quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Floripa H-D: revisões mais economicas?


Parece que sim.

Recebi esta mensagem, que imagino tenha sido enviada aos clientes da concessionária catarinense:

Inspeção Preventiva – Floripa Harley-Davidson
Mecânicos treinados e capacitados pela Harley-Davidson University, especialistas também em motos CARBURADAS!
Valor da Inspeção R$ 680,00
Nesta inspeção o mecânico irá verificar itens de primeira necessidade para garantir a vida do piloto e da sua máquina lendária.
Serão inspecionados os seguintes itens:
*Fluido de freio (grau de contaminação causado pela umidade) com ferramental adequado;
*Ajuste da caixa de direção e lubrificação através das graxeiras;
*Rolamentos de roda (dianteira e traseira, com ou sem ABS);
*Análise de erros do sistema eletrônico da motocicleta (injeção eletrônica e módulos de segurança);
*Desgaste natural das pastilhas de freio (Espessura de segurança – vida útil) e discos de freio (espessura de segurança e empeno);
*Troca do óleo do motor com o óleo EXCLUSIVO HARLEY-DAVIDSON SYN3 (100% sintético) e filtro de óleo, com verificação da carbonização das velas de ignição;
*Verificação da tensão da correia dentada (Belt)

*Lavação de aparência  - para tirar resíduos do óleo e maresia, com finalização de WD 40 para proteger ainda mais a sua motocicleta.

A mensagem também informa que a revenda está aceitando o pagamento no cartão de crédito, em até 4 vezes sem juros.


Conversando com o João Rodolfo Lajús, Gerente de Pós-Venda da Floripa H-D, fui informado que os preços mais baixos se aplicam também nas revisões de motocicletas injetadas.

Perguntei como eles conseguiram reduzir o custo das revisões, uma das "pedras no sapato" dos harleyros em qualquer parte do país.

Ele explicou que a sua equipe fez uma reformulação na rotina das revisões, conseguindo reduzir o tempo empregado em cada um dos procedimentos, sem perder a qualidade no serviço. Este ganho em produtividade está sendo repassado aos clientes, com a redução no custo final das revisões.


Uma boa notícia, sem dúvida. Redução no custo de revisão é algo inusitado nestas bandas.

No final, todos ganham. O cliente, por gastar menos pelo serviço. A revenda, por poder fazer mais revisões em cada dia. 

Parabéns!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

GPS: Versão 16.09 do Mapa Brasil está disponível


A versão 16.09 do Projeto TrackSource está disponível para download.

Veja aqui: http://www.tracksource.org.br/desenv/tabela_mapsets.php

WD-40 e seus usos



O produto WD-40 já é bastante conhecido por todos. Mas a cada momento novos usos para o produto são divulgados. Entrei no site do fabricante, nos Estados Unidos, e encontrei a mais atualizada listagem de usos para o WD-40, uma lista com mais de 2000 itens. 

No site brasileiro, mais simples, também tem as dicas sobre o uso do WD-40. O endereço é: http://wd40.com.br. 

Na página "Dúvidas" do mesmo site, alguns mitos sobre o produto são desmentidos. Aqui vão alguns deles:

