sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Senta, que o leão é manso!


A marca registrada dos estúdios MGM (Metro-Goldwin-Mayer) é a figura do leão Leo rosnando, no início dos filmes. Na verdade, “Leo” não foi só um; sete leões from utilizados pela produtora de Hollywood, desde 1917. 

Tudo começou com o leão “Stats”, que apareceu nos filmes da MGM entre 1917 e 1928. A partir de 1957 até hoje, o que vemos é um leão que realmente se chamava “Leo”.

A primeira vinheta utilizada pela MGM, ainda em filmes mudos.
O leão chamado “Jackie”, nascido em 1925, foi o segundo a ser usado pela MGM e o primeiro a rosnar audivelmente. O rosnar foi gravado separadamente e incluído no filme. O produto final foi incluído no primeiro filme sonoro do estúdio, lançado em 1928: “White Shadows in the South Seas.”

Um cameraman e um técnico de áudio gravando a primeira versão sonora
 da vinheta, em 1928.
O rosnar de Jackie apareceu no famoso e premiado filme “O mágico de Oz”, de 1939, numa versão envelhecida. Além de fazer a abertura dos filmes, ele também participou em  mais de 100 filmes do estúdio, incluindo os filmes de Tarzan, entre outros.

Para aumentar ainda a presença da marca MGM, o estúdio fez uma turnê aérea com o leão através dos EUA. O avião era um Ryan Brougham, similar ao “Spirit of St Louis”,  usado por Charles Lindenberg para cruzar o Atlântico pela primeira vez. Foi construída uma jaula na fuselagem e o avião foi equipado com tanques para leite, água e combustível extra.


O avião decolou de San Diego, na Califórnia, em direção a New York, mas depois de cinco horas de vôo caiu no deserto do Arizona. O piloto, Martin Jenson, deixou Jackie no avião com bastante leite, água e sanduíches e saiu para procurar socorro. Quatro dias depois o piloto foi encontrado e levado a um telefone. Ao ligar para a MGM e informar que estava bem, escutou do outro lado da linha: “Como está o leão?”!

Socorristas chegam aos destroços do avião, no deserto do Arizona
Jackie sendo levado para casa, são e salvo.
Jackie foi recuperado sem um arranhão e recebeu o apelido de “Leo sortudo.” Ele foi aposentado em 1931 e levado para o Zoológico de Philadelphia, onde faleceu em 1935 por problemas cardíacos. A sua imagem foi a principal usada pela MGM até 1957.

Outros quatro leões foram usados para filmagens específicas entre 1932 e 1957. Naquele ano foi lançada a cena com o leão “Leo”, que é usada pelo estúdio até os dias de hoje. Leo nasceu no Zoológico Burgers, na Holanda. Era o animal mais jovem a ser filmado para a vinheta.

Treinado por Ralph Helfer, Leo participou de filmes famosos nas décadas de 1960 e 1970.
Duas versões diferentes foram usadas nas vinhetas: uma, mais longa, onde Leo rosna três vezes (usada entre 1957 e 1960) e a versão “padrão” com Leo rosnando duas vezes, usada de 1960 até hoje.

Este vídeo conta a história de todos os leões que participaram da abertura dos filmes da Metro-Goldwin-Mayer:

video


E, sim, o leão da Metro era bem manso. Mas por razões distintas da mencionada na piada do “Senta, que o leão é manso!”

Esta imagem que circulou pela Internet, sugerindo a forma como as vinhetas eram filmadas, é falsa.

Imagem falsa sobre a forma como foi filmada a vinheta da MGM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário