "Flathead" foi substituído em 1936 pelo "Knucklehead", na motorização das motocicletas H-D de primeira linha e marcou a volta do comando de válvulas na cabeça do cilindro. O motor, também de 45 cu.in., ficou em produção até 1947. O apelido de "knucklehead" é devido à forma da tampa do balancim, que lembra o nó de um dedo (knuckle, em inglês).
Harley-Davidson "Knucklehead" de 740 cc
O motor "Panhead" foi introduzido pela Harley-Davidson em 1948 e continuou em produção até 1965, em duas versões: de 60 cu.in. (990cc) e 74 cu.in. (1200cc). Apelidado de "panhead" pela forma da tampa do cabeçote, que lembra uma panela (pan, em inglês).
Harley-Davidson "Panhead" de 1200cc
Os motores "Panhead" foram substituídos pelos "Shovelhead", também de 1200cc, em 1966. O volume dos cilindros foi aumentado para 82 cu.in. (1340cc) em 1978 para equipar as Harley-Davidson "Big Twin Bikes". Mais uma vez a forma da tampa do cabeçote definiu o apelido do motor, por sua aparência com uma pá (shovel, em inglês). O "Shovelhead" foi o último motor Harley-Davidson com um apelido popular.

Harley-Davidson "Shovelhead" de 1200 cc
Em 1984 a Harley-Davidson começou a usar os motores Evolution de 82 cu.in. (1340cc), utilizado em quase todos os modelos de motocicletas até 2001. As versões de 883cc e de 120cc continuam equipando as motocicletas da familia Sportster até hoje.
A maioria dos especialistas consideram que o motor Evolution foi a salvação da Harley-Davidson como fabricante de motocicletas, que parecia destinada à falência depois de anos produzindo motocicletas de baixa qualidade na fabricação, quando a empresa fazia parte do grupo AMF. As qualidades mais citadas nos motores Evolution é sua confiabilidade, estanqueidade a vazamentos de óleo, capacidade de continuar funcionando em condições adversas de temperatura e longevidade. Os motores Evolution são conhecidos por rodarem dezenas de milhares de quilômetros sem apresentar qualquer defeito. Outra característica é o uso de alumínio na fabricação do cilindro e do cabeçote, permitindo um motor mais leve, com melhor rendimento e maior capacidade de resfriamento do cilindro.

Harley-Davidson Evolution 883cc
Em 1999 a Harley-Davidson começou a equipar algumas motocicletas com os motores Twin Cam 88, também de 1450cc. Mas diferentemente dos motores Evolution, os Twin Cam 88 tem a bomba de óleo instalada diretamente no motor, transmissão primária por corrente silenciosa, que reduz consideravelmente o ruído produzido pelo motor em funcionamento, além da unidade de transmissão acoplada diretamente ao motor. Devido a problemas relacionados à vibração, os modelos Softail só começaram a usar os motores Twin Cam 88 a partir de 2001, com um novo desenho do quadro.

Harley-Davidson Twin Cam 1450cc
Em 2007 a Harley-Davidson passou a equipar suas motocicletas com o motor Twin Cam 96, de 1600cc e transmissão de 6 velocidades. Um fato interessante é que o lançamento dos motores Twin Cam não foi devido à incapacidade dos motores Evolution em aceitar maior cilindrada. A verdadeira razão é que a Harley-Davidson não tinha uma proteção de patente abrangente nos motores Evolution, permitindo que outras companhias oferecessem modificações e melhoramentos ao motores. Com os Twin Cam, a Motor Company conseguiu impedir que outros fabricantes fizessem clones virtuais do desenho do motor, tornando comercialmente difícil (mais caro) oferecer componentes e até motores completos baseados no projeto original da H-D.

Harley-Davidson Twin Cam 96, 1600cc

domingo, 8 de janeiro de 2012

Primeiro Bate-e-Volta do Ano

Neste sábado, sem qualquer planejamento prévio, fizemos o primeiro passeio de 2012.

Logo cedo, de manhã, peguei minha Ultra Glide e fui até o Maccori's Garage, anexo ao Auto Posto PHD de Balneário Camboriú, rotina habitual de todos os sábados.

Havia um objetivo específico que era instalar um Heat Shield debaixo do banco, para enfrentar o calor do Twin-Cam 96 no verão catarinense.
Este protetor de calor é do meu amigo Pimentel, que o usava na sua Ultra Glide. Como o Pimentel migrou temporariamente para uma BMW, ofereceu-me o protetor. Usarei até que ele compre uma outra Ultra Glide, o que tenho certeza acontecerá logo.

Enquanto estava lá, alguns amigos propuseram uma ida a Florianópolis, para um passeio e almoço. Voltei em casa para apanhar minha jaqueta e o capacete de estrada. Ligamos para outro amigo e em pouco tempo tínhamos um grupo de 6 motocicletas (4 HD e 2 BMW).

Saímos do Posto PHD eu, Pimentel, Nery, Nelson e Barbosa (que nos visitava de S.Paulo) e entramos na BR-101 Sul até Itapema, onde nos encontramos com o Bernardo, que já nos esperava junto ao posto da Polícia Rodoviária Federal.

A rodovia estava com um movimento bastante intenso, nos dois sentidos. Mas rodamos tranquilos até chegarmos em Floripa, entrando na Ilha pela via expressa da BR-282.

Até chegarmos na Av. Beira Mar Norte, tudo bem. Aí começou o congestionamento, que foi uma constante até chegarmos ao Restaurante Ponta Caranhas, na Barra da Lagoa (Coordenadas: 27 35 31.47S e 48 26 09.75W).
 

Restaurante Ponta das Caranhas
Tivemos um excelente almoço onde comemos a especialidade da casa: Peixe à moda Caranhas, que são filés de peixe enrolados e recheados com camarão ao Catupiry. Uma delícia e muito bem servido para duas pessoas. Como sempre, a conversa com os amigos foi o prato principal do dia. Estórias, brincadeiras, "causos".

Peixe à Moda Caranhas
O local é muito agradável, na beira da Lagoa da Conceição, com amplo estacionamento.

Trapiche do restaurante, para quem quer ir de barco.
Regressamos por volta das 14:30, fazendo a rota inversa, enfrentando o mesmo congestionamento até a Av. Beira Mar Norte e o fluxo pesado de veículos na BR-101. Chegando a Balneário Camboriú os amigos ainda seguiram para a Av. Atlantica para um chopinho, mas eu fui direto para casa, pois tinha um compromisso social.

Começamos bem o ano de 2012, fazendo aquilo que gostamos. Cada um na motocicleta que mais gosta, dentro do melhor espírito Harleyro.

O importante é sempre pilotar com segurança.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

China Testa Trem-Bala a 500 km/h


O governo da China começou a testar um trem-bala mais veloz do que o utilizado atualmente. O trem-bala em teste é capaz de atingir até 500 quilômetros por hora, tornando-se assim um dos mais rápidos do mundo. 

A nova série de trem-bala, conhecido pelas iniciais CRH (China Railway de Alta Velocidade, em inglês), tem seis carros e uma potência de 22 milhões de quilowatts - mais do que o dobro do trem-bala que faz a linha Pequim-Xangai.

O veículo em teste, denominado CHR380BL, foi projetado e fabricado pela Locomotive Sifang, uma subsidiária da China Railway Construction CSR com sede na cidade de Qingdao, na província de Shandong. O material utilizado no trem envolve plástico reforçado com fibra de carbono. De acordo com especialistas, esse tipo de transporte é o ideal para os países em desenvolvimento econômico. Em operação normal o CHR380BL rodará na velocidade de 380 km/h.

O CRH380BL na estação de Hangzhou

No Brasil, o projeto envolvendo o trem-bala é o do Trem de Alta Velocidade Rio-São Paulo (TAV RJ-SP) também conhecido como TAV Brasil, que conta com o apoio do governo federal e tem o objetivo de interligar Campinas, São Paulo e o Rio de Janeiro. O trem fará um percurso de 518 quilômetros.