Mitos sobre WD-40
  • WD-40 não pode ser aplicado no computador. Pelo contrário. WD-40 pode sim ser usado para limpar e proteger as peças do computador. Apesar de ser inflamável, WD-40 não pega fogo se aplicado no interior do equipamento. Porém, o PC deve estar desligado no momento da aplicação. Depois de aplicar WD-40, pode ligar o computador imediatamente. Para um melhor resultado, tire o excesso de sujeira do computador antes da aplicação.
  • WD-40 não pode ser usado para limpar potenciômetro de guitarra. Pode sim! Ele pode ser aplicado em qualquer tipo de componente eletrônico. Não danifica e nem conduz energia elétrica, além de proteger contra a corrosão dos condutores e eliminar a umidade.
  • WD-40 corrói e oxida componentes eletrônicos e peças metálicas. Na verdade, WD-40 foi criado justamente para evitar que isso aconteça. Sua fórmula impede a oxidação e corrosão além de eliminar a umidade.
  • WD-40 estraga borracha e madeira. A composição química do WD-40 não ataca madeira e borracha. Ele não deteriora e nem "come" nenhum tipo de material pois não contém querosene e pode ser aplicado em qualquer lugar.
  • WD-40 é óleo. Na realidade, WD-40, é uma mistura de concentrados químicos complexos diluídos em um destilado de petróleo de alta qualidade. Não contém silicones ou lanolinas de qualquer espécie. É mais fino do que a água e penetra na peça, não deixando a mesma com aspecto de gordura como os óleos comuns.
  • WD-40 lava a peça e tira a lubrificação. De maneira alguma. WD-40 é um lubrificante para mecanismos de baixo atrito, como dobradiças, fechaduras, portões, etc. Em mecanismos de alto atrito (que pedem lubrificação pesada, como graxa), WD-40 derrete a graxa ou produtos “gordurosos”, limpando assim, a peça. Portanto, neste caso, utilize somente com a finalidade de limpeza e em seguida reaplique o lubrificante para alto atrito de sua preferência.
  • WD-40 atrai pó e sujeira e faz com que elas grudem na peça. Mentira. WD-40 cria uma película protetora sobre os materiais e infiltra nos mesmos, aumentando a proteção. Por isso, não atrai mais poeira do que outra superfície não tratada com este produto. WD-40 não é "gorduroso", portanto, não gruda a sujeira.
  • WD-40 é feito com óleo de peixe. Mentira. A fórmula de WD-40 não contém nenhum tipo de extrato animal, apenas mineral. Os compostos que formam o WD-40 são a base de derivados de petróleo juntamente com uma fórmula secreta, conhecida por apenas 3 pessoas no mundo.
  • WD-40 pode ser usado em ferimentos e queimaduras. O produto não foi criado para fins medicinais, mas sim para uso doméstico e industrial. A empresa não recomenda, de forma alguma, que WD-40 seja usado na pele para curar ou aliviar sintomas de doenças.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Harley-Davidson Milwaukee-Eight: primeiro teste na estrada

2017 Harley-Davidson CVO Ultra
A revista americana Rider publicou o teste realizado pelo jornalista Greg Drevenstedt em alguns modelos da linha 2017 da Harley-Davidson, equipadas com o novíssimo motor Milwaukee-Eight.

Alguns pontos interessantes ressaltados pelo jornalista:
  • Como já divulgado, os motores M-8 vão equipar todas as motocicletas da família Touring e Trike com a versão de 107ci (1750cc), em duas versões: cabeçote refrigerado a óleo nas Street Glide, Road Glide, Electric Glide Ultra Classic, Road King e Freewheeler. Cabeçote refrigerado a líquido nos modelos Ultra Limited, Road Glide Ultra e Tri Glide Ultra. A versão de 114ci (1870cc) vai equipar a CVO Limited e a CVO Street Glide. A CVO Breakout continuará sendo equipada com o motor Twin Cam 110B.
  • Greg Drevenstedt percorreu 400 milhas (650km) em dois dias em vários modelos 2017 da linha Touring e comenta que o motor Milwaukee-Eight é um vencedor. Segundo ele, o motor é a grande atração, mas chama a atenção do piloto a nova suspensão Showa que equipa a linha Touring (os triciclos continuam com a suspensão tradicional). O desenvolvimento do novo quadro, que começou nos modelos 2009 e continuou no Projeto Rushmore, parece ter sido concluído agora. A Harley-Davidson sempre teve o estilo como carro-chefe nos projetos, mas recentemente tem focado mais energia na criação de um pacote completo, investindo pesado de forma a manter as linhas tradicionais de uma H-D mas, ao mesmo tempo, desenvolvendo e aplicando tecnologias do futuro, oferecendo melhor desempenho, segurança, conforto para o piloto e garupa e prazer de pilotar.
Alex Bozmoski, Engenheiro-Chefe  de Motores e Transmissão,
liderou a equipe que desenvolveu o motor M-8.
  • A HDMC não troca sua linha de motores com muita frequência. O M-8 é o nono V-Twin desde que o primeiro foi criado, na década de 1920. Há muita coisa junta no Milwaukee-Eight, desde o peso histórico da marca até a forte expectativa dos clientes tradicionais, aliados ao sucesso financeiro que uma empresa global precisa trazer para os seus acionistas. A responsabilidade em um projeto desta envergadura caiu nos ombros de Alex Bozmoski, Engenheiro-Chefe  de Motores e Transmissão, um veterano com 34 anos de Harley-Davidson. Alex liderou uma equipe que desenvolveu um motor totalmente novo, trabalhando juntos em todas as fases de projeto, da construção do protótipo até os duros testes que o Milwaukee-Eight teve que enfrentar, para ser considerado pronto para equipar uma Harley-Davidson.
O corte no Milwaukee-Eight 107 mostra as passagens de óleo
de arrefecimento (em azul), no cabeçote do motor.
 
