domingo, 31 de julho de 2011

Harley-Davidson: Um Estilo de Vida?

Marinheiros são lembrados,  muitas vezes, como homens com tatuagens. Não é verdade (pelo menos no Brasil), mas é a idéia que muitas pessoas fazem de nós. Tenho alguns colegas que fizeram uma tatuagem ou duas, mas a grande maioria nunca fez.
Eu mesmo pensei em fazer, algumas vezes, mas sempre desistí por não encontrar nada que gostaria de ter marcado para sempre no meu corpo. Questão de opção, claro.

A fotógrafa francesa Sacha Goldberger - que também pilota uma Harley - fotografou uma série com harleyros que mostram no corpo a expressão do seu estilo de vida, que vai mais além do que a paixão pela legendária motocicleta.








Eu acho estas pessoas fascinantes. E as respeito por expressarem de forma tão clara sua maneira de encarar a vida.
De novo me deu vontade de fazer uma tatuagem. Nada de tão forte, é claro, mas que também expresse o que penso.

Não sei . . . Talvez faça, um dia.

sábado, 30 de julho de 2011

Mundo Civilizado x Terceiro Mundo

Ou, a "Lei do mais fraco", versão original, sem legenda.

Lí a excelente postagem do Wolfmann sobre comportamento no trânsito, à luz das comemorações do Dia do Motociclista. Um artigo muito bem escrito sobre a maneira insana com que muitas pessoas agem quando estão detrás de um volante e um pedido para que as pessoas atuem com mais tolerância e responsabilidade no trânsito.

Os psicólogos afirmam que "as condições sociais influem no comportamento dos indivíduos.” 
.
A educação é a base do todo. Numa sociedade em que o cumprimento das leis é ignorada pelos líderes e governantes e a impunidade passou a ser norma, fica difícil fazer com que os indivíduos se comportem diferente, quando estão conduzindo um veículo. O Brasil está educando seus cidadãos para desrespeitarem as leis. Todo uma geração está constantemente sendo induzida para o crime, em diversos níveis. Na política, nos esportes, na televisão.
Não poderia ser diferente no trânsito.

Sobre o tema, lí ontem uma notícia na internet:

" Um homem de 56 anos, de Beaumont, Califórnia, está preso por tentar derrubar um motociclista numa rodovia.
James Winas Clarkson Jr, foi preso às 13:30 de quarta-feira na esquina da University Avenue e Redwood Street, em Riverside, Califórnia e autuado por tentativa de homicídio, agressão e ameaça com arma de fogo.

O evento ocorreu momentos antes na altura da cidade de San Bernardino, próximo de Los Angeles, na rodovia I-10.
Segundo testemunhas, um motociclista de 22 anos trafegava na rodovia e sinalizou para sair da estrada em direção à cidade, agradecendo aos motoristas que facilitavam sua passagem. James Clarkson dirigia uma camionete Toyota e deliberadamente jogou o veículo contra o motociclista, que conseguiu desviar. O motorista iniciou uma perseguição, tentando derrubar o motociclista por várias vezes. O motociclista eventualmente saiu para o acostamento e parou sua motocicleta. O motorista parou logo adiante, saiu do carro e começou a ameaçar o motociclista, mostrando uma arma.

Uma das pessoas que presenciou o evento chamou a Polícia Rodoviária da Califórnia (a famosa California Highway Patrol - CHiP) pelo celular. Depois de curta perseguição, o motorista foi preso.

O motorista está sob custódia na cadeia da Polícia Rodoviária e a fiança foi fixada em 1 milhão de dólares."

Quantas pessoas você conhece - ou teve notícia - que tenha sido efetivamente condenada por direção agressiva? Ou por ter ameaçado outra pessoa numa ocorrência de trânsito?

Infelizmente, se isto tivesso ocorrido no Brasil, provavelmente o agressor não seria incomodado pela polícia. E, se fosse, seria solto imediatamente, depois da lavratura de um BO.

Coisas que fazem diferença: lá, como aqui, há pessoas de dirigem agressivamente. Lá, como aqui, há pessoas que provocam acidentes de trânsito. Lá, como aquí, há bandidos, criminosos e políticos corruptos.

Lá, eles vão para a cadeia. Aquí, andam soltos pela rua, são nomeados ministros ou eleitos para presidir o congresso.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ouçam o Chamado da Estrada

A vida é curta e a estrada, longa.





Não deixe para depois. A hora é agora!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Vendas da Harley-Davidson Superam Expectativas

As ações da Harley-Davidson subiram 9% nos pregões da Bolsa de Valores de New York, na última semana, consequência dos excelentes resultados alcançados pela companhia no segundo trimeste de 2011.