TAV Brasil - imagem ilustrativa
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) marcou para 10 de março de 2012 a retomada do processo de licitação para a implantação do TAV. Pelo novo cronograma, a previsão é que a segunda fase do leilão seja realizada no segundo trimestre de 2013, um ano após o leilão da primeira etapa, e que o TAV comece a operar em 2018.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Fissura na Floripa Harley-Davidson - A Resposta


Em continuação à postagem do dia 20 de Dezembro, publico agora a versão apresentanda ao PHD-BR, pelo sr. Wanderlei Berlanda, proprietário da Floripa Harley-Davidson.  

Prezados,
Desde que o Altrão saiu do negócio Floripa HD e publicou a versão dele sobre o ocorrido, tenho tentado me manter afastado das inúmeras ofensas e opiniões viciadas sobre minha pessoa e minha índole.

Contudo, as coisas que tenho lido a meu respeito são tão mentirosas e tão injustas que resolvi lhes escrever. Antes de tudo, peço a todos que tenham consciência e justiça no que irão ler e lembrem-se que existe sempre mais de uma versão para a mesma história e que invariavelmente a versão que ataca é a que menos tem razão.

O projeto de Floripa levado até a Harley Davidson por mim, foi 100% traçado e formatado pela agência Mob e a apresentação e defesa foi executada pela Carla e por mim pessoalmente. Neste projeto não existiu sequer uma linha escrita ou idealizada pelo Altrão. Aliás, antes mesmo de termos apresentado o nosso plano, o Altrão já havia apresentado o seu projeto individual de negócio, o qual por motivos que não cabem a mim questionar e nem me interessam, foi reprovado pela HD Brasil.

Neste intervalo entre o projeto dele e o meu, pesquisando a marca e adequando nossa capacidade e investimentos no plano, recebemos algumas informações sobre o Altrão e, sabendo que ele estava fora para a HD, resolvi chamá-lo para conversar e propus a parceria. Parceria esta devidamente detalhada por mim e aceita por ele tópico por tópico. Faço questão de mencionar as condições contidas no email que enviei à ele em 13 de julho de 2011 e que foram aceitas sem divergência pelo Altrão.

As condições eram claras e abertas como tudo o que faço: ele deveria entrar com uma contrapartida de 2% do investimento total, ele teria o cargo de Gerente de Vendas, faríamos uma experiência de 6 meses com ele para selarmos o mútuo acordo, dentre outras coisas como por exemplo e obviamente, as decisões sempre deveriam ser conjuntas ou pelo menos, por uma questão de majoritariedade, levadas ao meu conhecimento em tempo.

Pois bem, sobre a contrapartida, eu coloquei os 100% do investimento necessário – mais de 3 milhões de Reais - e mesmo assim, ainda que não esteja escrito em nenhum contrato, honro e farei jus aos 2% dos quais dei minha palavra a ele, nenhum centavo a menos e nem a mais. Para que os senhores tenham uma pequena idéia, depois do rompimento ele já mencionou que devo a ele 1,5 milhão! Quem é o oportunista, o mercenário, o calculista?
  
Sobre o cargo que mutuamente combinamos de Gerente de Vendas, assim como para as demais pessoas da equipe foram confeccionados cartões de visita, mas o Altrão se recusou veementemente a utilizar e mandou fazer outros sem o cargo, para que pudesse escrever o posto que seu ego melhor achasse conveniente. Então eu sou o arrogante, o prepotente, o sem humildade? Abro aqui um parêntese, pois quando falo em humildade não estava almejando que ele se humilhasse para mim e muito menos o julguei inferior. Mas não admito que ele tenha se perdido nos seus devaneios e acabou por se esquecer do tamanho do sonho que estava prestes a materializar, sendo convidado e ganhando de mão beijada e boa fé o investimento necessário. Ele se sentiu inferiorizado por um título. Título este que ele aceitou assim como as demais condições do nosso acordo. Mas ele não teve nenhuma humildade.

