sábado, 28 de setembro de 2013

Harley-Davidson FLSTF Fat Boy - A História e a Lenda


A motocicleta Harley-Davidson Fat Boy é talvez o modelo mais icônico da Motor Company e é extremamente popular entre os harleyros do mundo inteiro.

Modelo mais copiado pelos concorrentes da centenária empresa de Milwaukee, a Fat Boy protagonizou a virada do jogo pelas disputa do bilionário mercado norte-americano de motocicletas cruiser

A partir do lançamento da Fat Boy, a Harley-Davidson Motor Company retomou a liderança entre os fabricantes de motocicletas acima de 650cc, posição que mantém até hoje com larga folga (A HDMC teve 65% do mercado de motocicletas vendidas nos EUA, em 2012).

A Fat Boy foi projetada pelo legendário Willie G. Davidson e foi lançada em uma só cor: cinza prata.
Paralamas, tanque de combustível, tanque de óleo e até o quadro eram pintados na mesma cor. 
Finos anéis em amarelo foram aplicados em vários pontos, como na tampa de inspeção da primária, chave de ignição, cabeçotes e no escudo do tanque de combustível.

A Fat Boy 1990 também veio com revolucionárias inovações, como freio a disco, escapamento tipo escopeta, novo estilo de guidão, novos paralamas, bancos trançados à mão e novo painel do tanque.

Os anéis dourados foram pintados sómente nas primeiras 1.440 Fat Boy construídas. Nem a cor prateada (Grey Ghost, era o nome oficial da cor) nem os anéis foram usados em nenhum outro modelo de Fat Boy nos anos seguintes. Isto transformou esta motocicleta em objeto de desejo dos colecionadores.

A História

Nas duas décadas anteriores, fabricantes japoneses (Honda, Yamaha, Suzuki e Kawasaki) inundaram o mercado americano com centenas de milhares de motocicletas cruiser, a preços menores. 

Este fato, aliado à gestão desastrosa da AMF - que havia assumido o controle da H-D de 1969 a 1981 -  levou as vendas da Harley-Davidson a níveis muito abaixo de sua capacidade produtiva, colocando em risco a sobrevivência da marca.

Em 1981 um grupo de 11 investidores, liderados por Willie G. Davidson e Vaughn L. Beals (que era o presidente da H-D, na ocasião), comprou o controle da companhia das mãos da AMF, por US$65 milhões. 
A partir daí a recuperação da marca Harley-Davidson decolou, com a criação do H.O.G. em 1983 e o lançamento da Fat Boy em 1990, depois de quase 6 anos em fase de projeto e testes.

Mas a história da icônica motocicleta começou muito antes. 

O modelo Softail, linha a que pertence a Fat Boy, foi desenvolvido a partir de 1974 por Bill Davis, um engenheiro de St. Louis, Missouri, apaixonado pelas motocicletas Harley-Davidson. 

A idéia básica era uma balança móvel presa ao quadro da motocicleta e apoiada por molas e amortecedores escondidos debaixo do banco. Com isto Davis conseguia manter a silhueta das motocicletas "rabo duro" - marca registrada da Harley-Davidson - mas com o conforto das motocicletas modernas. 

O primeiro modelo foi construído a partir de uma H-D Super Glide 1972, que Davis transformou e patenteou. Em 1976 Davis conseguiu uma reunião com Willie G., que ficou impressionado com o projeto, mas não tinha como usá-lo devido à resistência dos executivos da AMF.

Bill Davis continuou a aperfeiçoar seu projeto, com várias modificações que permitiram, inclusive, que o tanque de óleo lubrificante ficasse escondido debaixo do banco do piloto.

Davis tentou produzir seu projeto em larga escala, sózinho, mas não conseguiu investidores para apoiá-lo financeiramente. 
Em janeiro de 1982 Bill Davis reuniu-se novamente com a H-D e vendeu a patente, o protótipo e o ferramental para a Harley-Davidson. 

Depois de vários testes e maior desenvolvimento do projeto, a idéia original de Bill Davis ganhou as estradas na forma da Harley-Davidson FXST Softail 1984.

A partir daí, o gênio criativo de Willie G. transformou aquela jóia, ainda não lapidada, criando a Harley-Davidson FLSTF Fat Boy 1990.


A Lenda

A combinação da "invasão" do mercado pelos fabricantes japoneses e algumas coincidências nas cores empregadas no acabamento da Fat Boy, foi o terreno fértil para o surgimento de uma das maiores lendas urbanas do motociclismo.

Segunda a lenda, a Fat Boy seria uma versão em duas rodas das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki, durante a Segunda Guerra Mundial.

Vamos ver as coincidências entre a Fat Boy e as bombas atômicas e suas explicações óbvias:

1 -  Cor
A primeira Fat Boy era pintada na cor prata. Dizia-se que os bombardeiros B-29, da Força Aérea do Exército dos EUA, eram pintados nesta cor. Na realidade os B-29 não eram pintados. A fuselagem era de alumínio polido.

B-29 "Enola Gay", que lançou a bomba "Little Boy" em Hiroshima.
A aeronave está preservada no Smithsonian Air & Space Museum, em Washington, DC.
B-29 "Bock's Car, que lançou a bomba "Fat Man" em Nagasaki.
Está exibição no  U.S. Air Force Museum, em Dayton, Ohio.

2 - Rodas
As rodas da Fat Boy seriam uma réplica daquelas usadas nos B-29. Outro mito. A única coisa em comum entre os dois modelos de rodas são os orifícios orbitais.

 
                    
As rodas de 16 polegadas em alumínio usinado, usados na Fat Boy foram um marca registrado do modelo. Sómente a partir de meados da década passada outros modelos H-D foram equipados com este tipo de roda.

3 - Anéis
Sete anéis dourados podem ser encontrados na pintura original da Fat Boy 1990. Seria uma referência aos sete anéis dourados pintados nas bombas atômicas.


Mito, outra vez. Não havia anéis pintados nas bombas. 

A bomba "Fat Man", lançada sobre Nagasaki, sendo levada para a B-29 "Bock's Car".

A bomba "Little Boy", antes de ser carregada no B-29 "Enola Gay", que a lançou sobre Hiroshima.

Este anéis dourados foram pintados unicamente nas primeiras 1440 Fat Boy construídas em 1990. Nem a cor prateada (Grey Ghost, era o nome oficial da cor) nem os anéis foram usados em nenhum outro modelo depois disso.

4 - O nome Fat Boy seria uma referência aos nomes dados às bombas: Fat Man e Little Boy.

Primeiro, temos que entender os nomes de código para as operações de bombardeio de Hiroshima e Nagasaki.

Na realidade havia três missões de bombardeio planejadas: "Fat Man", "Little Boy" e "Thin Man". 
Os nomes foram escolhidos pelo Engenheiro Robert Serber, um dos participante do "Projeto Manhattan", que desenvolveu as bombas atômicas, sob a direção do General de Divisão Leslie R. Groves Jr e do físico Robert Oppenheimer. 

Os nomes foram baseados no perfil físico dos aparatos. Segundo o próprio Robert Serber, o nome "Thin Man" foi devido ao fato da bomba ser comprida e lembrá-lo do personagem de uma série de novelas de detetives, escrita por Dashiell Hammett, transformada em filmes.

Cápsulas de titânio, usadas nos testes de lançamento da bomba "Thin Man".
 A "Fat Man" era redonda e gorda, lembrando o personagem Kasper Gutham, do romance "O Falcão Maltês". Já a "Little Boy", a última a ser construída, foi um contraste para o nome "Thin Man".

Réplicas da "Little Boy", em primeiro plano, e da "Fat Man".
Ambas expostas no Smithsonian.
A Realidade

Tudo isto foi o resultado da imaginação fértil de alguém.

A primeira Fat Boy foi pintada de prata por ser uma cor considerada atrativa pelos projetistas da Harley-Davidson. 

Os anéis dourados não tinham nada a ver com bombas (eram meros detalhes decorativos, retirados nos anos seguintes) e o nome "Fat Boy" foi escolhido pela aparência larga da motocicleta, quando vista de frente. 

Do filme "O Exterminador do Futuro".

Mas, como sempre acontece, a lenda é sempre mais interessante do que a realidade.

As Harley-Davidson Fat Boy foram inicialmente equipadas com o motor Evolution de 80 cu.in (1340cc), adotados pela HD desde 1984. A partir de 2000 o motor usado foi o V-Twin 88 (1450cc) e o V-Twin 1600cc foi utilizado a partir de 2007, juntamente com a caixa de marchas de 6 velocidades.




Como o motor não é montado sobre coxins de borracha, os motores criavam muita vibração nos modelos Softail. Por isso a Harley-Davidson usa virabrequins balanceados nas Fat Boy.

A Harley-Davidson Fat Boy é uma motocicleta agradável de pilotar, em qualquer velocidade, graças ao centro de gravidade baixo.

Com um motor extremamente confiável e uma caixa de marchas suave e bem dimensionada, produz um som que é uma verdadeira sinfonia para os ouvidos dos apaixonados por motocicletas.

2014 Harley-Davidson Fat Boy.

Em produção desde 1990, esta maravilha mecânica estará nas estradas do mundo ainda por muitos anos.


14 comentários:

  1. Excelente matéria! Talvez seja o resumo mais rico em conteúdo que encontrei na Internet até agora.

    ResponderExcluir
  2. EXCELENTE FONTE DE INFORMAÇAO.. PARABENS

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma Fat 2000, vc saberia me dizer a origem dela? Já eram vendidas aqui? Eram só importadas na época?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A linha de montagem da H-D em Manaus foi inaugurada em 1998. Provavelmente a sua Fat 2000 já foi montada no Brasil.

      Excluir
  4. Henrique Taniguchi10 de agosto de 2015 00:00

    Excelente texto, bem detalhado. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo excelente texto, sem dúvida a matéria mais completa feita em terras tupiniquins. Noga

    ResponderExcluir
  6. Excelente texto, muito esclarecedor. Eu pensava que as letras FLSTF se referiam à uma edição especial da Fat Boy, mais baixa e com entre eixos menor. Isso procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique, obrigado por nos acompanhar. As primeiras duas letras designam o tipo de motor e da dianteira da moto. No caso FL quer dizer alta compressão (entre 80 e 96 cu.in) e pneu mais largo na roda dianteira; a terceira letra mostra o modelo do quadro ST significa quadro Softtail. Finalmente a última letra indica o modelo dentro de uma familia. No caso o F quer dizer Foot Shift (mudança no pé).

      Excluir
  7. muito bom tirou um pouco do sonho.

    ResponderExcluir
  8. Todos os modelos HD já usavam freio a disco em 1990, portanto dizer que foram uma novidade introduzida na Fat Boy não eatá correto, da mesma maneira o que trata da roda em alumínio usinado que já era usada como roda traseira na Softail Custom desde 1984!

    ResponderExcluir