terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Fissura na Floripa Harley-Davidson - A Resposta


Em continuação à postagem do dia 20 de Dezembro, publico agora a versão apresentanda ao PHD-BR, pelo sr. Wanderlei Berlanda, proprietário da Floripa Harley-Davidson.  

Prezados,
Desde que o Altrão saiu do negócio Floripa HD e publicou a versão dele sobre o ocorrido, tenho tentado me manter afastado das inúmeras ofensas e opiniões viciadas sobre minha pessoa e minha índole.

Contudo, as coisas que tenho lido a meu respeito são tão mentirosas e tão injustas que resolvi lhes escrever. Antes de tudo, peço a todos que tenham consciência e justiça no que irão ler e lembrem-se que existe sempre mais de uma versão para a mesma história e que invariavelmente a versão que ataca é a que menos tem razão.

O projeto de Floripa levado até a Harley Davidson por mim, foi 100% traçado e formatado pela agência Mob e a apresentação e defesa foi executada pela Carla e por mim pessoalmente. Neste projeto não existiu sequer uma linha escrita ou idealizada pelo Altrão. Aliás, antes mesmo de termos apresentado o nosso plano, o Altrão já havia apresentado o seu projeto individual de negócio, o qual por motivos que não cabem a mim questionar e nem me interessam, foi reprovado pela HD Brasil.

Neste intervalo entre o projeto dele e o meu, pesquisando a marca e adequando nossa capacidade e investimentos no plano, recebemos algumas informações sobre o Altrão e, sabendo que ele estava fora para a HD, resolvi chamá-lo para conversar e propus a parceria. Parceria esta devidamente detalhada por mim e aceita por ele tópico por tópico. Faço questão de mencionar as condições contidas no email que enviei à ele em 13 de julho de 2011 e que foram aceitas sem divergência pelo Altrão.

As condições eram claras e abertas como tudo o que faço: ele deveria entrar com uma contrapartida de 2% do investimento total, ele teria o cargo de Gerente de Vendas, faríamos uma experiência de 6 meses com ele para selarmos o mútuo acordo, dentre outras coisas como por exemplo e obviamente, as decisões sempre deveriam ser conjuntas ou pelo menos, por uma questão de majoritariedade, levadas ao meu conhecimento em tempo.

Pois bem, sobre a contrapartida, eu coloquei os 100% do investimento necessário – mais de 3 milhões de Reais - e mesmo assim, ainda que não esteja escrito em nenhum contrato, honro e farei jus aos 2% dos quais dei minha palavra a ele, nenhum centavo a menos e nem a mais. Para que os senhores tenham uma pequena idéia, depois do rompimento ele já mencionou que devo a ele 1,5 milhão! Quem é o oportunista, o mercenário, o calculista?
  
Sobre o cargo que mutuamente combinamos de Gerente de Vendas, assim como para as demais pessoas da equipe foram confeccionados cartões de visita, mas o Altrão se recusou veementemente a utilizar e mandou fazer outros sem o cargo, para que pudesse escrever o posto que seu ego melhor achasse conveniente. Então eu sou o arrogante, o prepotente, o sem humildade? Abro aqui um parêntese, pois quando falo em humildade não estava almejando que ele se humilhasse para mim e muito menos o julguei inferior. Mas não admito que ele tenha se perdido nos seus devaneios e acabou por se esquecer do tamanho do sonho que estava prestes a materializar, sendo convidado e ganhando de mão beijada e boa fé o investimento necessário. Ele se sentiu inferiorizado por um título. Título este que ele aceitou assim como as demais condições do nosso acordo. Mas ele não teve nenhuma humildade.

Prova disso é que não precisei nem dos 06 meses de experiência para perceber a falsidade e a soberba que vieram a tona. É até triste falar, pois quando procurei o Altrão eu queria realmente que desse certo, eu acreditei nisso, todos sabem, eu não precisaria de sócio, eu não precisaria de nada além da minha força de vontade. Mas eu apostei, só que apostei numa pessoa que já se sentia no direito de passar por cima do nosso acordo e fazer tudo como bem quisesse.

 Então, nestes 90 dias ele brigou com a agência, maquiou informações, contratou pessoas sem sequer o meu conhecimento e nem mesmo a nossa pequena equipe confiava mais nele. Fez pequenas coisas que para mim demonstraram abertamente sua fraqueza de caráter e prepotência.

Eu respeito todas as opiniões expressadas após a manifestação do Altrão, mas sinceramente as mesmas só teriam validade se viessem de pessoas que me conhecem ou que tivessem tido, no mínimo, a chance de saber a história inteira. É preciso que lembrem: a “justiça Divina” tão citada por vocês nos xingamentos e ofensas a mim, vale para todos. Então sejam justos.

Falando em me conhecer, tenho mais de 30 anos de estrada como empresário, onde tive empresa de máquinas agrícolas, fui fundador da rede de lojas Berlanda, fui sócio da Colchões Gazzin, fui proprietário da rede de lojas Base e atualmente sou sócio da B&M Construtora, sou sócio do Shopping Pátio Chapecó, Sócio das Farmácias Sempre+, sócio da Sonotop Colchões, sócio da Base Administradora de Imóveis, sou sócio da Izzy Incorporadora. Tais empreendimentos me renderam a presidência e vice presidência do CDL de Chapecó, a vice presidência do FCDL de Santa Catarina, a presidência do Automóvel Clube, a vice presidência da FAUESC. Além do que hoje estou a frente e toco com meus dois filhos a bandeira da Toyota em Florianópolis e Itajaí.

Portanto prezados, quando comecei eu não sabia vender máquinas agrícolas, mas eu aprendi, eu não sabia vender colchões, mas eu aprendi, não sabia vender móveis e eletro, mas eu aprendi, não sabia vender imóveis e nem remédios, mas eu aprendi. E falo aberta e sinceramente que não sei vender motos, muito menos Harley, mas eu vou aprender, pois me sobram grandes diferenciais: humildade para aprender, força de vontade para construir e paixão pelos projetos que empreendo. Somem a isso tudo o infinito respeito e idoneidade com os quais trato meus clientes nestes longos anos e pensem um pouco nas barbaridades que resolveram democraticamente falar sobre mim.

Por isso tudo, não admiti mais ser caluniado de forma tão baixa e ficar calado. Bem como, não admito a falta de respeito com as demais pessoas da equipe Floripa HD, a Tati, o Ivan e o Gutho, que são harleyros tão apaixonados quanto vocês e que tem me ensinado a amar a Harley e tem aprendido comigo a fazer negócio com transparência.

A verdade é plena.
Wanderlei Berlanda



6 comentários:

  1. Democracia na informação é isso: mostrar as duas versões para cada um formar sua opinião.

    Pela leitura das versões publicadas, a segunda versão tem maior respaldo naquilo que já li e que já escutei sobre o projeto dealer HDMC, com investimento inicial alto a fim de atender às necessidades de projeto.

    Já a primeira versão dava contas apenas de um desabafo de alguém que foi excluído ou se auto excluiu do projeto.

    Não conheço nenhum dos dois envolvidos nessa pendenga e li as duas versões. Já fiz meu julgamento. Recomendo a quem se interessar pelo ocorrido que faça o mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns....Um ato de DEMOCRACIA

    Ch@rles Br@w

    ResponderExcluir
  3. Olá amigos
    Vi as duas versões.A verdade aos poucos vem à tona.Amigos, são preciosos e escolhemos.
    Sócios, são entes de oportunidade,conveniencia,afinidades e, pode haver erros de escolha ou com o tempo as coisas vão se acomodando e os rumos ou se consolidam ou se desmancham.Pra frente veremos quem fica com os amigos com certeza.Abraços do fiapo com os desejos de que prevaleçam os bons valores de amizade e respeito.

    ResponderExcluir
  4. O sonho de tantos apaixonados pela lendária marca HD, está para se tornar realidade aqui em Santa Catarina. Mas para tanto é no mínimo, imprescindível uma equipe coesa e com harmonia para que o negócio decole.
    Os ajustes são necessários para que a nossa Harley Floripa satisfaça aos clientes, e supere as outras Harley-Davidson, dos outros estados; no quesito oficina, pós-venda, acessórios e roupas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola vera sou de Santa maria e gostaria de saber se a concencionária esta funcionando hoje? Obrigada.

      Excluir
  5. HENRIQUE LABES DA FONTOURA3 de janeiro de 2012 17:41

    Não me surpreendo nem um pouco !!! Mais uma vez, o Cmte Roque demonstra toda sua fidalguia e respeito a todos que o cercam. A coerência tem sido sua marca desde que o conheci.

    No mérito da questão de fundo, vale uma nota: Quando o Maccori rompeu com o Adriano, muitos ouviram uma versão e tomaram partido ... Quando o Altrão/Ivens (in memoriam) e o Maccori romperam, muitos ouviram apenas a versão de um lado, outros de outro e tomaram partido ... VAMOS COMETER O MESMO ERRO !!!???

    Ainda que nos solidarizemos com a situação do nosso amigo Altrão, pela sua história junto à nossa querida HDPoint, ninguém tem o direito de ofender a outra parte, em especial quando não ouviram o que esta tinha a dizer ... Sabendo de seus argumentos, igualmente, nada disso nos diz respeito, ficando adstrito apenas e tão somente à relação comercial entre Walnderlei Berlanda e Adilson Altrão.

    Ainda que o próprio Wanderlei Berlanda, muito educadamente tenha tratado como "democrática" qualquer ofensa contra ele, penso, particularmente, seja na verdade um grande equívoco. O Direito me ensinou, ao longo de 15 anos, que TODOS os envolvidos em litígios, TEM RAZÃO, ou seja, CADA UM TEM A SUA !!!

    Portanto, não nos cabe fazer qualquer julgamento e, muito menos,lançar qualquer tipo de palavra de repúdio a uma das partes (seja ela qual for).

    Amigos que, como eu, amam a Harley-Davidson: A NEUTRALIDADE EM ASSUNTOS ALHEIOS, MANTERÁ NOSSA AMIZADE E A NOSSA PAIXÃO !!!

    Nos encontramos na estrada !!!

    Um grande abraço a todos e FELIZ 2012 ...

    ResponderExcluir