O revendedores Harley-Davidson venderam 53.000 motocicletas novas de April a Junho, um crescimento de 7.5% sobre o mesmo período de 2010 e o primeiro crescimento relativo (comparado ao mesmo período do ano anterior), desde 2006. As vendas mundiais cresceram 6%.

Harley-Davidson, Milwaukee, Wisconsin
As fortes vendas ajudaram a empresa de Milwaukee a aumentar seus lucros no segundo trimestre em quase 40%, comparado com o ano anterior. O resultado foi de US$190,6 milhões, com receita total de US$1,34 bilhão - um crescimento nas vendas de 18%.

O resultado superou todas as expectativas de Wall Street. Segundo a Thomson Reuters, analistas financeiros esperavam um lucro máximo de US$167 milhões, num faturamento de US$1,26 bilhão.

Fábrica da Harley-Davidson em York, Pennsylvania
A H-D também aumentou suas previsões para o ano 2011, esperando enviar 235.000 novas motocicletas para seus revendedores no mundo todo, um aumento de 12% sobre 2010.

Captain America - The First Avenger

Em exibição nos cinemas dos Estados Unidos e Canadá desde sexta-feira, 22 de Julho, a versão moderna do filme do super-herói Capitão América teve a participação de cinco motocicletas fornecidas pela Harley-Davidson Motor Company.

A tarefa de transformar modernas motocicletas em réplicas exatas dos modelos militares, em uso na Segunda Guerra Mundial, coube à empresa Salvaggio Automotive Design, de Port Washington, Wisconsin, famosa pela restauração de carros antigos.

O modelo usado foi a H-D Softail Cross Bones, transformada para parecer as famosas 1942 WLA Army.
2010 Softail Cross Bones
A Harley-Davidson produziu mais de 70.000  motocicletas 1942 WLA Army durante a guerra, que foram usadas pelos exércitos aliados na Europa e no Pacífico.

1942 WLA Army original, em foto oficial do U.S. Army.
O filme Capitão América; o primeiro vingador, faturou 65,8 milhões de dólares no primeiro fim de semana em exibição, superando os 48 milhões de Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2.

Cena do filme Captain America - The First Avenger
O filme não tem ainda data para entrar em cartaz nos cinemas brasileiros, mas já tem uma continuação em produção, prevista para distribuição no final de 2012.

domingo, 24 de julho de 2011

65


65 anos! Bom, cheguei lá. Agora sou, oficialmente, um Senior Citizen do mundo. Com direito a estacionamento reservado, desconto na entrada do cinema e um montão de outros benefícios em quase qualquer lugar do planeta.

Mas o melhor em chegar à esta idade é a experiência vivida. Tudo que passei e ocorreu na minha vida afloram na memória, neste momento. As ocasiões felizes (muitas) e as não tão boas (poucas, ainda bem!), o momentos cruciais que transformaram minha vida (entrada na Marinha em 1964 - nascimento do meu filho em 1968 - o primeiro comando em 1972), as responsabilidades, os desafios. As longas noites de estudo, os longos meses passados na mar, longe da família. A aposentadoria no final 2009 e a homenagem que me prestaram naquele momento.

Mas o mais importante, sem dúvida, foram as pessoas que passaram pela minha vida. A começar por meus pais e irmãos, as pessoas que amei e que amo e, mais importante até, aquelas que me amaram e me amam. Os amigos inseparáveis, que o tempo e o destino mantém fisicamente afastados mas bem próximos do coração. Os colegas e camaradas que compartilharam comigo os tempos difíceis no mar, com frio de 35 graus abaixo de zero no Atlântico Norte ou 50 graus de calor no Golfo Pérsico. Ou enfrentando o furacão Beulah no Golfo do México em 1967, os tufões no Oceano Índico e as tormentas do Atlantico Sul no inverno. E os longos e intermináveis dias de mar, sentindo uma saudade imensa das pessoas queridas.

Os muitos desafios profissionais e pessoais passam como um documentário de longa duração na minha mente. A primeira namorada, o primeiro carro, a primeira motocicleta, o primeiro dia na Marinha, a primeira viagem num navio de guerra, o primeiro apartamento,  a primeira hora de vôo, o primeiro dia como Oficial de Serviço com um navio e a vida de seus tripulantes sob minha direta responsabilidade por 4 longas horas. O primeiro comando. E o primeiro dia em que acordei e me dei conta que não tinha um escritório esperando por mim, nem pessoas para orientar, nem negócios para gerenciar e o que tinha a fazer era curtir minha vida com as pessoas que me são queridas.

Sim, podem crer: completar 65 anos é uma dádiva da vida.

Às centenas de amigos e amigas que postaram no Facebook, mandaram mensagens no celular, telefonaram, enviaram emails e vieram dar-me um abraço neste dia 23 de Julho, meu muito obrigado, do fundo do coração. Que Deus os abençoe e proteja. Ao meu filho, meus irmãos, meus netos, minha nora, minha sobrinha querida e demais familiares, obrigado por fazerem parte da minha vida.

À minha querida garupa e fiel escudeira, obrigado por me acompanhar nestes que, tenho certeza, são os melhores anos da minha vida. E que Deus permita que possamos curtir juntos milhares de quilometros na estrada do futuro.

Fotos aqui.

sábado, 23 de julho de 2011

Concurso Cultural Viva Harley-Davidson - Resultado

A Harley-Davidson divulgou as fotografias premiadas no Concurso Cultural Viva Harley-Davidson.
Os vencedores e seus acompanhantes irão a Milwaukee, cidade-sede da Harley-Davidson Motor Company, com direito a visitas ao Museu e à fábrica.
As fotos escolhidas foram:
Alfredo Andrade Bottino, Rio de Janeiro, RJ

Aristides Rodrigues Prado Neto, Curitiba, PR

Claudia Fujarra Vaz, Rio de Janeiro, RJ

Daniel Hein Magalhães, São Paulo, SP

David Magri da Silva, Itapecerica da Serra, SP

Elifal da Silva Araujo, Curitiba, PR

João Manoel Rocha Dias, Curitiba, PR

José Antonio Drumond, Belo Horizonte, MG

José Henrique Ferreira Lorca, São Paulo, SP

Jucelino Muniz Oliveira, Belo Horizonte, MG

Lajos Szocs Junior, São Paulo, SP

Marcos Nunes Costa, São Paulo, SP

Maria Silvana Vargas, São Paulo, SP

Rogerio Fonseca Figueiredo, Brasília, DF

Sibele do Carmo Tozim, Curitiba, PR
Parabéns aos quinze escolhidos. Aproveitem bem a viagem!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Visitando os Apalaches - Planejamento Revisado

(atenção: originalmente publicado em 11/6. Texto revisado e atualizado em 20/7/2011)
Estamos com quase tudo pronto para nossa próxima viagem de motocicleta pelos Estados Unidos. A viagem só será realizada em Setembro, mas como bom marinheiro eu me preparo com antecedência, seguindo a máxima de "quem vai ao mar, avia-se em terra". Planejamento é fundamental numa viagem de motocicleta. Temos que nos certificar de que tudo está programado como queremos, não é mesmo?

Os Apalaches ( Appalachians, em inglês) são uma cordilheira da América do Norte, estendendo-se do Canadá (províncias do Labrador e Terra Nova) até o estado do Alabama, no sudeste dos Estados Unidos e é a maior da América do Norte à leste do Rio Mississipi.


Os Apalaches são formados por montanhas com altitude média de 900 metros e cujo ponto culminante é o Monte Mitchel, com 2.040 m de altura.


Na viagem Costa-a-Costa que fizemos no ano passado, já passamos pelos Apalaches, nos estados de New York e Pensilvania. Agora chegou o momento de rodarmos pelos outros estados dessa formação geológica: Alabama, Georgia, Tennessee, Kentucky, West Virginia, Virginía, Maryland, North Carolina e South Carolina.


No nosso itinerário, sairemos de Orlando, FL seguindo para o norte pela rodovia I-75 até Tifton, na Georgia. Daí, seguiremos na direção noroeste até Auburn, no Alabama, onde pernoitaremos.
No dia seguinte, rodaremos até Leeds, na região de Birmingham, Alabama, para visitar o Barber Vintage Motorsports Museum.


Depois, continuaremos para o norte até Fayetteville, Tennessee. Nesta região visitaremos a destilharia do Jack Daniel's em Lynchburg, TN.


Destilaria Jack Daniel's, em Lynchburg, TN.
Continuando para leste até a pequena cidade de Robbinsville, NC, onde está situado o Deal's Gap Motorcycle Resort, início da subida do The Tail of the Dragon, a Cauda do Dragão, 18 quilômetros da estrada US-129 com suas 318 curvas.



No final da subida, chegaremos a Maryville, TN, onde mora Frank Ponteri, um amigo de muitas décadas que mudou-se para a região depois de aposentar-se.