  • Da mesma forma como desenvolveu o Projeto Rushmore, a Motor Company determinou os critérios de projeto do M-8 baseado nas pesquisas com os clientes. Mantendo os clientes tradicionais satisfeitos e atrair novos compradores enquanto satisfaz a legislação de emissão de gases e ruídos é uma tarefa muito complicada, para dizer o mínimo. Com uma base mundial de clientes e forte concorrência de marcas como a Indian, Victory, Yamaha e outras, a HDMC não poderia ser complacente em nenhum ponto. Seus clientes querem uma novo motor com mais potência, gerando menos calor, vibrando menos mas que mantenha a aparência, som e pegada que caracterizam um motor Harley-Davidson. E conseguiram! O Milwaukee-Eight  tem uma marcha lenta com menor RPM e para compensar isto, a Harley-Davidson adotou um novo estator com capacidade 50% maior, que continua carregando a bateria ao mesmo tempo que fornece a energia necessária para os acessórios instalados (sistema de áudio, aquecedor de manopla, bancos, etc).
A Street Glide 2017 com o motor Milwaukee-Eight 107ci
  • Se o motor Milwaukee-Eight é a estrela do show 2017, a suspensão Showa ganha o prêmio de melhor ator coadjuvante. O garfo Showa Dual Bending Valve não necessita ajustagem e tem um desempenho melhor, com menor peso. Na traseira, um jogo de amortecedores a emulsão, também da Showa, vem com um pistão mais longo e uma ajustagem que permite de 15 a 30% mais ação, sem mudar a altura do solo. Para os admiradores da Street Glide, especialmente no Brasil, isto é uma ótima notícia! A nova suspensão permite, ainda, um melhor desempenho do sistema de freios ABS.
  • Apesar das palavras da Harley-Davidson afirmando que a embreagem hidráulica tem melhor característica, o jornalista achou sua operação ainda pesada e com mais dificuldade de achar o neutro.
No final, Greg Drevenstedt considera as Touring 2017 com motor Milwaukee-Eight e suspensão Showa como as melhores motocicletas já produzidas pela Motor Company.

E começa a Primavera

Jardim Botânico de Curitiba, na primavera.
O Hemisfério Sul se despede do inverno nesta quinta-feira (22/9), às 11h20, dando lugar à primavera, estação em que as temperaturas devem começar a subir gradualmente. Apesar de uma temperatura média mais alta, há chances de formação do efeito La Niña - o resfriamento das águas do Pacífico -, que seguraria o aumento da temperatura no Sul do Brasil.


Segundo os meteorologistas, o fenômeno La Niña ainda não está oficialmente caracterizado, mas já há um resfriamento das águas do Pacífico em curso na região equatorial. Caso o efeito La Niña  se confirme, vai favorecer o deslocamento de massas frias polares na região Sul.

A média da temperatura prevista para a primavera de 2016 está em 25° C para todo o país. Apesar disso, as marcas dos termômetros subirão com comedimento nos estados do Sul. A previsão é de que as temperaturas médias sejam menores do que a média da primavera de 2015, nos três estados da região.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Back to the Future em Curitiba

Relógio da primeira igreja de Curitiba, parado no tempo.
Foto:André Rodrigues/Gazeta do Povo
No dia 12 de novembro de 1955 um raio atingiu o Relógio da Torre da pequena cidade de Hill Valley, nos Estados Unidos. Trinta anos depois, em 1985, Marty McFly ainda escutava pessoas pedindo ajuda nas ruas para arrumar o relógio, que, durante aquela tempestade, estragou com seus ponteiros marcando exatamente 22h04.

Quem assistiu ao filme “De Volta para o Futuro”, de 1985, conhece bem essa sequência. Mas o que a produção tem a ver com Curitiba? Simples: aqui temos nosso próprio “relógio da torre”, parado há alguns anos. E um doce para quem adivinhar qual a hora cravada pelos ponteiros estáticos.

Está instalado na torre da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, ou, simplesmente, Igreja da Ordem, localizada no Largo da Ordem. Quem diria: a mais antiga igreja da capital paranaense, inaugurada em 1737, tem uma relação com um filme de ficção científica.

O relógio funcionava de forma analógica, com cordas e molas que impulsionavam as engrenagens do tic-tac pelos imponentes algarismos romanos. Agora, está calado. Os motivos são os mais variados na boca do povo, assim como a época em que tudo ocorreu. Ninguém sabe se foi às dez e quatro da manhã ou da noite. Há quem diga que aconteceu por volta de 1995, depois de um assalto, quando foram roubadas algumas peças cruciais para o seu funcionamento. Outros acreditam que simplesmente parou de funcionar, em 2005, por ser muito antigo, e nunca foi arrumado.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, no Largo da Ordem, Curitiba.
Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo
Quando foi instalado e as circunstâncias em que parou só geram teorias por falta de informações oficiais. O padre Waldir Gomes Zanon Junior, que hoje é o reitor da igreja, ocupa a posição há pouco mais de um ano. Antes o encarregado era o monsenhor Luiz Gonzaga Gonçalves, desde 1994. Mas problemas de saúde o impedem de lembrar com clareza dos fatos do alto de seus mais de 90 anos.
A Arquidiocese de Curitiba não possui esse registro. Uma explicação pode estar no Livro Tombo da própria igreja, no qual são registrados os acontecimentos mais significativos do dia-a-dia da paróquia. Como esse documento fica sempre sob responsabilidade do pároco, a reportagem não conseguiu ter acesso.

Além de “o quê” aconteceu, nesse mesmo documento talvez esteja registrado o “quando”, resolvendo completamente o mistério. Há ligação entre o relógio do filme e o nosso? Alguns acreditam que pode ter sido algo planejado por algum admirador da trilogia, caso do atendente comercial dos Correios Jonas Borges, que é integrante do fã-clube Hill Valley Telegraph, de Curitiba.

Entretanto, tudo leva a crer que se trata de “uma pura, simples e deliciosa coincidência”, como afirma o analista de marketing Tarcisio Cavalcante, um dos fundadores do fã-clube. Seja como for, os fãs vibram com as semelhanças. “Um relógio pode parar em qualquer horário. Por que o da Igreja da Ordem parou justamente nesse?”, questiona-se Borges.

DeLorean estacionado em frente à Igreja da Ordem
 reproduz cena em que McFly volta para seu tempo.
Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo
O historiador Ruy Marques quis trazer o relógio da Igreja da Ordem para o filme produzido por ele, “Caçadores de Espécies e o Símbolo Secreto”, rodado em Curitiba. Lançado no ano passado, o obra une ficção científica e ufologia. No longa, as semelhanças com “De Volta para o Futuro” não são abordadas, mas foi a coincidência que fez com que Marques quisesse mostrar o relógio.

É a magia que acontece quando sua cidade divide algo com um filme adorado. Aliás, tão adorado que um de seus fãs de Curitiba adquiriu um modelo original do DeLorean de 1981, veículo convertido em máquina do tempo pelo carismático cientista Doc Brown, permitindo viagens para o passado e para o futuro. “A história me moveu a importar o carro”, explica o empresário Marlus Pertile.

O fato curioso transforma a cidade perante a visão das pessoas. Não só a Igreja da Ordem, mas também seu relógio, como um elemento independente, passa a ser ainda mais admirado. “Vira ponto turístico, principalmente para os fãs”, aponta Cavalcante. “Torço para que não arrumem”, diverte-se Marques, que acredita que isso pode dar origem a um exercício de redescobrimento. “Devem existir muitas outras coincidências a serem encontradas na cidade, só precisamos olhar com mais cuidado”, reflete.

Fonte: Mariana Domakoski, Gazeta do Povo, Curitiba 20/09/2016

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Farol baixo: AGU recorre contra liminar


A Advocacia-Geral da União (AGU) entrou nesta quarta-feira, 14, com recurso na Justiça Federal em Brasília contra a decisão liminar que suspendeu a cobrança de multa a motoristas que transitarem com o farol desligado nas rodovias do País. A liminar considera falta de sinalização.