Prova disso é que não precisei nem dos 06 meses de experiência para perceber a falsidade e a soberba que vieram a tona. É até triste falar, pois quando procurei o Altrão eu queria realmente que desse certo, eu acreditei nisso, todos sabem, eu não precisaria de sócio, eu não precisaria de nada além da minha força de vontade. Mas eu apostei, só que apostei numa pessoa que já se sentia no direito de passar por cima do nosso acordo e fazer tudo como bem quisesse.

 Então, nestes 90 dias ele brigou com a agência, maquiou informações, contratou pessoas sem sequer o meu conhecimento e nem mesmo a nossa pequena equipe confiava mais nele. Fez pequenas coisas que para mim demonstraram abertamente sua fraqueza de caráter e prepotência.

Eu respeito todas as opiniões expressadas após a manifestação do Altrão, mas sinceramente as mesmas só teriam validade se viessem de pessoas que me conhecem ou que tivessem tido, no mínimo, a chance de saber a história inteira. É preciso que lembrem: a “justiça Divina” tão citada por vocês nos xingamentos e ofensas a mim, vale para todos. Então sejam justos.

Falando em me conhecer, tenho mais de 30 anos de estrada como empresário, onde tive empresa de máquinas agrícolas, fui fundador da rede de lojas Berlanda, fui sócio da Colchões Gazzin, fui proprietário da rede de lojas Base e atualmente sou sócio da B&M Construtora, sou sócio do Shopping Pátio Chapecó, Sócio das Farmácias Sempre+, sócio da Sonotop Colchões, sócio da Base Administradora de Imóveis, sou sócio da Izzy Incorporadora. Tais empreendimentos me renderam a presidência e vice presidência do CDL de Chapecó, a vice presidência do FCDL de Santa Catarina, a presidência do Automóvel Clube, a vice presidência da FAUESC. Além do que hoje estou a frente e toco com meus dois filhos a bandeira da Toyota em Florianópolis e Itajaí.

Portanto prezados, quando comecei eu não sabia vender máquinas agrícolas, mas eu aprendi, eu não sabia vender colchões, mas eu aprendi, não sabia vender móveis e eletro, mas eu aprendi, não sabia vender imóveis e nem remédios, mas eu aprendi. E falo aberta e sinceramente que não sei vender motos, muito menos Harley, mas eu vou aprender, pois me sobram grandes diferenciais: humildade para aprender, força de vontade para construir e paixão pelos projetos que empreendo. Somem a isso tudo o infinito respeito e idoneidade com os quais trato meus clientes nestes longos anos e pensem um pouco nas barbaridades que resolveram democraticamente falar sobre mim.

Por isso tudo, não admiti mais ser caluniado de forma tão baixa e ficar calado. Bem como, não admito a falta de respeito com as demais pessoas da equipe Floripa HD, a Tati, o Ivan e o Gutho, que são harleyros tão apaixonados quanto vocês e que tem me ensinado a amar a Harley e tem aprendido comigo a fazer negócio com transparência.

A verdade é plena.
Wanderlei Berlanda



segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Programação do Gas Station Pub em Janeiro



Novo Parabrisa para H-D Touring


A Harley-Davidson lançou dois novos modelos de parabrisa para alguns modelos da família Touring.

Os novos parabrisas tem um desenho que melhora o fluxo do ar, reduzindo o ruído provocado pelo vento.  Eles estão disponíveis em Lexan translúcido ou fumê.
O novo desenho apresenta o parabrisa um pouco mais inclinado, alinhado com a forma do morcegão e do painel de instrumentos.

Part # 57400092

Pode ser equipado nas Ultra Glide, Electra Glide, Street Glide, Road Glide e no Trike. Não pode ser usado, entretanto, com bolsas de parabrisa, devido à sua maior inclinação. Não pode ser usado, tampouco, com o suporte do GPS Zumo 550 vendido pela Harley-Davidson.

Os modelos são  apresentados nos tamanhos de 4 ½, 7 e 10 polegadas.