De Maryville, TN, continuaremos pelos Apalaches para o norte até Pikeville, Kentucky e daí para o nordeste em direção a Glenville, West Virginia, bem no coração do "redneck country".
Estrada no Kentucky
West Virginia
Daí seguiremos até York, Pennsylvania, para visitar uma das fábricas da Harley-Davidson. Estando nesta área, visitaremos também Gettysburg, local da mais sangrenta batalha de Guerra Civil Americana (1860-1865), onde mais de 46.000 soldados foram mortos ou feridos em três dias de luta.
Fábrica da Harley-Davidson em York, PA
A partir daí, iniciaremos o nosso retorno para a Flórida, indo para o sul em direção de Washington, DC, para  visitar seus monumentos e museus. Passaremos aí um fim de semana.

Washington, DC
O retorno será através do estados de Delaware, Virginia, North Carolina, South Carolina e Georgia. Passaremos pela ponte e túnel da Baía de Cheasapeake, uma obra de 37 km de comprimento e com um túnel de 2 km por baixo das águas de baía.
Ponte e Túnel da Baía de Cheasapeake.
Na Carolina do Sul visitaremos Mount Pleasant, onde se situa o Museu Naval de Patriots Point. Alí visitaremos o porta-aviões USS Yorktown, o submarino USS Glamacore e o contratorpedeiro USS Laffey. Dentro do USS Yorktown há uma mostra permanente com vários aviões da Marinha dos EUA.

Museu Naval de Patriots Point, SC.
USS Yorktown

Entraremos na Flórida pelo litoral, passando por Jacksonville, St. Augustine e Daytona Beach, para marcar ponto no Bruce Rossmeyer Harley-Davidson, em Ormond Beach, a maior loja Harley do mundo.


A viagem agora está programada para 13 dias. A motocicleta foi alugada na Orlando Harley-Davidson e será uma Ultra Glide 2011. Pode ser até que seja uma 2012, se os modelos já tiverem sido entregues aos concessionários. Ficaremos hospedados nos hotéis da rede Best Western, que oferecem descontos significativos para os membros do H.O.G. através do programa Best Western Ride Rewards.

Para fazer o itinerário, utilizamos o Harley-Davidson Ride Planner, uma excelente ferramenta para planejar uma viagem de motocicleta nos Estados Unidos. O programa mostra a localização de todos os hotéis da rede Best Western e todas as lojas da Harley-Davidson. Além do mais, você pode baixar seu itinerário diretamente para o GPS.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Harley-Davidson XR-750

A Harley-Davidson XR-750 é uma motocicleta de corrida produzida a partir de 1970, principalmente para pistas não pavimentadas. A versão para pistas pavimentadas é o modelo XRTT.

A XR-750 foi projetada em 1969 em resposta à mudança nas regras do Grand National Champioship da AMA (Associação Americana de Motociclismo), que criou condições para que outras fabricantes (principalmente japoneses) pudessem competir com a Harley-Davidson, que dominava as corridas de motocicletas nos EUA com seu modelo KR.

Entretanto, a XR-750 acabou sendo a motocicleta com maior número de vitórias em toda a história da Associação Americana de Motociclismo.
Harley-Davidson XR-750 em exposição no Barber Vintage Museum
A XR-750 também era o modelo preferido do acróbata Evel Knievel, conforme mostrado nas exposições permanentes do Museu Nacional da História Americana, no Smithsonian.

Modelo usado por Evel Knivel
O motor da XR-750 foi desenvolvido pelo Gerente de Competição da H-D, Dick O'brien e sua equipe. Com poucos recursos financeiros e pouco tempo para desenvolver a nova motocicleta, ele usou um cilindro de ferro e cabeçote de alumínio num motor em V de 45.6 polegadas cúbicas (748 cc), com caixa de quatro velocidades, utilizadas na modelo de linha Sportster XL desde 1952. As modificações básicas foram no cabeçote e no cilindro, uso de magneto e melhor sistema de lubrificação. Para cumprir com as regras da AMA, duzentas unidades foram produzidas e oferecidas ao mercado através da rede de revendedores Harley-Davidson nos EUA, ao preço de US$3.200, cada. A preços de hoje esta motocicleta estaria sendo comercializada por US$18.000.

O sucesso da XR-750 nas pistas criou uma demanda muito grande para uma versão "street legal". A Harley-Davidson respondeu primeiramente com a Sportster XR-1000 (que não fez muito sucesso) e muito depois com a XR1200R.