A AGU não divulgou o conteúdo do recurso por “estratégia processual” e informou apenas que pediu “reconsideração” da liminar ao mesmo juiz. Enquanto não houver nova decisão, a aplicação de multas pelo não uso do farol baixo nas rodovias continua suspensa no País, até mesmo nas estradas que já têm a sinalização exigida.

O objetivo da lei, segundo o governo, é aumentar a segurança nas estradas e reduzir o número de acidentes, especialmente as colisões frontais. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o uso de farol baixo durante o dia permite que o veículo seja visualizado a uma distância de três quilômetros por quem trafega no sentido contrário.

A implementação da lei foi criticada por motoristas e especialistas em trânsito por causa da falta de sinalização. Para os críticos, a aplicação de multas sem a devida informação aos motoristas passa a impressão de que a medida tem “finalidade arrecadatória”.

Autuações. No primeiro mês de vigência, 124 mil veículos foram autuados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Só nas estradas estaduais de São Paulo, houve 17 mil autuações, segundo a Polícia Militar Rodoviária, o que totaliza cerca de R$ 12 milhões em infrações aplicadas.

Veja: Justiça Federal suspende Lei do Farol Baixo Farol baixo: a União vai recorrer

Atualização em 19/9/2016
A Justiça Federal de Brasília negou recurso da Advocacia Geral da União (AGU) em nome do Ministério das Cidades e decidiu manter suspensa a lei que obriga motoristas a utilizarem o farol baixo durante o dia em rodovias e túneis.

No dia 2 de setembro, o juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal em Brasília, aceitou o pedido da Associação Nacional de Proteção Mútua aos Proprietários de Veículos Automotores (ADPVA), dizendo que a lei só poderia passar a valer do momento em que houvesse a devida sinalização, alertando para o uso obrigatório, com multa de R$ 5 mil por dia em caso de descumprimento e cancelando qualquer multa que viesse a ser aplicada a partir da publicação da liminar.

O texto da lei 13.290 estabelecia que quem fosse flagrado circulando com os faróis apagados durante o dia estaria cometendo uma infração média, com 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa de R$ 85,13.

Entre as falhas do texto da lei, estão a não especificação de uso do DRL (Daytime Running Lights) luzes diurnas em substituição ao uso do farol, que recebeu uma adição do Ministério das Cidades indicando que poderiam ser utilizados, e de como é feito a autuação - se exige que o motorista seja abordado ou não.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Desconto em multas de trânsito pode aumentar


O desconto no pagamento de multas de trânsito antes do vencimento pode passar dos atuais 20% para 40%, caso o motorista se cadastre no futuro Sistema de Notificação Eletrônica, regulamentado por meio de resolução publicada na quinta-feira (8/9) no Diário Oficial da União.

O sistema trocará as cartas de notificação de infração e de penalidade de multa por e-mails ou mensagens no telefone celular do proprietário ou condutor indicado.

Se ele optar por não apresentar defesa prévia, nem recurso, reconhecendo o cometimento da infração, o pagamento poderá ser de apenas 60% do valor da multa, em qualquer fase do processo, até o vencimento.

A criação do sistema está definida na Resolução 622 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que entra em vigor em 1º de novembro. No entanto, não há nenhum prazo especificado para entrar em operação efetiva. O Denatran ficará responsável por desenvolver, padronizar, organizar, manter e fazer a gestão do sistema eletrônico.

"Dentre as razões pelas quais o Contran decidiu adotar esta medida estão a busca pela garantia de que o condutor será efetivamente notificado da autuação, a redução dos custos com o envio de impressos e a redução na utilização de papel", afirmou em nota o Ministério das Cidades.

O sistema em desenvolvimento pretende incluir na comunicação por meio eletrônico um link para recurso da notificação ou solicitação da transferência dos pontos para outro condutor, assim como já é feito no modelo impresso de notificação.

Em maio foram sancionadas medidas que endurecem as punições previstas no Código de Trânsito Brasileiro  (CTB), principalmente com aumento no valor das multas que também começa a valer em novembro deste ano.

A punição para o motorista que for flagrado falando ou "manuseando" o telefone passará de média para gravíssima. A multa que era de R$ 85,13 passará para R$ 293,47.

A redação do código de trânsito incluiu a palavra "manuseando" para punir também quem manda mensagens de texto ou fica olhando as redes sociais ao volante.

Quando a mudança entrar em vigor, as multas mais pesadas, dadas a infrações gravíssimas com multiplicador de 10 vezes, passam a ser de R$ 2.934,70. Este é o valor previsto para quem é pego disputando racha ou forçando a ultrapassagem em estradas, por exemplo.


Também poderá pagar o valor máximo quem se recusar a fazer teste de bafômetro, exame clínico ou perícia para verificar presença de álcool ou drogas no corpo. Neste caso, se ele for reincidente em menos de 12 meses, a multa será dobrada, chegando a R$ 5.869,40.

A partir de 1º de Novembro, os Detran Estaduais deverão iniciar o cadastramento dos motoristas no Sistema de Notificação Eletrônica.

domingo, 11 de setembro de 2016

Rodando pela República

Estrada de acesso à Colônia Witmarsun, em Palmeiras, PR.
Um belo domingo de sol, no finalzinho do inverno, com temperatura agradável é um chamado perfeito para rodar com a Sunshine.

E foi o que fizemos. Tomamos o café da manhã em casa, mas resolvemos almoçar na Colonia Witmarsun. Foi nossa segunda visita à esta região tão bonita, bem próximo de Curitiba.

A rodovia BR-277 Oeste estava tranquila nesta manhã de fim de feriado longo. O trânsito aumentaria mais tarde, com o pessoal regressando à capital.

Igualmente, a estrada de acesso à Colônia estava pouco movimentada, com a turma que curte o café-da-manhã por lá já regressando para Curitiba.



As cores e as luzes estavam particularmente agradáveis aos olhos, hoje.






Há vários restaurantes em Witmarsun e tínhamos que escolher um. Decidimos pelo Restaurante Colonial Bela Vista.


Escolhemos o Marreco Recheado com repolho roxo e a Rô pediu uma porção de chucrute. O acompanhamento inclui arroz, purê de maçã e purê de batata. Estava uma delícia!

A Rô curtindo a região, enquanto esperávamos o almoço ser servido.
Depois do almoço retornarmos a Curitiba, ainda curtindo o visual desta área muito bem conservada.



Rodamos um pouco por Curitiba, sempre agradável com o trânsito reduzido de domingo e passamos pelos parques Barigui e Tinguí, que estavam lotados.



Aproveitamos para fazer uma foto da Sunshine, mostrando todo o seu esplendor, nas cores brilhantes deste fim de tarde.


Este magnífico dia terminou com um delicioso café, acompanhado de um Cheesecake, na Panificadora Paniciello, aqui na Bela e Santa Felicidade.

Never Forget - Never Surrender


Em setembro de 2001, as equipes de emergência em New York precisavam de veículos para apoiar os esforços de busca e salvamento após o ataque terrorista de 11/9. Um grupo de empregados da Harley-Davidson Motor Company pilotou uma frota de motocicletas policiais que foram doadas à cidade de NY, como ajuda para esta missão.
Para homenagear o décimo-quinto aniversário do ataque, outro grupo de empregados da HDMC fez uma viagem até New York, levando as novas motocicletas policiais 2017 com motor Milwaukee-Eight 107ci, que foram doadas ao Departamento de Polícia da cidade (NYPD).
Um agradecimento a todos que sacrificaram suas vidas durante e depois de 11/9/2001.

video

sábado, 10 de setembro de 2016

H-D Milwaukee-Eight - Vídeo


Matt Laidlaw publicou um vídeo no seu canal no YouTube, mostrando mais detalhes do novo motor da Harley-Davidson Motor Company.

Vale a pena ver:

video

Matt é Gerente de Vendas de Motocicletas da Laidlaw´s Harley-Davidson, uma das mais antigas revendas H-D na região de Los Angeles, fundada por seu avô em 1958.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Com amigos em Balneário Camboriú

Alguns membros do Balneário Camboriú Harley-Clube
Desde que nos mudamos para Curitiba, no final de maio, ainda não havíamos retornado a Balneário Camboriú socialmente. Explico: fui lá por duas vezes, em consulta odontológica, no final de um tratamento. Mas não ficamos para rever os amigos, retornando no mesmo dia.

Os amigos do Balneário Camboriú Harley-Clube se reuniram para um churrasco, comemorando o Dia da Independência, e insistiram na nossa presença.

Resolvemos, então, descer a Serra do Mar e matar as saudades de lá.


Balneário Camboriú, na Bela e Santa Catarina.
O churrasco que, depois, continuou como um delicioso risoto de carne, foram preparados pelos Chefs Guilherme Graef e Juvenil das Neves.

Valeu a pena. Confiram as imagens:






Foi ótimo estar com vocês, amigos!

domingo, 4 de setembro de 2016

Harley-Davidson Milwaukee-Eight: mais detalhes do novo motor


“O motor Milwaukee-Eight leva a tradição dos motores Harley-Davidson Big Twin ao futuro,” disse Alex Bozmoski, Engenheiro Chefe de Propulsão, ao apresentar a nona família de motores V-Twin da Motor Company.

“Respeitando as características essenciais, criamos um motor totalmente novo. Cada aspecto de desempenho, durabilidade e estilo foi melhorado como uma resposta direta aos reclamos da comunidade Harley-Davidson no mundo inteiro,” completou ele.


O aspecto, o som característico e o torque fazem com que sejam imediatamente reconhecidos como um Harley-Davidson. Mas os novos Milwaukee-Eigh 107 e 114ci levam a H-D a novos patamares.

Corte esquemático do motor Milwaukee-Eight
Segundo a companhia, eles são mais os mais potentes e que geram menos calor de todos os motores desenvolvidos em sua história. De funcionamento mais suave, mais forte e mais duráveis, os motores Milwaukee-Eight tem melhor resposta à aceleração, com um som mais claro e realístico. 4 válvulas por cilindro, comando de válvulas único com corrente, duas velas, balanceado e montado sobre coxins de borracha. Cada parte foi desenvolvida e testada em milhões de horas e milhares de milhas, antes de ser  aprovada.

Eixo comando de válvulas único, acionado por corrente.
As 4 válvulas e 2 velas por cilindro, o novo sistema de escape e de refrigeração são as principais melhorias desse motor. Ele consegue desenvolver mais potência sem superaquecer, o que era um grande desafio para um motor que precisava ficar cada vez maior, pois dependia principalmente da refrigeração a ar.

A versão com 107ci (1.750cc), vai  substituir os Big Twins na linha Touring, com duas sub-versões: 
  • Motor de 107ci com refrigeração a óleo no cabeçote vai equipar a Street Glide/Street Glide Special, Road Glide/Road Glide Special, Electra Glide Ultra Classic, Road King e o triciclo Freewheeler.
  • Motor de 107ci e com refrigeração a líquido será instalado na Ultra Limited/Ultra Limited Low, Road Glide Ultra e no Tri Glide Ultra.
2017 Harley-Davidson Ultra Limited.
A versão com 114ci (1.870cc) vai equipar a edição CVO da Limited e da Street Glide.

Motor Milwaukee-Eight 114ci da CVO Street Glide 2017.
Pelo o que foi revelado até agora, estes são os aspectos mais importantes dos novos Milwaukee-Eight:
  •         Mais potência – a cilindrada maior, 4 válvulas por cilindro e maior taxa de compressão aumentaram o torque em 10%.
  •         Aceleração mais rápida – vai de 0 a 100 km/h em menor distância (cerca de 7 m a menos).
  •          Gerenciamento de calor – Melhor conforto para o piloto e garupa, graças à menor absorção de calor e melhor dissipação com um sistema de exaustão melhorado.
  •          Melhor espaçamento no quadro – A primária mais estreita e o novo perfil do filtro de ar diminuíram o volume externo do motor.
  •         Vibração reduzida – menos ruído no conjunto propulsor melhora o som do motor, devido a válvulas mais leves, cabeçote redesenhado e menos partes móveis.
  •         Menor marcha lenta – reduzida de 1000rpm para 850rpm, produz um som mais agradável, gerando menos calor. 
  •         Maior capacidade de carga na bateria – 50% mais energia elétrica produzida, para atender à demanda maior dos acessórios.
O novo estator, com maior capacidade.
A linha 2017 das motocicletas Touring traz outras novidades, como a eliminação do rádio Faixa Cidadão (CB na versão em inglês), que permitem a comunicação entre as motocicletas. Este equipamento só estará disponível na CVO Ultra Limited.